quarta-feira, 18 de abril de 2012

Que tal fazer um pouco de Ginástica Mental?



:: Roberto Inácio ::

...e melhorar a saúde do corpo físico?

Sente-se numa cadeira de encosto reto e assento firme, madeira de preferência. Fique na metade da frente do assento para poder se movimentar melhor. Pés paralelos, pernas afastadas, na direção dos quadris. Respire calma, profunda e lentamente, mas sem esforço algum. Olhe para o lado direito, até lá atrás. e observe até onde seus olhos conseguem enxergar, sempre sem forçar, e registre esse ponto. Faça o mesmo para o lado esquerdo e também registre o ponto até onde você consegue enxergar.

1. Agora você vai fazer movimentos apenas para o lado direito e sempre na sua expiração. Inspire e na expiração gire a cabeça, sem forçar, para o lado direito. Inspire e retorne na expiração. Mais uma vez: inspire e na expiração gire a cabeça para a direita. Inspire e retorne na expiração. Faça esse movimento 8 vezes, pouco menos se você não tiver muito tempo. E descanse um minuto, respirando calmamente e prestando atenção na respiração.

2. Inspire e na expiração gire a cabeça para a direita, mas desta vez mantendo o olhar fixo à sua frente. O movimento vai ser menor e mais difícil, mas faça as mesmas 8 vezes, inspirando e girando a cabeça para a direita na expiração, mas sempre com o olhar fixo à frente.

3. Agora repita o primeiro movimento, com a cabeça girando solta para a direita, sempre da mesma forma - movimento na expiração - e 8 giros lentos, tranqüilos, prestando atenção na respiração e procurando não alterá-la.

4. Agora a cabeça fica fixa para frente, os olhos giram um pouco, o pescoço e os ombros também. Sempre para a direita e sempre 8 vezes.

5. Repita novamente o primeiro movimento. E observe o que começa a acontecer.

6. Desta vez, a cabeça e os ombros vão girar para a direita, mas os olhos vão virar para a esquerda. É um pouco desconfortável, mas daqui a pouco você verá os resultados. Faça as 8 vezes de sempre.

7. Faça de novo o primeiro movimento, cabeça, ombros, tronco, olhos, tudo girando para a direita e cada vez mais soltos. E observe. Pode sorrir, porque de fato é engraçado.

8. Agora, apenas o joelho esquerdo se move, bem pouquinho, para frente. Deixe o resto do corpo solto, se movimentando naturalmente. Provavelmente, o ombro esquerdo irá um pouco para frente e a cabeça pode girar naturalmente para a direita. Joelho para frente 8 vezes, sempre na expiração.

9. Finalmente, repetimos o primeiro movimento, com o joelho esquerdo indo para a frente e cabeça, tronco, ombros, olhos, tudo girando livremente para a direita. E você observa até onde o seu olhar alcança agora. Mudou, não mudou? Pois é, com poucos movimentos, bem suaves, você já conseguiu destravar um pouquinho seu pescoço e seus ombros. E isso é ótimo para melhorar também a saúde dos olhos, porque com ombros e pescoço travados seus olhos recebem menos oxigênio, menos sangue e menos energia prânica, a energia de vida que no Yoga se chama Prana e no Chi Kung recebe o nome de Chi.

Bem, agora você vai repetir o exercício, exatamente da mesma maneira, para o lado esquerdo, com apenas uma 'pequena' diferença: você não vai se mexer, vai apenas visualizar, imaginar, 'ver' mentalmente o movimento e sentir como se estivesse de fato fazendo-o.
Fica mais fácil fazer esta parte do exercício se você gravá-lo ou pedir para alguém ler para você.
Repita toda a série, exatamente igual, como você fez fisicamente para o lado direito, só que desta vez é para a esquerda e mentalmente, o corpo não se mexe - ou se mexe um pouquinho, mas independente de sua vontade.

Ao terminar a série inteira, abra os olhos lentamente e aí, sim, você vai fazer o movimento físico para o lado esquerdo. Gire cabeça, ombros, pescoço, tórax e ajude o movimento com o joelho direito se movendo um pouquinho para frente. E observe atentamente até onde o seu olhar consegue alcançar, agora para o lado esquerdo.
Mudou alguma coisa? Você está surpreso? Normalmente, o resultado deste exercício é igual, ou quase, para os dois lados, embora você só tenha feito o exercício 'realmente', fisicamente, para o lado direito. Para o lado esquerdo você só imaginou, visualizou, não se mexeu nem um pouquinho...

Este exercício, baseado em ensinamentos bem antigos do Chi Kung chinês, e também da técnica criada por Moshe Feldenkrais, comprova que é possível fazer ginástica sem se mexer, só imaginando. Esse fato é muito importante para você trabalhar seu corpo, inclusive quando você está adoentado ou para pessoas muito idosas, que já não têm facilidade para fazer ginástica física. Faça e comprove os resultados.
Claro que os resultados desses exercícios são melhores seguindo técnicas mais suaves como Yoga, Tai Chi, Chi Kung etc, e muito menos com as técnicas da malhação, porque com estas o cérebro normalmente não consegue entender o que a pessoa pretende.
E há também bastante gente tendo bons resultados com a prática da ginástica mental e de visualização para melhorar o seu 'visual' físico. Experimente. Basta imaginar, visualizar, 'sentir' como você quer ser.

NEURÓBICA
Mendigo fumante descobre que para fazer um cigarro inteiro basta colar 5 bitucas (pedaço de cigarro fumado e jogado fora). Sai andando pelas ruas e consegue juntar 21 bitucas. Quantos cigarros ele consegue fazer?
Responda para roberto@jalternativo.com.br e acertando você ganha uma edição do Jornalternativo impresso.

Chacras e Cura Psíquica - Parte III

:: Wagner Borges :: 
(A Energia da Paz)

Devido à sua imaturidade, os homens padecem de um grande vazio em seus corações. E o resultado disso é uma grande confusão sensorial e uma alta propensão para climas belicosos.
Nem só de pão vive o homem, mas também de energia.
E o que faz com que sua força vital esteja em harmonia é o coração compassivo.
Pois, quando há Paz, uma nova Luz preenche o Ser. E o vazio consciencial desaparece... E as contendas também.
Portanto, mais do que energia, é necessário manter um clima pacífico nos centros vitais dos homens. Por isso, sugerimos aos estudantes espirituais que, à guisa de mantra, concentrem-se mentalmente na palavra PAZ em seus chacras**.
Façam isso com atenção, de baixo para cima, de chacra a chacra - da base da coluna até o lótus das mil pétalas*** -, e também com grande respeito e amor. Porque os chacras são como pequenos portais interplanos e interligam os homens a outras consciências e planos de manifestação.
Então, que cada um considere aos seus chacras como templos espirituais, no âmago de si mesmos. E que a Paz faça sua morada neles, para que a Luz lhes dê a devida qualidade.
Aquela luz que vem do Alto... Para inspirar os homens.
A Paz subindo pelos centros vitais da coluna...
A prece silenciosa viajando a favor do bem de todos...
O coração agradecido ao Alto...
E a consciência esclarecida, lúcida e serena, operosa e diligente, integrada aos magnos valores de Liberdade, Igualdade e Fraternidade.
Que a Paz não seja apenas uma palavra, mas torne-se consciência e atitude correta e compassiva. E, mesmo que muitos homens vivam sintonizados com as pesadas vibrações de discórdia - dentro e fora deles mesmos -, cabe aos estudantes e trabalhadores espirituais a propagação de vibrações pacíficas, para contrabalançar tais emanações deletérias.
Porque, aqueles que são esclarecidos espiritualmente, jamais permitirão que as ondas escuras da violência, do ódio e da vingança invadam seus corações.
E, mesmo diante do caos e das dificuldades do mundo, eles permanecerão fiéis à Luz e sintonizados com a Paz, que já viaja pelos seus chacras...
E com suas preces silenciosas e a propagação de energias serenas e benfeitoras –sempre amparados pelo Alto-, eles contrabalançarão a gritaria dos homens rendidos às trevas da violência.
Porque eles estão em Paz, e a Paz está com eles. E, por isso, o Grande Arquiteto Do Universo está em seus corações.

Om Shanti!****

P.S.:
Luz na senda.
Amor em profusão.
Paz nas ações.
Em tudo, serenidade e compreensão.
Sejam justos, honestos e equânimes.
E orem ou honrem ao Pai Celestial com atitudes sadias e de acordo com o bem comum.

Paz e Luz.

- Os Iniciados e Sanat Khum Maat***** –
(Recebido espiritualmente por Wagner Borges.)

