quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

MUDANÇA INTERIOR

O Baguá que rege a Espiritualidade ajuda a exercitar a fé, fator essencial para a mudança em sua vida.


O mundo se move de forma cada vez mais frenética. Vive-se constantemente com a sensação de que não há tempo suficiente para resolver os problemas e as preocupações. São responsabilidades em casa, no trabalho, com a vida financeira, consigo mesmo, com as pessoas que se ama. No meio de tantas cobranças, muitas vezes é difícil manter o equilíbrio, estado tão almejado que proporciona serenidade e sabedoria para enfrentar o dia a dia. A espiritualidade é o refúgio mais certo para quem busca a harmonia. É por meio dela que entramos em sintonia com as forças superiores que regem o mundo e com os nossos verdadeiros sentimentos. É também nesses momentos de interiorização que muitas das respostas que procuramos aparecem. Ser espiritualizado não é sinônimo de seguir uma religião específica. Significa apenas a busca por uma integração mais feliz em todos os setores da vida, agindo com o objetivo de ter mais alegria, paz, amor, respeito, bom humor, amizade e fraternidade para as pessoas e o mundo à sua volta. A espiritualidade está em todos os lugares. Está em um gesto de bondade, em um sorriso puro, na beleza e vivacidade da natureza, nas boas intenções. Basta apenas tirar os olhos das coisas materiais e começar a sentir a força das energias boas, percebendo o quanto elas são importantes para a verdadeira felicidade. No Feng Shui o guá da Espiritualidade está localizado no canto inferior esquerdo do baguá.

Também chamado de guá da Sabedoria, é lá que estão as energias que regem o autoconhecimento e a paz interior dos moradores. Representado pelas cores verde e lilás, pode ser ativado com livros e objetos relacionados ao conhecimento. O elemento correspondente é a Terra, símbolo da sinceridade e da lealdade. Também se manifesta nas formas quadradas, retangulares, planas e horizontais, por remeterem à estabilidade. Seu trigrama é associado ao Ken, que representa a montanha, símbolo da reflexão. Ligado diretamente ao conhecimento da essência das coisas e da vida, convida ao desenvolvimento mental e espiritual para a evolução do entendimento. Conheça alguns projetos que reforçam a fé e a confiança dos moradores e inspire-se para começar uma mudança transcendental em sua vida.



Refúgio Místico

Nos países orientais, quase tudo é espiritualidade. Os lugares cheiram a incensos, monges andam pelas ruas, os templos estão sempre de portas abertas para a meditação e grande parte da população pratica uma filosofia religiosa. Foi nessa riquíssima cultura que a arquiteta Tieko Matsuda encontrou inspiração para a decoração deste projeto. "A diversidade é também resultado do contato intenso e da liberdade da moradora, que acompanhou cada detalhe".

As almofadas em formato quadrado e a cabeceira da cama ativam o elemento Terra, representado também pela cor amarela e pelos móveis densos e pesados. Já os tons de lilás e azul, ligados diretamente a Espiritualidade, estão presentes na roupa de cama, nos móveis e também na parede. Nos dois criados-mudos estão os livros, símbolos da Sabedoria que também é ativada nesse guá. A cor verde, representante do elemento Madeira, não é aconselhável em excesso para o setor da Espiritualidade, pois no ciclo da natureza, a Madeira retira os nutrientes da terra. A combinação não interfere nas energias positivas, pois foi feita de forma bem dosada.


Leveza que protege

Ao mudar para a casa da filha, a senhora religiosa teve a sorte de escolher o quarto localizado no guá da Espiritualidade. Além de ser o mais ensolarado, pôde exercitar com mais ênfase sua fé católica e devoção a São Miguel Arcanjo.

