domingo, 12 de maio de 2013

O poder do sal para revitalizar nossa energia


O poder do sal grosso já é bem conhecido por todos nós. E se uma xícara deste ingrediente já tem tanta força, imagine um mar inteiro? Quem tem o privilégio de morar perto da praia sabe a diferença que faz um bom mergulho. Parece que tudo se renova, que tudo é possível. O mar nos revitaliza!
Para se ter uma ideia, a Universidade de Stanford, na Califórnia, em busca de novas formas geradoras de energia, descobriu que o sal tem componentes capazes de gerar energia limpa. Elementos como o sódio e outros minerais, encontrados no sal, em contato com o nosso corpo são capazes de equilibrar e retirar o excesso de energia, purificando e equilibrando a energia de nosso corpo.
Além da universidade, pesquisas na área estética também encontraram no sal alternativas para elaboração de tratamentos de beleza e bem-estar, como esfoliação com sal grosso, banhos terapêuticos e relaxantes, entre outros.
Porém, se você não tem a sorte de morar perto da praia, confira uma receita de beleza e revitalização de energia:
Hidratação e Energização com Sal Grosso
- 04 colheres de sopa de sal grosso
- 08 colheres de sopa de óleo de amêndoas
- 03 gotas de alfazema (opcional)
Misture tudo e em movimentos circulares passe sobre o corpo, esfoliando a pele. Esta receita, além de esfoliar, irá hidratar e renovar suas energias.

sábado, 11 de maio de 2013

Awen: alguns pensamentos...


por Wallace William "Kunvelin"

Retirado das apostilas de treinamento Bárdico e Druídico do Ramo de Carvalho e com a permissão do próprio Wallace.

O que é Awen? Há muitas definições. Os dicionários de galês definem palavra como significando “a Musa”. Algumas etimologias duvidosas sugerem um significado de “espírito fluente”. Dentro da interpretação geral, é vista como “inspiração poética” ou “inspiração divina”. Em suma, o Awen é aquilo que flui na mente na cabeça dos Bardos célticos, a sua inspiração que os leva a compor seus versos eu logísticos os seus louvores aos deuses, as suas lembranças de outras formas e vidas, sua feitiçaria. É o fogo que queima na cabeça de Amhairgen, Taliesin, Merlin e outros. O Bardo e o Druida estão buscando constantemente o Awen como forma de encontrar suas respostas no mundo.
E onde está o Awen? O que inspira ao Bardo, o que inspira ao Druida? Antes de mais nada, o mundo. Mas não o mundo comum, visto pelos olhos comuns, mas sim o mundo como ele é. O Bardo e o Druida tenta ver além dos olhos, pois essa é a essência do que é o Outro Mundo: o nosso mundo visto de outra forma. Na Irlanda, há uma palavra em irlandês antigo, ai, que nasce da mesma raiz e também significa inspiração. O Awen pode ser oriundo de muitas fontes: em um texto Galês, Ceriddwen é chamada “A Senhora do Awen”, e à Ela pode ser pedido pela benção do Awen, do ver além dos olhos comuns. Na tradição gaélica, Brighid é a senhora da inspiração poética, além de Oghma ser um dos senhores da profecia também. Mas a fonte do Awen pode ser o próprio mundo: se o espírito de uma árvore lhe fala, você saberá que está sendo inspirado por ele. Claro, é mais comum que isso ocorra com árvores antigas e imponentes, mas uma das bases do pensamento animista
é que toda a forma de vida possuí espírito, e enquanto você não ver além de suas qualidades externas, você não a entenderá. Mais que isso, não apenas árvores, mas lugares com uma forte carga espiritual podem ser inspiradores e trazerem o Awen. Pessoas que falem ao seus espírito também são fontes de inspiração.
E como sabemos que o Awen está presente entre nós? Quando as palavras fluem de forma natural. Quando estamos pensando firmemente em questões como métrica, no uso das palavras, não estamos agindo de forma inspirada. Estamos agindo de forma estudada. O Awen é fluente, é a fagulha que queima naquele instante na mente, e leva à inspiração. A inspiração pode ser expressa como poesia, como uma resposta a uma dúvida, como um “insight”, ou apenas como uma manifestação de um momento de comunhão entre o Bardo e o Druida com o mundo. É a arte feita com o espírito. O Bardo/Druida em busca do Awen passa sempre por uma experiência de Renascimento, que pode ser realizada através de meditação, e que é normalmente simbolizada através da lenda do jovem Gwion que renasce como Taliesin através do próprio renascimento pela deusa Ceriddwen, a “Senhora do Awen”.