- Notas:
** Chacras - do sânscrito - são os centros de força situados no corpo energético e têm como função principal a absorção de energia - prana, chi -, do meio ambiente para o interior do campo energético e do corpo físico. Além disso, servem de ponte energética entre o corpo espiritual e o corpo físico.
Os principais chacras são sete – que estão conectados com as sete glândulas que compõem o sistema endócrino: coronário, frontal, laríngeo, cardíaco, umbilical, sexual e básico.
*** Chacra Coronário - é o centro de força situado no topo da cabeça, por onde entram as energias celestes. É o chacra responsável pela expansão da consciência e pela captação das idéias elevadas. É também chamado de chacra da coroa. Em sânscrito o seu nome é sahashara, o lótus das mil pétalas. Está ligado à glândula pineal.
Obs.: A pineal é a glândula mais alta do sistema endócrino, situada bem no centro da cabeça, logo abaixo dos dois hemisférios cerebrais. Essa glândula está ligada ao chacra coronário, que, por sua vez, se abre no topo da cabeça, mas tem a sua raiz energética situada dentro dela. Devido a essa ligação sutil, a pineal - também chamada de epífise - é o ponto de ligação das energias superiores no corpo denso e, por extensão, tem muita importância nos fenômenos anímico-mediúnicos, incluindo nisso as projeções da consciência para fora do corpo físico.
**** Om Shanti – do sânscrito – Om: o Verbo Divino; a Primeira Luz; a Vibração do Todo, que interpenetra a tudo. É o grande mantra da cosmogonia hinduísta clássica.
Shanti: paz; a paz como estado de consciência do Ser.
Logo, Om Shanti significa Paz Divina – ou Paz Espiritual.
***** Os Iniciados - grupo extrafísico de espíritos orientais que opera nos planos invisíveis do Ocidente, passando as informações espirituais oriundas da sabedoria antiga, adaptadas aos tempos modernos e direcionadas aos estudantes espirituais do presente.
Composto por amparadores hindus, chineses, egípcios, tibetanos, japoneses e alguns gregos, eles têm o compromisso de ventilar os antigos valores espirituais do Oriente nos modernos caminhos do Ocidente, fazendo disso uma síntese universalista. Estão ligados aos espíritos da Fraternidade da Cruz e do Triângulo. Segundo eles, são iniciados em fazer o bem, sem olhar a quem.
Para saber mais sobre o mestre extrafísico Sanat Khum Maat, ver o texto 139 - postado pelo site do IPPB em 1999, e onde revelo alguns detalhes sobre sua presença espiritual -, no seguinte endereço específico: http://www.ippb.org.br/modules.php?op=modload&name=News&file=article&sid=3194.
Há outros textos dele postados na seção de textos periódicos do site enviados semanalmente - www.ippb.org.br. Devido à profundidade de seus apontamentos, é um dos mentores mais queridos dos leitores, que, frequentemente, enviam e-mails pedindo mais textos de sua autoria espiritual.
Obs.: A coletânea de textos espirituais de Sanat Khum Maat está publicada em meu oitavo livro: "Ensinamentos Extrafísicos e Projetivos", lançado pela Editora Madras, em 2005 - o livro pode ser encontrado nas livrarias e também pode ser adquirido diretamente no IPPB, ou por telefone, e ser enviado pelo correio. 

Chacras e Cura Psíquica - Parte II

:: Wagner Borges :: 

Cada chacra é uma janela para o invisível; um verdadeiro portal psicofísico que, freqüentemente, troca energias com outros planos de manifestação.
O chacra do topo de cabeça - chamado de chacra da coroa - é uma verdadeira festa de luz! É o centro energético que está ligado com a expansão da consciência e a multidimensionalidade.

É o chacra que sinaliza o caminho da evolução sideral; aponta para outras etapas do desenvolvimento do homem, para as estrelas e para o infinito, que começa a se esboçar no topo da cabeça, através das idéias maiores que surgem, pelo contato excelente com outras consciências que já vivem esse momento infinito.
É o centro pelo qual vêm às idéias avançadas e o contato com seres que não têm mais a forma humanóide. É a bússola espiritual na navegação sideral, que sinaliza a direção evolutiva do homem para outros orbes e para outras estrelas.
É o chacra que liga a consciência humana com a Consciência Universal!

O chacra da testa – frontal - é o centro da responsabilidade, pelo qual se aprende e se guarda na memória as informações.
É o chacra da visão espiritual, da intuição, da percepção, do conhecimento e da síntese intelectual. Ao mesmo tempo, é o chacra que suaviza a energia dos olhos.
É, por excelência, um sol na testa! E, suavemente, irradia luz para dentro dos olhos e é capaz de descansar a mente.

Porém, nos dias atuais, é um chacra sobrecarregado de tensões, pensamentos e excessos, funcionando de forma muito acelerada. No entanto, essa aceleração é artificial, motivada pelas luzes transitórias do mundo e pelo conhecimento parcial das coisas.
É necessário pensar no centro frontal, também, como um centro de descanso da mente, como um sol, que não apenas pulsa de dentro para fora, mas também para dentro dos olhos, para limpar a tela mental e suavizar a mente.
Esse chacra é capaz de carinho profundo!

O chacra da garganta – laríngeo - é, por excelência, o centro da comunicação e da mediunidade. É o centro artístico da expressão!
Está ligado à sensibilidade mediúnica, que capta a criatividade vinda de outros planos e de outras consciências.
Como é o centro da comunicação, sofre toda a repercussão da mesma. E, como é um centro situado entre a cabeça e o peito, sofre repercussão dos outros centros, constantemente. Por isso os grandes iniciados sempre ensinaram sobre o silêncio, para manter esse centro conservado. Aquele silêncio que capta a criatividade e melhora a expressão.
Esse é outro centro sobrecarregado pela correria do mundo moderno e pela necessidade premente de estar acelerado.
A visualização de uma jóia incrustada no centro laríngeo favorece o descanso desse centro; favorece a meditação suave e seu equilíbrio energético.

O centro peitoral – chacra cardíaco - é, por excelência, o canal de toda transformação afetiva, em que o homem instintivo se transforma em espiritual.
É o centro alquímico verdadeiro!
A verdadeira transformação ocorre no centro cardíaco. Todo amor, toda qualidade afetiva, todo abraço, todo idealismo por algo melhor está no chacra do coração. Toda cura, todo toque terapêutico e toda assistência espiritual vibra nesse centro. Inclusive, é um chacra capaz de abraçar humanidades situadas em outros orbes.
É o centro que dissolve o egoísmo e o bairrismo planetário - o racismo, os preconceitos sexuais, sociais, econômicos e de qualquer espécie.
Esse centro é um sol peitoral que jamais poderá ser envenenado pelas péssimas vibrações da vingança. O ódio gera uma energia viscosa e escura, que adere no centro cardíaco como uma espécie de piche consciencial. Jamais permitam desejos de vingança acalentados! Por mais ocultos que eles estejam, são observados extrafisicamente. O sol peitoral não pode ser nublado pelas nuvens do ódio nem envenenado por maledicência alguma.

O centro abdominal – chacra umbilical - é, por excelência, o centro das emoções densas, misturadas com o processo da alimentação normal.
É um centro de grande vitalidade!
Também é altamente sobrecarregado pela tensão emocional. Porém, é um centro terno e suave para quem souber trabalhar com ele; para quem imaginar um sol umbilical! É como um sol suave e generoso, que vai se expandindo, não pela força, mas pelo sentimento, pela generosidade, que não está apenas no centro peitoral, também flui no centro umbilical, apaziguando os órgãos abdominais, toda a região da cintura e das costas e equilibrando as emoções mais densas.
É um centro de grande capacidade ectoplásmica!
E tem alta ressonância com as energias dos vegetais, com as energias do mar e do vento e com as energias da natureza em geral.
A energia verde é excelente para este centro - o verde esmeralda; o verde da natureza!

O centro sexual – chamado de chacra sacro - é, por excelência, o centro da reprodução. Também é o centro que traz toda a sensação corporal de calor ou de frio, através da pele. É o centro do prazer!
É também um centro altamente sobrecarregado, seja pela repressão sexual, ou por sua exacerbação.
É necessário visualizar um sol no baixo ventre - um sol branco, o mais brilhante possível -, para que limpe as formas mentais aderidas, não somente desta vida, mas de outras também, e de uma eventual sexualidade mal resolvida.

O centro da base da coluna – chacra básico – é a sede dos desejos mais densos.
Muitas vezes, esse chacra é como se fosse um menino. Ora, cheio de explosões emocionais em relação aos valores da terra; ora, tímido, com medo desses mesmos valores e da própria vida.
É um chacra muitas vezes minimizado em sua importância, por ser um centro que está na parte inferior do corpo. Entretanto, é um verdadeiro sol que sustenta o equilíbrio do corpo! E carrega o sangue de energia - a força vital planetária.
Nenhum dos sete centros pode ser menosprezado. Cada um tem a sua importância no contexto vital do Ser. Desde a base da coluna até o topo da cabeça, deve haver harmonia.
A base da coluna vibra, por excelência, na cor dourada - que é capaz de estabilizar o vermelho denso que vem da terra - harmonizando as outras energias e mantendo o equilíbrio do corpo saudável.