Para ativar esse setor na vida dos moradores da casa, trabalhou-se o ambiente com cores. Por isso, foi utilizado o tom lilás, que estimula a calma e a espiritualidade. No entanto, a cor em excesso pode trazer depressão e ansiedade. Para não causar esse efeito, o branco deu mais leveza ao ambiente. Por ser um quarto pequeno, de apenas 2,5 x 3 m, a cama ficou com a peseira direcionada para a porta, algo que no Feng Shui não é recomendado, pois representa a posição que os antigos chineses usavam para o caixão durante o velório. Por isso a poltrona foi colocada como proteção. Apesar da idade mais avançada da dona do quarto, a decoração, influenciada pelas cores do guá da Espiritualidade e por elementos românticos, como os hibíscos dos quadros, ficou jovial e delicada, diferente dos tons sóbrios usados geralmente para pessoas mais idosas.

O elemento Terra, regente do guá da Espiritualidade, é representado pela imagem religiosa de cerâmica. Quinas representam uma quebra desfavorável no ambiente, assim foi usado o mensageiro pendurado, para ajudar o chi a circular e trazer boas energias.
O elemento Fogo, que dá continuidade ao ciclo construtivo no Feng Shui, marca presença por meio dos porta-velas e das cores vermelha e rosa. A cabeceira oriunda da Indonésia é formada por um painel restaurado e entalhado com flores e videiras. Além de fazerem parte do elemento Terra, as plantas no Feng Shui são um campo energético que filtra as energias ruins.


Cantinho da força.

Quando o consultor encontra as áreas referentes ao ba-guá na casa do morador, ele indica como aquele setor pode ser estimulado, mas não obriga o uso de um só elemento, porque cada área pode ser ativada de diversas maneiras, pois a correção é algo muito pessoal, e tem de partir de dentro para fora.

Neste projeto, no qual o baguá da Espiritualidade caiu em uma sala de jantar, a moradora preferiu as imagens dos xamãs para trazer proteção, por ter afinidade com o xamanismo. O elemento Terra foi representado pelo uso dos vasos de cerâmica e da cor amarela da imagem do Buda. São sete vasos, porque sete é o número da espiritualidade no Feng Shui. Apesar da madeira presente por meio dos móveis não ser recomendada em excesso nesse guá, aqui ela é justificada, representando um componente benéfico no mapa pessoal da moradora. Assim como o Metal, demonstrado pela cor clara da parede, que também não interfere na Espiritualidade da casa. Apenas a presença da Água não seria favorável nesse ambiente. Após implantar as mudanças, acontecimentos significativos aconteceram e ajudaram todos da casa a aprofundar o autoconhecimento.

As lanternas, além de deixarem o ambiente mais introspectivo, representam o elemento Fogo, essencial para a ativação da terra por meio da teoria dos cinco elementos.


Altares do poder

Conforme a escola da Bússola, a consultora colocou o mapa pessoal da moradora sobre o Feng Shui da residência e encontrou dois setores muito próximos um do outro, onde foram montados dois diferentes altares. O primeiro representa a proteção da casa, e o outro a proteção na área dos Relacionamentos. "A família passava por um problema com relação à parte afetiva, e a cliente preferiu ativar com elementos que trouxessem ajuda espiritual".

Ficaram um de frente para o outro, ligados por um jardim. No altar da Espiritualidade, elementos cristãos, como a imagem da Virgem Maria, na cor azul, própria para esse setor. As imagens de santos católicos nos tons terrosos são do elemento Terra. A Bíblia aberta e os livros no canto ativam também a Sabedoria. As velas lilases e as esferas dispostas em pares lembram a área do Relacionamento.

Do outro lado, símbolos e imagens orientais foram dispostos junto as fotos da moradora e dos filhos, para garantir maior harmonia nos relacionamentos. "Ao montar o altar em sua área pessoal, a cliente teve uma situação amorosa resolvida". O tom alaranjado está ligado à espiritualidade assim como o número sete presente por meio dos copos de cristais. Já o vermelho e as velas estão de acordo com o Fogo, elemento que no ciclo construtivo gera a Terra. Depois de ativar a proteção nos dois guás, a dona da casa sentiu-se mais disposta e serena para enfrentar os acontecimentos, mas é importante ter empenho para que as mudanças positivas aconteçam.