O que é a linguagem inspirada pelo Awen? É a linguagem que expressa a unidade, na visão do poeta, entre todas as coisas. Tudo se torna relativo, inclusive o tempo, onde o falante vê a sua passagem por muitas formas, e a ligação entre tudo. A dicotomia entre homem e animal desaparece, pois as características animais (por vezes, mesmo vegetais ou minerais) podem ser vistas tanto como qualidades quanto como defeitos. As passagens entre essa vida e a outra vão perdendo a importância, pois todas são vistas como parte de um todo
cíclico. Se ela é manifesta na forma de poesia, ela tem um valor espiritual para todos, e pode ser inclusive mágica. A poesia é um dos eixos centrais da cultura céltica. O conhecimento dos Druidas da Gália era passado de mestre a discípulo através de poemas que eram cantados. A magia dos Celtas era expressa através da poesia. Seus deuses da comunicação e das artes estavam entre os mais valorizados. E a poesia inspirada pelo Awen é a representação maior daquilo que os gregos nos disseram sobre as crenças dos celtas: a de que eles seguiam uma doutrina filosófica “pitagórica”. A poesia do Awen, ao representar a unidade entre as coisas, mostra a ideia da possibilidade da transmigração do espírito (metempsicose), de assumir as características que nos são reveladas pela natureza (xamanismo), e do abandono do Ego, a partir do entendimento da relação entre todas as coisas. A poesia do Awen normalmente segue regras métricas, e elas serão estudadas, mas a inspiração está acima delas. Com o tempo, as regras e a inspiração se mesclarão, assim como a Tribo deve se mesclar com a Terra, sob o ensinamento do Druida e o louvor do Bardo, em comunhão.

quarta-feira, 8 de maio de 2013

A árvore na cultura Celta e seus significados - Árvore Regente.



Você sabe qual é a árvore que rege você? Abaixo tem uma lista com as datas de aniversário e a arvore regente. Ao saber qual é a sua Árvore, vá mais para o final da página e veja o que ela significa. Para potencializar, busque mais informações sobre esta árvore e como os Celtas lidavam com ela. 
Você irá se surpreender! Boa leitura.
23 de Dez até 01 de Jan – Árvore de Maçã

02 de Jan até 11 de Jan – Árvore de Abeto

12 de Jan até 24 de Jan – Árvore de Olmo

25 de Jan até 03 de Fev – Cipreste

04 de Fev até 08 de Fev – Álamo

09 de Fev até 18 de Fev – Cedro
19 de Fev até 28 de Fev – Pinheiro
01 de Mar até 10 de Mar – Salgueiro Chorão
11 de Mar até 20 de Mar – Árvore de Limas
21 de Mar – Carvalho
22 de Mar até 31 de Mar – Árvore de Avelã
01 de Abr até 10 de Abr – Árvore Rowan
11 de Abr até 20 de Abr – Árvore de Arce
21 de Abr até 30 de Abr – Nogueira
01 de Mai até 14 de Mai – Álamo
15 de Mai até 24 de Mai – Árvore de Castanhas
25 de Mai até 03 de Jun – Árvore de Cinzas
04 de Jun até 13 de Jun – Árvore Hornbeam
14 de Jun até 23 de Jun – Figueira
24 de Jun – Árvore de Abedul
25 de Jun até 04 de Jul – Árvore de Maçã
05 de Jul até 14 de Jul – Árvore de Abeto
15 de Jul até 25 de Jul – Árvore de Olmo
26 de Jul até 04 de Ago – Cipreste
05 de Ago até 13 de Ago – Alamo
14 de Ago até 23 de Ago – Cedro
24 de Ago até 02 de Set – Pinheiro
03 de Set até 12 de Set – Salgueiro Chorão
13 de Set até 22 de Set – Árvore de Limas
23 de Setembro – Oliveira
24 de Set até 03 de Out – Árvore de Avelã
04 de Out até 13 de Out – Árvore de Rowan
14 de Out até 23 de Out – Árvore de Arce
24 de Out até 11 de Nov – Nogueira
12 de Nov até 21 de Nov – Árvore de Castanhas
22 de Nov até 01 de Dez – Árvore de Cinzas
02 de Dez até 11 de Dez – Árvore Hornbeam
12 de Dez até 21 de Dez – Figueira
22 de Dezembro – Árvore de Faia