Os centros secundários têm relativa importância - como os centros energéticos dos pés -, por onde entra a energia planetária. Esses pés, que sustentam o equilíbrio do corpo e que seguram, muitas vezes, a tensão e o cansaço corporal, por todo um dia.
É necessário acender os chacras das plantas dos pés, como se fossem dois sóis branco- fluorescentes pulsando suavemente e dando-lhes a devida atenção - tratando os pés com respeito, amor e agradecimento.
Os chacras das palmas das mãos são centros, por excelência, do toque, da cura e da gesticulação, expressando idéias e sentimentos. São excelentes para dispersão de energias pesadas em torno, através dos diversos métodos de manipulação manual da energia.
Desde as plantas dos pés ao alto da cabeça, o mesmo ser brilhante, com todos os centros potencializados pela força da vontade, pela disciplina perene e pela consciência que trabalha.
Os chacras são centros de força vital!**
Por eles, são feitas leituras psíquicas e espirituais. Neles, seres de outros planos lêem tudo aquilo que vai dentro das energias de alguém. Seres que se apresentam com formas só de luz, sem a limitação da forma humanóide, quando observam o ser humano, como no presente momento, o fazem por esses chacras. Eles não observam a forma humana, mas os centros energéticos!
Os centros inferiores estão ligados à Terra: agradeça ao planeta, por hospedá-lo por mais uma vida!
Os centros superiores estão ligados ao Cosmos, ao qual se agradece toda a amplitude e novas oportunidades de conhecimento futuro.
O homem está entre o Céu e a Terra. É um elemento híbrido: veio das estrelas, mas ocupa um invólucro terrestre. Tem as duas naturezas em si mesmo: é filho da terra e é filho do espaço!
Deve saudar sua Mãe-Terra; deve saudar o Pai-Espaço! Tudo isso dentro do próprio coração.

Quando pensar em alguém querido que partiu, selecione um dos sete centros principais e tente sentir aquela consciência por esse chacra.
Pode ser qualquer um dos centros principais, e isso varia de dia para dia, de acordo com as circunstâncias de vida de cada pessoa. Uma hora, você vai sentir isso no coração; outra hora, na testa. Portanto, é necessário entrar, de um a um, nesses chacras e perceber por onde é que você está mais sensível naquele momento.
Sempre focando a consciência no centro luminoso escolhido. E, ali, suavemente, asculte psiquicamente o universo à sua volta; perceba o que está no ambiente e eleve a vibração, para perceber algo a mais.
Pense na pessoa amada, sem dramas e sem emoções torpes. Pense num contato sadio de pessoas que se amam e que se abraçam e sorriem... E que se alegram no contato!
E, por aquele centro, sinta a presença do ser amado, que pode estar em um outro plano, ou até mesmo em um outro orbe. Mas há a conexão psíquica pelos chacras.
Essa é a chave mediúnica avançada: sentir psiquicamente pelos chacras; se comunicar e se ligar pelos centros vitais. É possibilidade de qualquer estudante espiritual, de qualquer nível. Demanda trabalho e esforço, porém é factível para qualquer pessoa dedicada.
Sempre lembrando que esse é um profundo mergulho de espírito. Deve haver amor! Deve haver elevação da consciência e objetivos nobres.

Se o contato for feito por apego, a tendência é que outras entidades entrem na corrente da comunicação e estraguem o processo. O contato precisa ser feito de alto nível, de consciência a consciência, para que ambas fiquem felizes, lá e aqui.
Chega de contato lacrimoso. Chega de dramas entre os homens e os espíritos. Chega de ilusão. O contato precisa ser saudável! Consciências avançadas com consciências avançadas, seguindo no caminho do infinito...
Nada de dramas no contato espiritual! É hora desse contato ser alegre, consciente e dinâmico. É hora de vocês apertarem as mãos uns dos outros, entre planos - abraçarem uns aos outros. Mesmo que os corpos – denso e sutil -, não sejam mais compatíveis, os chacras o são. E, pela ligação energética e psíquica entre eles, daqui e de lá, é feita a conexão.

Nenhum iniciado sadio foi contra o exercício da mediunidade nos tempos antigos. O que sempre se alertou foi sobre o contato inquieto e aflitivo com as entidades extrafísicas dramáticas e trevosas.
E, conhecendo o ser humano e seus apegos, é mais do que certo que contatos elevados não se darão facilmente; não enquanto o ser humano não transcender os limites dos sentidos e das emoções grossas.
Se o contato for através de perspectivas avançadas, nada poderá interpor-se entre as consciências. Mas que esse contato seja por objetivos nobres e que, inclusive, realize trabalhos de assistência espiritual no processo.
Que não seja um contato por curiosidade ou por mediocridade. Que seja de consciência a consciência. Ou, como diziam os antigos mestres: de coração dourado a coração dourado... Para que tudo brilhe!
Na Terra ou no Espaço, que tudo brilhe!
E que os homens, da Terra ou do Espaço, sejam felizes!
Tanto os que estão na carne, quanto os que estão fora dela.

- Os Iniciados*** –
(Recebido espiritualmente por Wagner Borges.)

- Notas:
* Esses escritos são a transcrição de gravações de mensagens psicofônicas recebidas dos mentores extrafísicos, durante uma reunião do grupo de estudos e assistência espiritual do IPPB.
** Tradicionalmente, dentro de estudos espiritualistas ocidentais, quando se faz uma correlação dos chacras com as cores, se utiliza a classificação de cores oriunda da refração da luz no espectro, na seguinte sequência:
- Vermelho / chacra básico;
- Laranja / chacra sexual;
- Amarelo / chacra umbilical;
- Verde / chacra cardíaco;
- Azul celeste / chacra laríngeo;
- Índigo / chacra frontal;
- Violeta / chacra coronário.
Contudo, essa correlação não é absoluta, pois os chacras mudam de cores de acordo com os pensamentos e sentimentos da pessoa. Aqui nesse estudo, a visualização das cores está relacionada ao ponto de vista extrafísico dos mentores espirituais sobre o tema. As cores sugeridas por eles são úteis para as condições específicas que eles apontaram na comunicação. Ou seja, são visualizações direcionadas às cores que equilibrariam melhor os chacras sob certas condições.
*** Os Iniciados - grupo extrafísico de espíritos orientais que opera nos planos invisíveis do Ocidente, passando as informações espirituais oriundas da sabedoria antiga, adaptadas aos tempos modernos e direcionadas aos estudantes espirituais do presente.
Composto por amparadores hindus, chineses, egípcios, tibetanos, japoneses e alguns gregos, eles têm o compromisso de ventilar os antigos valores espirituais do Oriente nos modernos caminhos do Ocidente, fazendo disso uma síntese universalista. Estão ligados aos espíritos da Fraternidade da Cruz e do Triângulo. Segundo eles, são “iniciados” em fazer o bem, sem olhar a quem.

Chacras e Cura Psíquica - Parte I

:: Wagner Borges ::

Há traumas que estão gravados na psique, de forma inconsciente, mas ativa, causando bloqueios e fobias. Isso ocorre no corpo sutil e se reflete no corpo denso.

Os chacras* guardam informações preciosas sobre esse processo. Cada um deles é um pequeno portal psíquico e energético, refletindo as condições do Ser.
Existem diversas alternativas para tratar essas síndromes psíquicas:
- Visualizações criativas, terapias descondicionantes, tratamentos psíquicos adequados, meditações, conversas profundas com terapeutas corretos - com a abordagem mais adequada ao temperamento da pessoa -, rituais de quebra do passado, técnicas retrocognitivas - regressões de memória -, ou práticas espiritualistas - xamânicas, naturalistas, animistas, mediúnicas, iogues e outras em que a pessoa se sentir bem.

O que não se pode fazer é deixar o problema de lado, pois os bloqueios interferem diretamente na vida da pessoa. É preciso correr atrás de soluções, para devolver o brilho dos olhos e o tesão de viver.
No entanto, por melhor que seja o caminho escolhido nessa busca pela cura, o processo é sempre dentro da psique da própria pessoa. A cura reside nela mesma.

Técnicas e terapias são ferramentas de fora; ajudam muito, principalmente, em momentos de crises. Mas são alternativas de fora e valem como meio para se chegar ao verdadeiro alvo: a própria psique.

Uma das técnicas alternativas sugeridas pelos sábios espirituais da antiga Índia é o mergulho consciente nos chacras. Entrar psiquicamente neles, de um em um, desde a base da coluna até o centro coronário, no alto da cabeça.

Considerar cada chacra como um portal sagrado em si mesmo. Entrar por eles com respeito e admiração, como se entra num templo espiritual. Com amor e paciência, orar dentro de cada um deles. Procurar localizar qual é a fonte do problema e saber calcular qual é o chacra a ser trabalhado mais especificamente na cura em questão.
Por exemplo: bloqueio sexual: chacra sexual. / bloqueio afetivo: chacra cardíaco. / bloqueio de expressão: chacra laríngeo; e assim por diante.

Há casos em que mais de um chacra estão envolvidos; por isso é bom trabalhar todos regularmente, da melhor forma que a pessoa se adequar e se sentir bem. O importante é entrar neles com amor e paciência. Nada ocorre do acaso ou sem trabalho. Tudo demanda tempo e esforço. É necessário constância e qualidade no trato com as energias sutis.
Não é apenas encher os chacras de luz ou cores, ou mesmo realizar alguma técnica bioenergética; é preciso trabalhar a parte psíquica também!

Sem amor não há cura; sem transformação não há alquimia alguma.
Da base da coluna até o topo da cabeça, de um em um, enchendo os mesmos de luz e orando ao "Amor Que Ama Sem Nome", com modéstia, lucidez e alegria serena.
Paciência na jornada. Ou, melhor dizendo, essa é a arte da "PAZ-CIÊNCIA".