O jardim no meio dos dois altares reforça a proteção para os dois setores ativados, pois no Feng Shui a natureza contém os cinco elementos que formam a energia chi, criadora do universo.


Quarto concentrado

Segundo Thoni Litsz, arquiteto que assina este projeto, o quarto de um casal não é o lugar mais recomendável para ter o baguá da Espiritualidade. "As imagens religiosas, representantes chaves dessa área, e os dogmas no geral, podem inibir o relacionamento amoroso". Por isso a ideia foi ativar o setor por meio do elemento Terra.

Para isso foi usada a forma retangular, uma de suas representantes, na cabeceira e também nos quadros. Os objetos decorativos, que foram dispostos em pares, reforçam o relacionamento. As luminárias em formato que lembra uma vela remetem ao elemento Fogo, o próximo do ciclo construtivo. "São peças alongadas que também proporcionam equilíbrio". Na parede há o verde-escuro puxado para o marrom que, além de combinar com o restante da decoração, remete aos tons da espiritualidade. "Também recomendo sempre ao cliente opções de essências que ativam o baguá correspondente. Nesse caso a mirra, usada pelos padres na missa, e o benjoim são os mais indicados". O ambiente foi completado com uma Bíblia, localizada na cômoda em frente à cama.

As plantas são ótimas referências ao elemento Terra, além de deixarem o ambiente mais romântico. Nesse arranjo, há monsenhor-branco, bambu mossô, agapanto e orquídea. O arquiteto também recomenda o uso de cristais dentro do vaso. Foram escolhidas a ametista e a turquesa, que têm as cores da espiritualidade.


Paz e amor.

No quarto projetado por Mônica Gervásio, as cores claras e o espelho ampliam o ambiente, transmitindo paz e amplitude. A luz natural que entra através da janela atrai energias positivas, além de deixar o local iluminado.

Conforme o Feng Shui, a espiritualidade também foi representada pela presença do elemento Terra, por meio dos tons terrosos e da forma quadrada do quadro, da cabeceira e das almofadas. A arquiteta também usou motivos de natureza para reforçar a presença dos cinco elementos, que, segundo a filosofia oriental, compõem a energia vital do Universo. O Fogo está presente nas luminárias, que lembram velas acesas e também fazem referência ao Sol, favorecendo a circulação de bons fluidos. Colocadas em par, reforçam, junto com o porta-retratos ao lado da cama, a proteção para o relacionamento do casal.

O livro ativa o setor da sabedoria e é exemplo de fonte de boas energias, além de proporcionar conhecimento.
Também chamado de guá da Sabedoria, é lá que estão as energias que regem o autoconhecimento e a paz interior dos moradores. Representado pelas cores verde e lilás, pode ser ativado com livros e objetos relacionados ao conhecimento. O elemento correspondente é a Terra, símbolo da sinceridade e da lealdade. Também se manifesta nas formas quadradas, retangulares, planas e horizontais, por remeterem à estabilidade. Seu trigrama é associado ao Ken, que representa a montanha, símbolo da reflexão. Ligado diretamente ao conhecimento da essência das coisas e da vida, convida ao desenvolvimento mental e espiritual para a evolução do entendimento. Conheça alguns projetos que reforçam a fé e a confiança dos moradores e inspire-se para começar uma mudança transcendental em sua vida.