ARVORE DE ÁLAMO (A Incerteza)
É uma pessoa com um alto sentido de estética, não é muito segura de si mesma, valente se for necessário, precisa estar em um ambiente agradável, é muito seletiva, às vezes solitária, muito alegre, de natureza artística, boa organizadora, tenta aprender através da filosofia, confiável em qualquer situação, assume as relações muito seriamente.
ÁRVORE DE ABEDUL (A Inspiração)
Uma pessoa vigorosa atrativa, elegante, amistosa, não é pretenciosa, é modesta, não gosta de excessos, se aborrece com coisas vulgares, ama a vida a natureza e a calma, não é muito apaixonada, cheia de imaginação, um pouco ambiciosa, acredita numa atmosfera de calma e satisfação.
ÁRVORE DE ABETO (O Mistério)
É um pessoa de extraordinário bom gosto, dignidade, sofisticada, ama a beleza, temperamental, teimosa, tende para o egoísmo mas se preocupa com as pessoas que estão ao seu redor, é modesta, muito ambiciosa de muitos talentos, criativa, amante insatisfeita, de muitos amigos e inimigos, muito confiável.
ÁRVORE DE ARCE (A Mente Aberta)
Uma pessoa fora do comum , cheia de imaginação e originalidade, tímida e reservada, ambiciosa, orgulhosa, segura de si mesma, com sede de novas experiências, algumas vezes nervosas, tem muitas complexidades, possui boa memória, aprende rapidamente, com uma vida amorosa complicada, gosta de impressionar. Deve buscar ter uma relação seria que encha sua vida, isso lhe fará feliz.
ÁRVORE DE AVELÃ (O Extraordinário)
É uma pessoa encantadora, não pede nada, muito compreensiva, sabe como impressionar as pessoas, é uma pessoa segura, mente aberta, positivista, ativa na luta por causas sociais, popular, temperamental e amante caprichoso, sensual e excessivamente apaixonado, belo, sensível, honesto e companheiro tolerante, com um sentido de justiça muito preciso.
A OLIVEIRA (A Sabedoria)
Ama o sol, de sentimentos quentes e ternos, razoável é uma pessoa equilibrada, evita agressão e a violência, tolerante, alegre, calma, tem um sentido desenvolvido para a justiça, sensível, empática, não conhece os ciúmes, lhe encanta a leitura e a companhia de pessoas sofisticadas.
A NOGUEIRA (A Paixão)
Implacável, é uma pessoa estranha e cheia de contrastes, não é egoísta, agressiva quando precisa, amorosa, nobre, de horizontes amplos, de reações inesperadas, espontânea, de ambição sem limites,
pouco flexível, é uma companhia pouco comum, nem sempre agrada mas é admirável, comum gênio estratégico, muito zelosa e apaixonada, não se compromete se não conhece.
A FIGUEIRA (A Sensibilidade)
Muito forte, é uma pessoa pouco voluntariosa, independente, não permite as contradições ou discussões, ama a vida, sua família, as crianças e os animais, um pouco volátil socialmente, bom sentido do humor, tímida mas um pouco extrovertida. Gosta da ociosidade e da preguiça
tem um talento pratico e inteligência. Pessoa muito sensual e atrativa ao sexo oposto. Grande elegância e porte.
ÁRVORE DE CASTANHAS (A Honestidade)
De beleza incomum, não deseja impressionar, com um desenvolvido sentido de justiça, vigorosa é uma pessoa interessada, diplomática de nascimento, se irrita facilmente e é sensível com companhia, muitas vezes por insegurança em si mesma, as vezes atua com sentido de superioridade, se sente incompreendida, ama uma só vez, tem dificuldades para encontrar seu parceiro.
ÁRVORE DE CINZAS (A Ambição)
É uma pessoa excepcionalmente atrativa, vigorosa , impulsiva, exigente, não se importa com as criticas, ambiciosa, inteligente, cheia de talentos, gosta de jogar com o destino, pode ser egoísta, muito confiável e digna de confiança, amante fiel e prudente, algumas vezes o cérebro controla o coração, mas assume suas relações muito seriamente.