Obs.: Pessoas em tratamento não devem abandonar seus medicamentos ou terapias por causa do trabalho com os chacras. Nos momentos de crise, é necessário procurar ajuda qualificada. Esse trabalho sugerido aqui é para aqueles que queiram colaborar no próprio processo de cura. Conhecer um pouco de si mesmo é sempre bom. Ajuda em qualquer coisa, desde que realizado com discernimento e consciência das coisas**.

- Notas:
* Para facilitar a compreensão dos leitores, deixo na sequência uma síntese sobre os chacras:

Chacras - do sânscrito - são os centros de força situados no corpo energético e que têm como função principal a absorção de energia - prana , chi - do meio ambiente para o interior do campo energético e do corpo físico. Além disso, servem de ponte energética entre o corpo espiritual e o corpo físico.

Os principais chacras, que estão conectados com as sete glândulas que compõem o sistema endócrino, são sete: coronário, frontal, laríngeo, cardíaco, umbilical, sexual e básico. Suas características básicas são as seguintes:

- Chacra Coronário - é o centro de força situado no topo da cabeça, por onde entram as energias celestes. É o chacra responsável pela expansão da consciência e pela captação das idéias elevadas. É também chamado de chacra da coroa. Em sânscrito, o seu nome é Sahashara, o lótus das mil pétalas. Está ligado à glândula pineal.
Obs.: A pineal é a glândula mais alta do sistema endócrino, situada bem no centro da cabeça, logo abaixo dos dois hemisférios cerebrais. Essa glândula está ligada ao chacra coronário, que, por sua vez, se abre no topo da cabeça, mas tem a sua raiz energética situada dentro dela. Devido a essa ligação sutil, a pineal - também chamada de epífise - é o ponto de ligação das energias superiores no corpo denso e, por extensão, tem muita importância nos fenômenos anímico-mediúnicos, incluindo nisso as projeções da consciência para fora do corpo físico.

- Chacra Frontal - é o centro de força situado na área da glabela, no espaço espiritual interno da testa. Está ligado à glândula hipófise - pituitária - e tem relação direta com os diversos fenômenos de clarividência, intuição e percepções parapsíquicas. É o chacra da aprendizagem e do conhecimento. Em sânscrito, ele é conhecido como Ajna, o centro de comando.

- Chacra Laríngeo - é o centro de força situado em frente da garganta. É o responsável pela energização da boca, garganta e órgãos respiratórios. Está ligado à glândula tireóide. Bem desenvolvido, facilita a psicofonia e a clariaudiência. É considerado também como um filtro energético que bloqueia as energias emocionais, para que elas não cheguem até os chacras da cabeça. É o chacra responsável pela expressão criativa - comunicação - do ser humano no mundo. O seu nome em sânscrito é Vishudda, o purificador.

- Chacra Cardíaco - é o centro de força responsável pela energização do sistema cárdio-respiratório. É considerado o canal de movimentação dos sentimentos. Por isso, é o chacra mais afetado pelo desequilíbrio emocional. Bem desenvolvido, torna-se um canal de amor para o trabalho de assistência espiritual. Está ligado à glândula timo. O seu nome em sânscrito é Anahata, o inviolável, o invicto, o som sutil do espírito imperecível.

- Chacra Umbilical - é o centro de força abdominal, responsável pela energização do sistema digestório. Está ligado ao pâncreas. É considerado o chacra das emoções inferiores. Quando está bloqueado, causa enjôo, medo ou irritação. Bem desenvolvido, facilita a percepção das energias ambientais. É chamado em sânscrito de Manipura, a cidade das jóias.

- Chacra Sexual - é o centro de força responsável pela energização dos órgãos sexuais. Está ligado às gônadas: testículos no homem; ovários na mulher. Quando está bloqueado, causa impotência sexual ou desânimo. Quando super-excitado, causa intenso desejo sexual. Bem desenvolvido, estimula o melhor funcionamento dos outros chacras e ajuda no despertar da kundalini . É o chacra da troca sexual e da alegria. O seu nome em sânscrito é Swadhistana; a morada do eu - ou morada do sol; ou a morada do prazer.

- Chacra Básico - é o centro de força situado na área da base da coluna. É o responsável pela absorção da energia telúrica e pelo estímulo direto da energia no corpo e na circulação do sangue. Está ligado às glândulas supra-renais e tem relação direta com os fenômenos bionergéticos e parapsíquicos oriundos da ativação da kundalini. O seu nome em sânscrito é Muladhara, a base e fundamento do corpo.

Sobre a questão da kundalini, esse é um tema complexo demais para ser descrito nesse artigo. O seu estudo envolve o conhecimento aprofundado dos chacras, dos nádis que correm ao longo da coluna - ida, pingala e sushumna -, e das glândulas endócrinas, bem como um conhecimento básico dos yantras e bijas-mantras específicos para sua ativação.
Kundalini - do sânscrito - significa literalmente "enroscada". Esse nome deve-se ao seu movimento ondulatório que lembra o movimento de uma serpente. Daí a expressão esotérica "fogo serpentino". Ela também é chamada pelos iogues de "Shakti" - do sânscrito - a força divina aninhada na base da coluna.
Kundalini nada tem a ver com o sexo diretamente, muito embora seja a energia que ativa e vitaliza a sexualidade. Devido à prática de exercícios tântricos que envolvem a contenção do orgasmo, quando esse conhecimento chegou ao Ocidente foi logo desvirtuado. Hoje, esse tema surge associado a rituais e posturas sexuais aqui no Ocidente. No entanto, o despertar da kundalini é um processo puramente espiritual e energético em essência. Envolve a ativação dos chacras, principalmente do chacra cardíaco, que equilibra e distribui corretamente o fluxo ascendente da shakti ao longo dos nádis. Não significa acender um foguete esotérico no traseiro e decolar pelos nádis ao longo da coluna, como muita gente imagina. "Acender" não significa necessariamente "ascender".
Particularmente, não gosto do processo de despertar da kundalini que é feito por grupos esotéricos ocidentais. Prefiro o trabalho mais energético e naturalista do Yoga. 

quinta-feira, 12 de abril de 2012

A ilusão do Corpo


por Nathalie Favaron - nathamm@terra.com.br

O corpo é uma ilusão.
O corpo como nós o conhecemos é apenas uma parte.
É a parte da ilusão.
Da ilusão de que ele representa tudo e que é independente do resto de nós.
O corpo é a morada da Alma. É a densidade do espírito. É a forma pela qual se manifestam nossos medos e emoções.
Destaco o medo, pois este é o começo de todas as ilusões. Sim, as ilusões, pois o medo foca naquilo que não temos ou que perderemos, e essa é a maior ilusão.
Não temos nada, tudo é “emprestado”, pois estamos aqui de passagem.
Como numa viagem de férias, que nos dirigimos a um hotel ou casa alugada de veraneio. Nós entramos lá, passaremos um tempo, usufruiremos de algo, mas sabemos que estamos de passagem.
E ainda assim cuidamos da casa, do hotel, das tolhas, pois por ali ficaremos um tempo.
Nosso corpo funciona assim, abriga nossa Alma por um tempo.
Devemos cuidar bem dele para que a estadia seja proveitosa e agradável.
E o que ajuda nosso corpo?
Os alimentos que ingerimos sem duvida nenhuma.
Todos conhecemos a frase “somos aquilo que comemos”.O que nos alimenta com amor e pureza, nos dá força, disposição, bom humor e saúde. A água pura nos hidrata, revilatiza e abastece. Faz a energia circular.
Os exercícios físicos que movimentam os músculos, ossos e nervos, avisando todo o sistema que estamos vivos e despertos também contribuem.
É a energia vital que circula por todo o corpo e ativa nossa máquina para seu pleno funcionamento.
E os pensamentos? Esses, sim, são um mistério.
São aqueles responsáveis pelas nossas emoções e sentimentos. São os gatilhos do bem-estar e do mal-estar.
São o alimento da Alma que controlam o nosso humor e saúde.

Experimentem um rápido exercício:

Pensem em algo, agora, que faça você se sentir bem, feliz, plena(o), amada(o), querida(o), importante...
Pode ser uma lembrança de algo que já aconteceu ou a imagem ou idéia de algo novo.
Percebam como este pensamento afeta suas emoções, sensações....
E percebam qual o efeito no seu corpo agora.
Isso mesmo, prestem atenção às sensações que os pensamentos e sentimentos causam no seu corpo físico.
Pensem em amor, carinho, bem-estar, disposição e sintam isso nas suas pernas, nos seus ombros, no seu peito...
Permitam que a conexão aconteça com o campo de todo bem estar. PLUG com o Universo.


E compreendam que quando aceitamos que não temos nada e nos desapegamos dos pensamentos de falta, carência e medo e aceitamos a transitoriedade da vida, nós Plugamos no Universo.
E, assim, recebemos tudo. 
A conexão com a fonte -o PLUG- nos dá a certeza da abundância e da eternidade.
Estamos apenas de passagem; inquilinos e hóspedes da vida.
Plugados somos parte integrante do todo. 
Donos da vida.Eternos na vida, na vida maior.
O que você quer escolher para sua vida hoje?

domingo, 8 de abril de 2012

Você se sente realizado?