Refúgio Místico

Nos países orientais, quase tudo é espiritualidade. Os lugares cheiram a incensos, monges andam pelas ruas, os templos estão sempre de portas abertas para a meditação e grande parte da população pratica uma filosofia religiosa. Foi nessa riquíssima cultura que a arquiteta Tieko Matsuda encontrou inspiração para a decoração deste projeto. "A diversidade é também resultado do contato intenso e da liberdade da moradora, que acompanhou cada detalhe". 
As almofadas em formato quadrado e a cabeceira da cama ativam o elemento Terra, representado também pela cor amarela e pelos móveis densos e pesados. Já os tons de lilás e azul, ligados diretamente a Espiritualidade, estão presentes na roupa de cama, nos móveis e também na parede. Nos dois criados-mudos estão os livros, símbolos da Sabedoria que também é ativada nesse baguá. A cor verde, representante do elemento Madeira, não é aconselhável em excesso para o setor da Espiritualidade, pois no ciclo da natureza, a Madeira retira os nutrientes da terra. A combinação não interfere nas energias positivas, pois foi feita de forma bem dosada.

Leveza que protege

Ao mudar para a casa da filha, a senhora religiosa teve a sorte de escolher o quarto localizado no guá da Espiritualidade. Além de ser o mais ensolarado, pôde exercitar com mais ênfase sua fé católica e devoção a São Miguel Arcanjo. 
Para ativar esse setor na vida dos moradores da casa, trabalhou-se o ambiente com cores. Por isso, foi utilizado o tom lilás, que estimula a calma e a espiritualidade. No entanto, a cor em excesso pode trazer depressão e ansiedade. Para não causar esse efeito, o branco deu mais leveza ao ambiente. Por ser um quarto pequeno, de apenas 2,5 x 3 m, a cama ficou com a peseira direcionada para a porta, algo que no Feng Shui não é recomendado, pois representa a posição que os antigos chineses usavam para o caixão durante o velório. Por isso a poltrona foi colocada como proteção. Apesar da idade mais avançada da dona do quarto, a decoração, influenciada pelas cores do guá da Espiritualidade e por elementos românticos, como os hibiscos dos quadros, ficou jovial e delicada, diferente dos tons sóbrios usados geralmente para pessoas mais idosas.

O elemento Terra, regente do guá da Espiritualidade, é representado pela imagem religiosa de cerâmica. Quinas representam uma quebra desfavorável no ambiente, assim foi usado o mensageiro pendurado, para ajudar o chi a circular e trazer boas energias.O elemento Fogo, que dá continuidade ao ciclo construtivo no Feng Shui, marca presença por meio dos porta-velas e das cores vermelha e rosa. A cabeceira oriunda da Indonésia é formada por um painel restaurado e entalhado com flores e videiras. Além de fazerem parte do elemento Terra, as plantas no Feng Shui são um campo energético que filtra as energias ruins.


Cantinho da força.

Quando o consultor encontra as áreas referentes ao ba-guá na casa do morador, ele indica como aquele setor pode ser estimulado, mas não obriga o uso de um só elemento, porque cada área pode ser ativada de diversas maneiras, pois a correção é algo muito pessoal, e tem de partir de dentro para fora. 

Neste projeto, no qual o guá da Espiritualidade caiu em uma sala de jantar, a moradora preferiu as imagens dos xamãs para trazer proteção, por ter afinidade com o xamanismo. O elemento Terra foi representado pelo uso dos vasos de cerâmica e da cor amarela da imagem do Buda. São sete vasos, porque sete é o número da espiritualidade no Feng Shui. Apesar da madeira presente por meio dos móveis não ser recomendada em excesso nesse guá, aqui ela é justificada, representando um componente benéfico no mapa pessoal da moradora. Assim como o Metal, demonstrado pela cor clara da parede, que também não interfere na Espiritualidade da casa. Apenas a presença da Água não seria favorável nesse ambiente. Após implantar as mudanças, acontecimentos significativos aconteceram e ajudaram todos da casa a aprofundar o autoconhecimento.

As lanternas, além de deixarem o ambiente mais introspectivo, representam o elemento Fogo, essencial para a ativação da terra por meio da teoria dos cinco elementos.