ÁRVORE DE FAIA (A Criatividade)
Tem bom gosto, se preocupa com as aparências, materialista, organiza bem sua vida e sua carreira, é uma pessoa econômica, bom líder, não toma riscos desnecessários, é razoável, esplêndida companheira de vida, gosta de manter a linha (dieta, esportes, etc).
ÁRVORE HORNBEAM (O Bom Gosto)
De uma beleza muito franca, se preocupa por sua aparência e sua condição econômica, de bom gosto, não é egoísta , vive de forma mais cômoda possível de maneira razoável e disciplinada, busca bondade e conhecimento em uma parceira emotiva, sonha com amantes incomum , aos poucos é feliz com seus sentimentos, desconfia da maioria das pessoas, nunca está segura de suas decisões, muito consciente.
ÁRVORE DE LIMAS (A Dúvida)
Aceita o que a vida lhe dá de uma maneira muito complexa, odeia brigar, o estresse, e o trabalho, mas não gosta de preguiça e da ociosidade, é suave e sabe ceder, faz sacrifícios pelos amigos, tem muito talento, mas não o suficiente tenaz para explorá-los, se lamenta e se queixa um pouco, é uma pessoa muito zelosa e leal.
ÁRVORE DE MAÇÃ (O Amor)
De contexto leviana, muito carismática, é uma pessoa chamativa e atrativa, de uma aura agradável, aventureira, sensível , sempre apaixonada, quer amar e ser amada, companheira fiel e terna, muito generosa, de talentos específicos, vive o dia a dia, filosofa despreocupada com imaginação. Totalmente distraída.
ÁRVORE DE OLMO ( A Mentalidade Nobre)
Figura agradável, bom gosto em se vestir, de exigências modestas, tende a não esquecer os erros, alegre, gosta de mandar porém não obedece, é uma companhia honesta e fiel, gosta de tomar  decisões pelos demais, de mentalidade nobre, generosa, com bom humor, prática.
ÁRVORE ROWAN (A Sensibilidade)
Cheia de encantos, alegre, da sem expectativas de receber, gosta de chamar atenção, ama a vida, as emoções, não descansa, e inclusive gosta das complicações, é tanto dependente como independente, tem bom gosto, é uma pessoa artística, apaixonada, emocional, boa companhia, não esquece.
O CEDRO (A Confiança)
De uma beleza estranha, sabe se adaptar, gosto do luxo, de boa saúde, não é uma pessoa tímida, não gosta de ver muitas pessoas, é segura de si, tem determinação, impaciente, gosta de impressionar os
outros, tem muitos talentos, criativa, saudavelmente otimista, e vive na espera do único e verdadeiro amor, capaz de tomar decisões rapidamente.
O CIPRESTE (A Felicidade)
Forte, adaptável, toma o que a vida tem para dar, é uma pessoa satisfeita, otimista, aspira dinheiro e reconhecimento, odeia a solidão, é uma companhia apaixonada e sempre insatisfeita, fiel, se altera facilmente, não é dócil, e desinteressada.
O PINHEIRO (O Particular)
Encanta a companhia agradável, é uma pessoa muito robusta, sabe fazer sua vida algo confortável, muito ativa, natural, boa companhia mas nem sempre amistosa, se apaixona facilmente mas sua paixão se apaga em pouco tempo, se rende facilmente, se decepciona de todo até que encontra seu ideal, é de confiança e de caráter prático.
O ROBLE (A Valentia)
É uma pessoa robusta da natureza, valente, forte, implacável, independente, sensível, não gosta de mudanças, mantém seus pés no chão e gosta de ação.
O SAUCE LLORÓN- SALGUEIRO CHORÃO (A Melancolia)
Uma pessoa bela mas melancólica, atrativa, muito empática, ama as coisas belas e tem bom gosto, ama viajar, sonhadora sem descanso, caprichosa, honesta, pode ser influenciada mas é difícil para
conviver, exigente, com boa intuição, sofre no amor mas as vezes encontra apoio em sua companhia. Algumas vezes gosta de mentir, é bastante amigável.