:: Graziella Marraccini ::

Você se sente realizado? Quantas vezes nos fazemos esta pergunta e não conseguimos responder! Para responder a essa pergunta é preciso reconhecer primeiramente o que significa 'realização' para cada um de nós. Desde pequeninos temos objetivos e quando os alcançamos sentimos dentro de nós uma satisfação imensa, uma emoção que identificamos como realização e que nos faz muito bem. A realização, portanto, teria relação com o alcance de nossos objetivos, que, digamos a verdade, vão mudando ao longo da vida. Quando somos pequeninos, a mamadeira, o colo da mãe e o conforto de uma caminha quentinha é suficiente para nossa realização. No entanto, crescemos e sentimos necessidade de socializar, explorar o mundo, namorar, amar, casar, ter filhos, etc. E também existe a realização material, o conforto proporcionado pelo dinheiro e pelos bens materiais que podem ser provenientes da nossa profissão. A realização profissional. E depois, os bens materiais não nos bastam e vamos em busca de outra coisa. A auto-realização se torna então um objetivo premente.

A astrologia, especialmente a cabalística, nos ensina que numa primeira parte da vida buscamos realizações mais materiais, relacionadas com o nosso Ego (Lua) e com as suas necessidades. Como já expliquei em artigos anteriores, a Lua, que representa o nosso condicionamento familiar, cultural e social, funciona como o cocheiro de uma carruagem cujo passageiro é o Sol (nosso padrão de identificação) e que leva essa carruagem ao longo de um caminho (da vida) em busca de seu objetivo derradeiro: a meta de evolução do espírito.

Para conseguir percorrer esse caminho e realizar os objetivos do Sol, a Lua precisa saber conduzir os 'cavalos', ou seja, os elementos animais e instintivos de nosso corpo físico. Por esta razão, precisamos primeiramente conhecer e dominar nossos instintos básicos para que eles nos ajudem e não atrapalhem o nosso caminho. Os elementos animais e instintivos de nosso corpo se relacionam com os quatro elementos e também com quatro planetas principais: Mercúrio - aprendizado e comunicação; Vênus - busca do prazer e satisfação; Marte - instinto sexual e espírito de iniciativa; Júpiter - socialização e evolução moral. Na base, portanto, são esses instintos que nos ajudam a progredir nos primeiros anos da vida e isso é necessário. Creio que todos conhecemos aquela frase que diz: pensamos, como pensamos agimos e como agimos forjamos nosso destino! Pois é essa forma de pensamento, portanto, que está na origem de todas as nossas escolhas. Podemos então dizer que, dificilmente, antes do primeiro retorno de Saturno (que acontece por volta dos 28 anos) sentimos a necessidade de nos perguntar o que fazemos aqui, aonde vamos e quais são nossos objetivos de vida. Vivemos ao ritmo da Lua, como já expliquei em outro artigo publicado no STUM. A Lua, nosso cocheiro, leva os cavalos ou é levada por eles? Se nossos instintos e necessidades físicas comandam nossas ações, então, estaremos sendo reféns do lado vegeto-animal de nosso ser. Isso acontece principalmente nos primeiros anos de vida, também até os 28 anos aproximadamente, pois a satisfação emocional é a primeira necessidade básica de todo ser humano. Procuramos conforto, alimento, segurança, prazer, e realização de desejos, tudo muito natural, ou seja, da nossa natureza animal.

Porém, na medida em que evoluímos espiritualmente, a realização dos desejos físicos não será suficiente para nós! Esses são prazeres efêmeros e não satisfazem nosso Eu Interior. Afinal, por mais que sejam necessárias, essas realizações não significam a nossa 'verdadeira realização'. A nossa verdadeira realização é aquela que conseguimos após reconhecer a nossa meta espiritual, aquela que foi escolhida por nosso Espírito/Sol e que encarna com uma meta bem definida, mesmo se nem sempre reconhecida. Portanto, somente conhecendo profundamente nossa verdadeira identidade poderemos alcançar nossa meta e então, sim, nos sentiremos completamente realizados. Escolhemos uma profissão num período da nossa vida onde nossas ideias sobre o Eu Espiritual ainda não estão muito claras. Podemos então trilhar caminhos que nos foram indicados pela família, pela sociedade, ou até pela conveniência monetária. Mas, passados alguns anos, quando a parte material e física de nossa vida já estiver sendo preenchida, nos encontramos com um enorme vácuo interior, um vazio indefinido que produz inquietude e insatisfação. Então, começamos nossa busca pela auto-realização. Essa busca pode ser curta ou longa, dependendo de nossa maior ou menor dependência com nossos cavalos/instintos. Mas afinal, nossa carruagem não irá a lugar nenhum se não conseguirmos conhecer e dominar a natureza de nossos cavalos! E nosso Eu/ Sol precisará dar ordens à Lua, compreendendo suas necessidades (emocionais e sentimentais), mas sem perder de vista seus objetivos. Somente com esse autoconhecimento e com o domínio do espírito sobre a matéria é que poderemos alcançar a realização. E reconheceremos quais são os reais objetivos de nossa existência na terra e que auxiliarão a evolução do nosso espírito!

Não afirmo que isso seja fácil e nem rápido. Porém, garanto que existem várias ferramentas para conseguir esse objetivo. O conhecimento de nosso Mapa Astral Natal, o acompanhamento anual dos ciclos planetários (progressões anuais e revoluções solares) representam uma ferramenta poderosa, rápida e clara para esse fim. Numa só consulta (presencial ou não) com um astrólogo competente, você poderá obter esclarecimentos sobre muitos pontos obscuros de sua personalidade e consequentemente de seu destino. Esse é o verdadeiro papel da astrologia: fornecer para você uma análise clara, rápida e segura de seu mapa natal que nada mais é que sua 'equação pessoal' ou seja algo único que mostra como numa 'radiografia' qual será seu destino e como você alcançará a realização de seus objetivos. Então, caro leitor, você já fez o seu mapa astral? Já fez sua progressão anual? Aproveite a promoção atual que inclui a leitura do mapa natal + a progressão anual (trânsitos planetários) e avance no caminho da auto-realização! Veja no meu site pessoal (www.astrosirius.com.br) como fazer para marcar a sua consulta e aproveite para ler mais artigos sobre essa ciência de autoconhecimento chamada astrologia.

Caros leitores, estarei atendendo no Rio de Janeiro e em Niterói de 18 a 26 de abril, mas infelizmente já não tenho mais horários disponíveis. No entanto, voltarei novamente e também poderei agendar visitas em outras cidades! Escrevam e manifestem seu interesse para eu poder programar uma visita em sua cidade! E não esqueçam que atendo a distância, pelo Skype ou enviando uma interpretação em mp3.

Agradeço imensamente as contribuições que recebo através dos emails e também dos feedbacks de clientes (ou pacientes?) que já confiaram em minhas interpretações. Desejo a todos uma semana cheia de Luz, Harmonia e Paz Interior!

sábado, 7 de abril de 2012

O Dragão na Alquimia



Na alquimia, o dragão foi considerado ser de metal, matéria do corpo físico. Muitas vezes mencionado em conjunto com o dragão era a irmã do dragão: o espírito, o mercúrio metálico e a alma. Na antiga Alquimia usaram a imagem de um dragão ou serpente alada como um de seus muitos símbolos secretos. Um símbolo comum de trabalho alquímico espiritual era o dragão ou a serpente segurando a cauda em sua boca um círculo sem fim, uma eternidade. Junto a este círculo dragão foi escrito o lema grego "en para se deslocar" ou "tudo é um." A Pedra Filosofal fábula de alquimia também foi considerado. Esta pedra estava intimamente ligado em escritos antigos com a Grande Obra da alquimia, a grande obra significa simplesmente a humanidade tornar-se Deus ou a fusão das Forças Supremas criativas, completando assim o ciclo de crescimento humano, retornando à Fonte.


Jung escreveu que os alquimistas consideravam o dragão alado como feminino, os dragões sem asas como masculino. Jung considerou também água em sonhos e análise de como o espírito inconsciente ou o dragão de água do Tao. Este dragão de água do Tao simbolizava o yang, um crescimento equilibrado em espírito. No simbolismo taoísta chinês o dragão foi visto como "o Caminho"o portador de mudanças eternas. Muitas vezes era retratado como guardião da Pérola Flamejante ou perfeição espiritual. Joseph Campbell também fala do dragão alado ou serpente como sendo o saldo entre a Terra e Espírito. Para os chineses o dragão era um símbolo potente da sorte e do poder. Amuletos de prata de dragão foram usados ​​para ajudar a ganhar estas qualidades.