Altares do poder

Conforme a escola da Bússola, a consultora colocou o mapa pessoal da moradora sobre o Feng Shui da residência e encontrou dois setores muito próximos um do outro, onde foram montados dois diferentes altares. O primeiro representa a proteção da casa, e o outro a proteção na área dos Relacionamentos. "A família passava por um problema com relação à parte afetiva, e a cliente preferiu ativar com elementos que trouxessem ajuda espiritual". 
Ficaram um de frente para o outro, ligados por um jardim. No altar da Espiritualidade, elementos cristãos, como a imagem da Virgem Maria, na cor azul, própria para esse setor. As imagens de santos católicos nos tons terrosos são do elemento Terra. A Bíblia aberta e os livros no canto ativam também a Sabedoria. As velas lilases e as esferas dispostas em pares lembram a área do Relacionamento.

Do outro lado, símbolos e imagens orientais foram dispostos junto as fotos da moradora e dos filhos, para garantir maior harmonia nos relacionamentos. "Ao montar o altar em sua área pessoal, a cliente teve uma situação amorosa resolvida". O tom alaranjado está ligado à espiritualidade assim como o número sete presente por meio dos copos de cristais. Já o vermelho e as velas estão de acordo com o Fogo, elemento que no ciclo construtivo gera a Terra. Depois de ativar a proteção nos dois guás, a dona da casa sentiu-se mais disposta e serena para enfrentar os acontecimentos, mas é importante ter empenho para que as mudanças positivas aconteçam.

O jardim no meio dos dois altares reforça a proteção para os dois setores ativados, pois no Feng Shui a natureza contém os cinco elementos que formam a energia chi, criadora do universo.


Quarto concentrado

Segundo Thoni Litsz, arquiteto que assina este projeto, o quarto de um casal não é o lugar mais recomendável para ter o guá da Espiritualidade. "As imagens religiosas, representantes chaves dessa área, e os dogmas no geral, podem inibir o relacionamento amoroso". Por isso a ideia foi ativar o setor por meio do elemento Terra.

Para isso foi usada a forma retangular, uma de suas representantes, na cabeceira e também nos quadros. Os objetos decorativos, que foram dispostos em pares, reforçam o relacionamento. As luminárias em formato que lembra uma vela remetem ao elemento Fogo, o próximo do ciclo construtivo. "São peças alongadas que também proporcionam equilíbrio". Na parede há o verde-escuro puxado para o marrom que, além de combinar com o restante da decoração, remete aos tons da espiritualidade. "Também recomendo sempre ao cliente opções de essências que ativam o guá correspondente. Nesse caso a mirra, usada pelos padres na missa, e o benjoim são os mais indicados". O ambiente foi completado com uma Bíblia, localizada na cômoda em frente à cama.

As plantas são ótimas referências ao elemento Terra, além de deixarem o ambiente mais romântico. Nesse arranjo, há monsenhor-branco, bambu mossô, agapanto e orquídea. O arquiteto também recomenda o uso de cristais dentro do vaso. Foram escolhidas a ametista e a turquesa, que têm as cores da espiritualidade.

Paz e amor
No quarto projetado por Mônica Gervásio, as cores claras e o espelho ampliam o ambiente, transmitindo paz e amplitude. A luz natural que entra através da janela atrai energias positivas, além de deixar o local iluminado. 

Conforme o Feng Shui, a espiritualidade também foi representada pela presença do elemento Terra, por meio dos tons terrosos e da forma quadrada do quadro, da cabeceira e das almofadas. A arquiteta também usou motivos de natureza para reforçar a presença dos cinco elementos, que, segundo a filosofia oriental, compõem a energia vital do Universo. O Fogo está presente nas luminárias, que lembram velas acesas e também fazem referência ao Sol, favorecendo a circulação de bons fluidos. Colocadas em par, reforçam, junto com o porta-retratos ao lado da cama, a proteção para o relacionamento do casal.

O livro ativa o setor da sabedoria e é exemplo de fonte de boas energias, além de proporcionar conhecimento.

Um comentário:

  1. Comento quando eu terminar de ler, ...tudo á seu tempo! É longo!.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...