quarta-feira, 1 de maio de 2013

Ritual de Samhain.

Samhain - A Morte do Deus
1º de maio no hemisfério Sul

Samhain (pronuncia-se Sou-ein), festejado em 31 de outubro no hemisfério Norte e em 1º de maio no hemisfério Sul, é o Ano-Novo dos Bruxos. Esse dia sagrado é conhecido por inúmeros nomes. Para muitos, talvez, o mais conhecido seja Halloween. Para nós, Bruxos, é a festa na qual honramos nossos ancestrais e aqueles que já tenham partido para o País de Verão.
Essa é a noite em que o véu que separa o mundo material do mundo espiritual encontra-se mais fino e o contato com nossos ancestrais torna-se mais fácil. É também o momento tradicional para celebrar a última das colheitas e se preparar para o Verão.
O poder de magia pode ser sentido no ar, nessa noite. O Outro Mundo se coaduna com o nosso conforme a luz do Sol baixa e o crepúsculo chega. Os espíritos daqueles que já partiram para o outro plano são mais acessíveis durante a noite de Samhain.
Samhain ocorre no pico do Outono. É o tempo do ano em que o frio cresce e a morte vaga pela Terra. O Sol está enfraquecendo cada vez mais rapidamente, a sombra cresce e as folhas das árvores estão caindo, numa preparação ao Inverno que chegará. Essa é a última colheita, o tempo em que os antigos povos da Europa sacrificavam seus gados e preservavam sua carne para o Inverno, pois esses animais não podiam sobreviver em grande escala nesse período do ano devido ao frio vindouro. Só uma pequena parte, os mais viris e fortes, era mantida para o ano seguinte.
Samhain é a noite em que o Velho Rei morre e a Deusa Anciã lamenta sua ausência nas próximas seis semanas. O Sol está em seu ponto mais baixo no horizonte, de acordo com as medições feitas através das antigas pedras da Britânia e da Irlanda, razão pela qual os Celtas escolheram esse Sabbat, em vez de Yule, para representar o Ano-Novo. Para os Antigos Celtas, esse dia sagrado dividida o ano em duas estações, Inverno e Verão. Samhain era o dia no qual começavam o Ano-Novo celta e o Inverno, por isso era um tempo ideal para términos e começos.
É o dia ideal para honrar os mortos, pois nele os véus que separam os mundos estão mais finos. Aqueles que morreram no ano passado e aqueles que estão reencarnando passam através dos véus e portais nesse dia. Os Portões das Sidhe estão abertos e nem humanos nem fadas precisam de senhas para entrar e sair.
Em Samhain, o Deus finalmente morre, mas sua alma vive na criança não-nascida, a centelha de vida no ventre da Deusa. Isto simboliza a morte das plantas e a hibernação dos animais, o Deus torna-se então o Senhor da Morte e das Sombras.
Samhain é um festival do fogo e é a entrada para a parte sombria e fria da Roda do Ano. É em Samhain que as fogueiras são acesas para que os espíritos do outro mundo possam encontrar os caminhos para partirem ao Outro Mundo (País de Verão).
Samhain é o tempo de lembrarmos com amor aqueles que partiram para o outro lado, por isso é chamado de a Festa Ancestral. Toda a família, ou grupo, se reúne para reverenciar os que já partiram. É muito comum nesse Sabbat se realizar uma ceia em silêncio, conectando-se com aqueles que já cruzaram os portais dos mundos. É tradicional também deixar um lugar à mesa para os ancestrais e lhes servir pratos como se eles estivessem presentes à ceia.
Para aqueles que não têm família para festejar e celebrar seus ancestrais, alimentos geralmente são deixados do lado de fora de casa, na porta de entrada, em homenagem aos familiares e amigos desencarnados.
É também tradicional deixar uma vela acesa na janela da casa para ajudar a guiar os espíritos ao longo de sua caminhada ao nosso mundo para que possam encontrar o caminho de volta.
De acordo com os antigos celtas, havia apenas duas divisões do ano que iam de Beltane a Samhain (Verão) e de Samhain a Beltane (Inverno).
Samhain é um dos quatro grandes Sabbats e muitas vezes é considerado o Grande Sabbat.
Por ser o maior de todos e o mais importante também, todos os Pagãos consideram Samhain como a noite mais mágica do ano. Muitas práticas adivinhatórias foram associadas a Samhain, as mais comuns eram aquelas que prenunciavam casamentos e fortunas para o próximo ano que estava se iniciando.
Uma das tradições mais comuns praticadas pelos povos antigos era a de colocar várias maçãs em um grande barril de água. Várias mulheres se reuniam em volta do barril, e a primeira que conseguisse pegar uma das maçãs seria a primeira a casar no próximo ano.
Na Escócia, colocavam-se pedras entre as cinzas da lareira, deixando-as "descansar" durante a noite. Se alguma pedra fosse descoberta durante a noite, representaria a morte iminente durante o próximo ano de um dos moradores da residência.
Sem sombra de dúvida a prática mais famosa do Samhain é o Jack O'Lantern (máscaras de abóboras), que sobrevive até hoje nas modernas celebrações do Halloween. Vários historiadores atribuem suas origens aos escoceses, enquanto outros lhe conferem origem irlandesa. As máscaras eram utilizadas por pessoas que precisavam sair durante a noite de Samhain. As sombras provocadas pela face esculpida n abóbora tinham a virtude de afastar os maus espíritos e todos os seres do outro mundo que vinham para perturbar. Máscaras de abóboras também eram colocadas nos batentes das janelas e em frente à porta de entrada para proteger toda a casa.
O costume norte-americano de vestir-se com trajes típicos e sair pelas casas dizendo Trick or treating, nas noites de Halloween, é de origem céltica. Nos tempos antigos, o costume não era relegado às crianças, mas sim aos adultos. Em tempos ancestrais, os vagantes iam cantando cânticos da época de casa em casa e eram presenteados com agrados pelo seus habitantes. O Treat (presente) também era requerido pelos espíritos ancestrais nessa noite através de oferendas.
O Deus neste período é identificado com os animais que eram sacrificados para continuidade da vida.
Samhain é um tempo para a reflexão, no qual olhamos para o ano mágico que passou e estabelecemos as metas para nossa vida no ano que entra.
Correspondência de Samhain