("Dancing with Dragons" D. J. Conway)

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Lista de Plantas Medicinais


  
Agrião (Nasturtium officinale) - folhas. talos. raízes - elimina o ácido úrico, febre, tosse, icterícia, escorbuto, bócio e diurético

Alcachofra (Cynara scolymus) - folhas - poderoso hepatoprotetor

Alecrim do norte (Lantana microphylla) - folhas - tônico, afecções das vias respiratórias, e banhos relaxantes

Alecrim rosmanarius (Rosmarinus officinalis) - folhas - estimulante, circulatório, tônico capilar e usado em inalação

Alfavaca (Oncimum basilicum) - folhas - digestiva, dores estomacais, gases, aperiente, estafa nervosa, aftas, bronquite, gripes fortes

Alfazema (Lavandula officinalis) - folhas - calmante, vertigens, analgésica, asma, rinite, enxaqueca, gases

Alho  (Allium sativo) - bulbos - hipotensor, bactericida, febres,vermífugo digestivo, afecções catarrais, rouquidão.

Aniz estrelado (Illicium verum) - frutos - relaxante, insônia, gases, digestivo.

Arnica (Arnica montana) - flores - cicatrizante, combate hemorragias leves, anti-inflamatório, anti-térmico. problemas renais, inflamações oculares, má circulação. As folhas são tóxicas

Aroeira (Schinus aroeira)  - cascas - antidiarréica, balsâmica, vias urinárias e respiratória, furúnculos, contusões, icterícia, erisipela

Arruda (Ruta graveolens) - folhas - calmante, menstruação irregular, abortivo

Artemísia  (Artemisia vulgaris) - folhas - nevralgia, cólica menstrual, vermífugo, circulatória

Barbatimão (Stryphnodendron barbatimão) - cascas - fraqueza em geral, antidiarréico, anti hemorrágico. cicatrizante, utilizado na higiene íntima

Boldo do chile (Peumus boldus) - folhas - hepatoprotetor, ajuda a digestão, sonífero suave, elimina uréia, ácido úrico, cálculos biliares e oxalato de cálcio

Cabelo de milho (Zea mays) - filamentos da espiga - diurético, elimina ácido úrico e fosfato, sedativo na cólica renal, nefrite, cistite

Café (Coffea arabica) - sementes - cardiotônico, estimulante, diurético, intoxicações.

Camomila (
Matricaria camomilla) - flores - cólicas, regulariza a função digestiva, enxaqueca

Canela (Cinnamomun zeylanicum) - folhas, cascas - analgésica, diurética e purificante, infecções urinárias e intestinais, artrite, cálculo renal, cistite, colesterol, dores musculares, articulares e reumatismo

Capim santo (Cymbopogom citratus) - folhas - bactericida, antiespasmódico, calmante, analgésico suave, carminativo, problemas no estômago, diurético, sudorífico, indicado no tratamento da hipertensão, anti-reumático

Carqueja (Baccharis trimera) - folhas e galhos - hepatoprotetora, digestiva, diurética, émagrecedora, excelente no tratamento de reumatismo , diarréias , cálculos biliares , inflamações das vias urinárias , má digestão. Promove o equilíbrio e o funcionamento de fígado, pâncreas e baço

Carambola (Averrhoa carambola) - folhas, frutos, cascas - problemas renais, febrífugo (folhas), ação anti-escorbútica (frutos), disenteria (cascas)

Castanha da índia (Aesculus hippocatanum) - folhas - má circulação, flebite, varizes e hemorróidas

Cavalinha (Equisetum arvense) - folhas e caules - revitalizante, diurético, ácido úrico, circulação, hipertensão, rins.

Centella asiatica (Hydrocotyle asiatica) - folhas - má  circulação, antiinflamatório, tônico vascular e cicatrizante

Cidreira (Lippia alba) - folhas - problemas digestivo, dores, estresse

Coentro (Coriandrum sativum) - sementes, folhas - digestivo, gases, colite, problemas hepáticos leves

Confrei (Symphytum officinale) - folhas - cicatrizante, problemas gastrintestinais, disenterias, inflamações, reumatismos, hemorróidas, tosses. O uso prolongado é prejudicial ao fígado.

Cravo da índia (Caryophyllus aromaticus)  - flores - estomacal, digestivo, gases, antisséptico

Cúrcuma (Curcuma longa) - rizomas - estimulante, fígado, vias urinárias, icterícia, bronquite

Espinheira santa (Maytenus ilicifolia) - folhas - gastrite, úlcera, cicatrizante, tônico, analgésico, anti-séptico, cicatrizante

Erva doce (Pimpinella anisum) - sementes - tosse, cólica intestinal, vômito, lactação, estimulante

Eucalipto (Eucalyptus globulus) - folhas, cascas - o chá das folhas ou cascas da árvore é antissépticopulmonar, intestinal, anti-asmático, hemostático, febrífugo, anti-catarral. Pode ser utilizado como chá ou inalante

Dente de Leão (Taraxacum officinale) - raízes. flores e folhas - auxiliar no tratamento de distúrbios hepáticos. Diurético,  tônico, digestivo, estimulante do fígado e das glândulas linfáticas, dos rins, ajuda eliminar uréia, colesterol e ácido úrico. Alivia anemia, insuficiência hepática, cistite, reumatismo, gota. Combate gases e prisão de ventre

Funcho (Foeniculu mvulgare) - frutos - aromático, carminativo, expectorante 
Gengibre (Zingiber  officinale) - rizoma - circulatório, tônico, asma, bronquite, rouquidão, colesterol.

Ginseng (Panax ginseng) - rizoma - energético geral, melhora a circulação sanguínea, cardiotônico, estimula a memória e a concentração, afrodisíaco, estimulador imunológico, alivia e estresse

Goiabeira (Psidium guajava) - folhas - antidiarréica, afecções da boca e garganta, incontinência urinária, gengivites, ulcerações da cavidade bucal, constipação

Graviola (Solanum paniculatum) - folhas - diabetes, colesterol, emagrecimento, vitaminizante , reumatismo

Guaco (Mikania guaco) - folhas - alivia os sintomas da gripe, expectorante, tosse, bronquite, resfriados, inflamações de garganta

Hortelã-graúda  (Mentha grandiflora) - folhas - afecções da garganta, tosse, bronquites, dor de cabeça, dor de ouvido, inflamação no colo do útero

Ipê-roxo (Tabebuia avellanedae) - cascas - anticancerígeno

Jaborandi (Pilocarpus jaborandi) - folhas - tônico capilar, anti-inflamatório, reumatismo, febrífugo, diarréias, diabetes, problemas renais

Jatobá  (Hymenea courbaril) - folhas, cascas - diarréia, tosse, bronquite, problemas de estômago e fungos nos pés

Jurubeba (Solanum paniculatum) - folhas, frutos, raízes - hepatoprotetor, icterícia, hepatite, anemia, diabetes (raízes)

Kawa kawa (Macropiper methysticum) - raízes - angústia nervosa, tensão, agitações, ansiedade, insônia.

Laranjeira (Citrus sinensis) - flores, folhas, frutos - estomacal, estimulante sedativo, febre, gripe, resfriado

Língua-de-sapo (Peperomia transparens) - folhas, caules - hipertensão, diurético, colesterol

Lobélia (Lobelia inflata) - asma, dispnéias em geral, tosses, bronquites, expectorante.uso apenas sob prescrição médica

Losna (Artemisia absinthium) - folhas - falta de apetite, diabetes, fígado, vermífuga

Louro (Laurus nobilis) - folhas - auxilia a digestão, cólica menstrual

Lúpulo (Humulus Lupulus) - flores - anti úlcera, calmante, insônia crônica, ansiedade, taquicardia

Macela (Achyrocline satureoides) - flores e talos - calmante, bactericida, estomáquica, flatulências, cólicas abdominais, azia, inflamações

Maracujá (Passiflora alata) - calmante, sedativo leve, insônia, dores de cabeça, reumatismo

Marroio (Marrubium vulgare) - flores, talos - expectorante, calmante, estimulante do apetite e da secreção biliar, regulariza o ritmo cardíaco, dores menstruais

Mastruço (Chenopodium ambrosioides) - folhas, talos - fortalecedor pulmonar, tosse, catarros, gastrite, cicatrizante, vermífugo

Melão de São Caetano  (Momordica charanthia) - frutos - febrífugo, reumatismo, vermífugo, regulariza o fluxo menstrual, usado contra piolhos

Mulungú (Erythrina mulungu) - cascas, sementes - hipnótico, sedativo, insônia crônica, alcoolismo, asma, hepatite

Orégano (Origanum vulgaris) - folhas - estimulante, digestivo, afecções espasmódicas das vias respiratórias (tosses, bronquites, enfisema), diurético sudorífico

Oliveira (OIea europaea) - folha - hipertensão arterial, febrífugo. O azeite extra virgem ajuda a combater o colesterol

Pata de vaca (Bauhinia forficata ) - folhas - diabetes, depurativa, diurética, elefantíase

Pau ferro (Caesalpinia ferrea) - cascas - diabetes, tônico, fraqueza geral, afecções pulmonares

Pau pereira (Geissospermum laeve) - cascas -digestivo, estomacal, prisão de ventre

Pitanga (Eugenia uniflora) - folhas - combate a diarréia, antiespasmódicas e carminativas, antipiréticas, anti-reumáticas, sudoríferas, diuréticas, emenagogas, estimulantes, digestivas

Quebra pedra (Phyllanthus nirur) - folhas, caules, raízes - afecções das vias urinárias, cálculos renais, hepatite do tipo B.

Quixaba (Sideroxylon obtusifolium) - cascas - tem propriedades tônicas, adstringente. combate a diabetes

Sabugueiro (Sambucus nigra) - flores, folhas - afecções catarrais, febre, resfriados, catapora, sarampo

Sete sangrias (Cuphea ingrata) - arteriosclerose, hipertensão, palpitações do coração, insônia, circulatória, psoríase, dermatite de contato e afecções da pele em geral.

Unha-de-gato (Uncaria Tormentosa) - cascas do cipó - tratamento e prevenção de artrite e reumatismo, diabetes, câncer, acne, hemorróidas, antioxidante

Urucum (Bixa orellana) - anemia, cardiotônico, prisão de ventre, nas queimaduras evita a formação de bolhas

Valeriana (Valeriana officinalis) - raízes - sedativa, histeria, perturbações da menopausa, insônia crônica, estresse, dermatoses pruriginosas

Verbena (Verbena officinalis) - talo - diurético, emenagogo, estimulante, antidiarréica, insônia, enxaqueca, afecções renais e hepáticas

Zedoaria (Curcuma zedoaria)  - rizoma - estimulante, calmante, diurético, expectorante, colagogo

segunda-feira, 2 de abril de 2012

O primeiro passo para mudar é querer



:: Maria Isabel Carapinha ::

Sim, eu quero! Quero a felicidade, quero a paz, quero a conexão plena com o Divino, quero equilíbrio pessoal e serenidade, quero confiança e entrega, quero um relacionamento pleno, quero prosperidade, quero saúde... posso querer muitas e muitas coisas, mas a não realização delas pode trazer sofrimento, decepção e doença.

Viver em plenitude é algo que requer empenho e desafio pessoal de crescimento, e o primeiro passo só pode ser dado por você. O querer aqui tem que ser de alma, tem que ser carregado de toda convicção que um dia sentiu em sua vida. É acordar um dia e dizer: essa doença não me pertence eu não nasci com ela... e se livrar dela! É decidir que um relacionamento não lhe faz bem e partir para novos caminhos e ter firmeza de propósito para dizer: esse emprego não me merece, vou procurar outro e com todo meu poder pessoal vou encontrá-lo e mudar.
Viver assim é estar livre de amarras, é decretar o que de fato deseja para sua vida e encontrar o caminho que a leve a felicidade.

Há, porém, uma armadilha que pode derrotá-la: é a armadilha de se tornar vítima da vida. Quem um dia já não se apegou ao sofrimento e à dor como se fosse um diferencial perante os outros. Mas, no caso, um diferencial negativo que faz com que os outros sintam pena de você. Você é e sempre será a única pessoa responsável por sua vida e a cada momento tem a opção de ser feliz ou infeliz. Nascemos e morremos sós e a única companhia que temos do início ao fim de nossas vidas é a nossa própria companhia. Portanto, faça com que ela seja sempre a melhor companhia do mundo.

Decrete, a partir de hoje, que deseja uma vida diferente, seja em que aspecto for, e busque ferramentas que a ajudem nessa caminhada. O primeiro passo será sempre o seu.
Com as ferramentas necessárias, elimine a fonte da infelicidade em sua vida.
Se começar a analisar sua vida e perceber que um desejo seu foi constantemente frustrado, formando um padrão, tenha absoluta certeza que existe um bloqueio energético em alguma etapa de sua vida que precisa ser eliminado e por trás dele uma autopunição.
Somente quando você desejar amor de uma maneira saudável e plena, e, quando estiver disposta a amar na mesma medida, o amor virá.

A natureza do ser humano contém toda sabedoria, toda a verdade de que precisamos para encontrar a felicidade, mas o nosso pensamento por vezes divaga no negativo, conectando-se com milhares de emoções já vividas e faz com que tiremos conclusões errôneas e adotemos assim a postura do sofrimento.

A Mesa Radiônica, como um trabalho energético completo e pleno, é uma das ferramentas mais preciosas no caminho da transformação pessoal rumo à felicidade, ela equilibra energias e elimina os bloqueios que nos amarram ao passado; faz com que nossas emoções se tornem conscientes e, então, trabalhando-as intensamente, você finalmente conseguirá liberar a sua voz interior de sabedoria que a orienta de acordo com a consciência Divina.

Não importa em que momento de sua vida você tenha deixado de existir, o equilíbrio tem que ser reestabelecido, de forma que através de suas dificuldades, você chegue ao ponto em que a mudança de direção interior ocorrerá. Você perceberá com o passar dos dias, que sua vida estará sendo colocada em Ordem Divina e que o melhor virá até você.

Há alguns anos, atendi uma moça e fiz todo o equilíbrio de sua nova casa. Recém-casada e querendo que tudo desse super certo ela me chamou para avaliar as energias do ambiente e realizar todas as correções de forma que a harmonia estivesse presente naquele novo lar. Fiz toda prospecção energética do local, verificando as energias nocivas presentes e fiz as correções. Casal jovem, bem-sucedido e com enorme potencial de criar uma vida harmônica no ambiente agora plenamente equilibrado.

Passados quatro anos, ela me procurou em um estado vibracional completamente diferente do que eu havia visto anos atrás quando se casou. Havia em suas palavras um sentimento de raiva, ressentimento, ansiedade e frustração, sentia-se desrespeitada e desvalorizada por seu marido não a deixar ter filhos, apesar de ser este o maior e mais importante sonho da sua vida, já verbalizado antes do casamento.

O marido simplesmente desconversava quando este era o assunto em pauta e tentava compensar isto com presentes e viagens e a sua frustração aumentava a cada dia.

Disse, então, a ela que o tratamento com a Mesa Radiônica seria iniciado com o pleno reestabecimento do seu equilíbrio pessoal, pois a agressividade de suas palavras nos últimos tempos já estava afetando seu casamento. Terminado seu tratamento de equilíbrio e reconquista de seu casamento, disse a ela que precisaríamos tratar de seu marido e descobrir qual o momento de sua vida que tal bloqueio, por não querer ter filhos, havia se instalado e deveríamos eliminar esse bloqueio.

Iniciamos, então, o tratamento do marido e identificamos um bloqueio energético quando ele tinha três anos de idade. A sogra que era sua parceira na empreitada de ter um filho, prontificou-se a ajudar na identificação de tal bloqueio. A sogra confidenciou que quando o filho tinha três anos de idade, aconteceu um evento marcante: ela caíra da escada e perdera o bebê que esperava, precisando ficar por um tempo no hospital, pois, na queda, também havia quebrado a perna. Esta história era conhecida por toda a família e, por algum motivo, o filho, pela identificação que fizemos do bloqueio, sentia-se culpado pelo ocorrido. Trabalhamos energeticamente tal momento eliminando a energia bloqueada.

O casal em pleno equilíbrio passou a se entender melhor, reconquistando o casamento que havia se perdido nas frustrações. Disse a ela que de maneira natural tudo se modificaria que ela confiasse e entregasse sua vida ao Universo, passados oito meses no dia de seu aniversário o marido lhe disse em tom de brincadeira, acredito ter chegado o momento de termos nosso filho. Ela nem podia acreditar no que ouvia e passou então a todos os preparativos necessários e a gravidez depois de um tempo se concretizou e hoje o casal tem uma linda menina.

Tudo aconteceu porque ela deu o seu passo inicial, a fim de identificar o que havia de errado, o que a impedia de concretizar o seu sonho e acabou por superar com louvor todos os impedimentos, não desejando em nenhum momento se tornar vítima da vida.

Os quatro elementos e a psicologia do ser humano - Parte 3


:: Elisabeth Cavalcante :: 
Os elementos têm sido tradicionalmente divididos em dois grupos, sendo o fogo e o ar considerados ativos e auto-expressivos e a água e a terra considerados passivos, receptivos e auto-repressivos. Esses dois grupos são idênticos aos da divisão básica da filosofia chinesa: yin (água e terra) e yang (fogo e ar). Também são idênticos à concepção grega das duas expressões da energia: Apolônia, (fogo e ar que, ativa e conscientemente, formam a vida) e Dionísia (água e terra, que representam forças que se manifestam de modo mais inconsciente e intuitivo).

Estamos lidando aqui com princípios básicos e uma referência à água e à terra como sendo auto-repressivas ou inconscientes, não significa de modo algum que as pessoas cujos mapas contém muita ênfase sobre esses dois elementos sejam, necessariamente limitadas em percepção ou particularmente mais reprimidas, do que qualquer outra.

Esses termos se referem mais ao modo de operação dessas energias e ao seu método de auto-realização, do que a uma generalização específica, que pode ser aplicada ao acaso, a todas as pessoas incluídas numa determinada categoria.
Por exemplo, os signos da água (Câncer, Escorpião e Peixes) e os da Terra (Touro, Virgem e Capricórnio) são mais auto-repressivos do que os do ar (Gêmeos, Libra e Aquário) e do fogo (Áries, Leão, Sagitário), no sentido de que eles vivem mais dentro de si mesmos e não se permitem projetar exteriormente a sua energia essencial sem antes usar uma boa dose de cautela e ponderação.

Os signos do fogo e do ar são mais auto-expressivos porque estão sempre deixando sair, derramando sem reservas, as suas energias e a sua substância vital; os signos do fogo por meio da ação direta e os do ar por meio da interação social e da expressão verbal.

Os elementos fogo e ar também têm sido relacionados com atividade e leveza, uma vez que o ar e o fogo tendem a espalhar-se e a subir, estendendo-se para um
perímetro no espaço. A terra e a água têm sido relacionadas com gravidade e inércia, desde que tendem a estar sob a influência da gravidade e, conseqüentemente, a se concentrar e acumular num nível mais inferior.

Essa classificação dos elementos e o fato de que os signos do mesmo elemento e os elementos do mesmo grupo geralmente são considerados compatíveis, é da maior importância não só na interpretação de mapas individuais, como também na comparação de mapas. Os princípios de leveza e gravidade descrevem um fluxo real de energia que poderá ser percebida por pessoas psiquicamente sensíveis ou pelo menos pode ser sentido, de maneira imediata, por qualquer um que esteja intimamente relacionado com uma pessoa de afinação diferente.

O Elemento Fogo

O elemento fogo se refere a uma energia universal irradiante, uma energia que é excitável e entusiástica e que, através da sua luz, dá colorido ao mundo.
Esse elemento fogo foi relacionado por C.G.Jung, com o núcleo dinâmico da energia psíquica, aquela energia que flui espontaneamente, de maneira inspirada e automotivada.
Isto explica porque as pessoas com signos de fogo dominantes no mapa são tão egocêntricas e, normalmente, bastante impessoais. Elas sentem que são canais de vida e não podem esconder facilmente o seu orgulho a respeito desse fato.

Os signos de fogo exemplificam a decisão, a grande fé em si mesmo, o entusiasmo. Precisam de uma grande dose de liberdade para se expressarem de forma natural, e normalmente garantem esse espaço para si mesmos por meio da incansável insistência nos seus pontos de vista.

Os signos de fogo tendem a ser impacientes com as pessoas mais sensíveis ou mais gentis, especialmente com aquelas que têm predominância da água e da terra. Eles sentem que a água os extinguirá e que a terra os sufocará e freqüentemente se ressentem com a gravidade e o emocionalismo desses signos.

Por outro lado, os signos de ar abanam as chamas do fogo, fornecendo novas idéias que as pessoas dos signos de fogo podem tomar como guia. Por essa razão o fogo geralmente é considerado compatível com o ar, mas é preciso assinalar que os signos de fogo freqüentemente são por demais espalhafatosos e impacientes para o delicado sistema nervoso dos signos aéreos e estes poderão não tolerá-los por muito tempo. De fato, embora os signos de fogo sejam freqüentemente estimulados pelos signos de ar, eles também se cansam facilmente e se entediam com as observações intelectuais que não podem ser seguidas com bastante rapidez.

O Elemento Ar

O elemento ar é a energia vital que tem sido relacionada com a respiração ou com aquilo que os iogues chamam de prana. O domínio do ar é o mundo das idéias arquetípicas, que estão atrás do véu físico, da energia cósmica convertida em padrões de pensamento específicos.

Enquanto os signos de fogo estão preocupados em desejar que alguma coisa passe a existir, os signos de ar focalizam suas energias em idéias específicas que ainda não se materializem. Desse modo, embora os signos de ar sejam freqüentemente acusados de ser seguidores de sonhos sem valor prático, estão desempenhando um papel na realização da criação, no nível social mais amplo, pois suas idéias podem, eventualmente, afetar a vida de milhões de pessoas.

Freqüentemente eles carecem de emoções profundas e da aceitação das limitações do corpo físico. Podem valorizar excessivamente a competência intelectual e se recusar a encarar o fato de que as idéias precisam ser testadas para ver se funcionam, antes que lhes seja atribuído um grande valor.
O pensamento é uma força tão dominante na vida dos signos de ar que, muito facilmente, eles se sentem ameaçados se suas opiniões são ignoradas ou se a qualidade do seu intelecto é depreciada.

Naturalmente os signos de terra e de água são aqueles que mais provavelmente desvalorizarão as idéias dos signos de ar, pois estas normalmente não são aprovadas nos testes de profundidade emocional ou de utilização prática, nos quais os signos de terra e de água insistem. Por seu lado, os signos de ar não querem ficar confinados pelas limitações da terra e também não desejam ter a sua despreocupada liberdade saturada pelos sentimentos e pelas restrições dos signos de água.

Por outro lado, os signos de fogo estimulam os signos de ar no sentido de obter maior liberdade de expressão, dando aos signos de ar um sentimento de confiança e de força que estes não podem encontrar em ninguém mais. Embora os signos de ar admirem, de muitas maneiras, os signos de fogo, ainda assim eles insistirão no seu direito de ponderar as coisas antes de assumir um compromisso, um hábito que pode se tornar cada vez mais irritante para os signos de fogo.


O elemento Água

Aqueles que têm o elemento água fortemente ativado em seus mapas, percebem, desde o seu nascimento, que vários fatores intangíveis desempenham um papel em sua vida, muito maior do que aquele que geralmente se acredita.

Os signos de água estão em contato com os próprios sentimentos, em sintonia com nuances e sutilezas que muitos outros sequer percebem.
O elemento água representa o reino da emoção profunda e das reações de sentimento, indo desde paixões compulsivas e temores irresistíveis, até uma aceitação e um amor que abrange toda a criação.
Uma vez que os signos de água, por sua própria natureza são parcialmente inconscientes, simultaneamente têm percepção do poder da mente inconsciente, mas não têm consciência, eles próprios, do muito daquilo que os motiva realmente.

Os signos de água, como a natureza da própria água, não têm solidez ou forma própria. Portanto, sentem-se mais felizes quando sua fluidez é canalizada e modelada por outros, particularmente pelos signos de terra, que possuem a solidez na qual a água pode confiar e pode-se apoiar. Os signos de água tendem a sentir aversão por aqueles que são turbulentos ou têm personalidades fortes, tais como as pessoas dos signos de ar e de fogo. Sentem-se mais confortáveis com outros, mais discretos e reservados, o que lhes dá sensação de proteção e segurança.

A sensibilidade dos signos de água é tão grande e sua vulnerabilidade à mágoa é tão acentuada que, se as reações emocionais não são controladas e adequadamente canalizadas, podem levá-los a um estado de instabilidade emocional e a uma predisposição para serem influenciados com demasiada facilidade. Entretanto, essa sensibilidade não deve ser considerada uma fraqueza, pois a água tem grande força e tem um longo e penetrante poder especialmente quando é canalizada de uma forma concentrada.

Os signos de água sabem, instintivamente, que devem se proteger das influências exteriores, a fim de garantir, para si mesmos, a paz interior necessária à reflexão profunda e à sutileza de percepção.
A compreensão da verdadeira natureza das suas emoções e anseios é um processo lento e muitas vezes doloroso, mas assim que se dispõem a encarar seus verdadeiros motivos, eles podem ter certeza de que, com a passagem dos anos, terão um contentamento interior cada vez maior.

O elemento Terra

Uma afinação com este elemento indica que a pessoa está em contato com os sentidos físicos e com a realidade do aqui-e-agora do mundo material. Os signos de terra tendem a confiar mais nos seus sentidos e no raciocínio prático do que nas inspirações, nas considerações teóricas ou nas intuições dos outros signos.
Estão sintonizados com o mundo das formas, que os sentidos e a mente prática encaram como real, e a compreensão inata de como o mundo material funciona, dá aos signos de terra mais paciência e autodisciplina do que têm os outros signos.

Raramente é preciso dizer a eles de que modo devem se adaptar ao mundo para ganhar a vida, como suprir as necessidades básicas, ou como devem persistir até que um objetivo seja alcançado. Todas estas qualidades vêm naturalmente para os do elemento terra.
Embora o elemento terra seja um dos elementos passivos ou receptivos, este elemento, como a água, tem uma força de resistência e de persistência que faz com que as pessoas dos signos de terra sempre sejam capazes de cuidar de si mesmas.
O elemento terra tende a ser cauteloso, premeditado, e bastante convencional. As pessoas desse elemento geralmente suspeitam ou duvidam das pessoas mais espertas, de mente ágil, e reagem ao signos de ar com um certo grau de reserva, embora possam ficar um pouco fascinados por eles.
Os signos de água, por outro lado, partilham das suas qualidades de retentividade e auto-proteção. Portanto, a terra acha que a água a refrescará e a tornará capaz de ser ainda mais produtiva.

A própria afinação que dá aos signos da terra a sua força e as suas habilidades especiais, também pode ser a fonte de seus maiores defeitos. O envolvimento com o mundo prático pode, com freqüência, limitar sua imaginação, caso eles confiem demasiadamente nas coisas como elas são ou conforme parecem ser. Isto pode levar a um apego à rotina e à ordem e a uma falta de habilidade para lidar com as áreas de atividades abstratas e teóricas. Mais do que qualquer outra coisa, os signos de terra precisam se abrir para a realidade do mundo invisível e devem se comprometer com ideais específicos que servirão de guia para suas atividades.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...