Cores: preto e laranja
Nomes Alternativos: Festa de Todos os Santos, All Hallows, Mischief Night, Hallowmas, Noite de Saman, Samaine, Halloween, All Hallows Eve.
Deuses: Deuses Anciãos, a Deusa na sua face da Anciã, o Deus como o Senhor das Sombras.
Ervas: nós-moscada, sálvia, menta, mirra, patchuli, artemísia, alecrim, musgo, calêndula, louro, mandrágora.
Pedras: obsidiana, floco de neve, ônix, cornalina, turmalina negra, âmbar, granada, hematita.
Atividades:

Tomar resoluções para serem colocadas em prática no próximo ano que se inicia. 
Queima de pedidos. 
Confeccionar um Jack O'Lantern. 
Fazer oferendas de maçãs e pães no jardim dos ancestrais. 
Adivinhação através do Tarô, das Runas, da bola de cristal, da vidência em espelho negro e caldeirões com água. 
Fazer máscaras que expressem a sua sombra. 
Confeccionar vassouras. 
Confeccionar um Bastão Mágico. 
Confeccionar uma Witch's Cord (Corda de Bruxa) para proteção durante o decorrer do ano. 
Acender uma vela laranja à meia-noite para atrair sorte no ano que se inicia. 
Erigir um Altar com a foto de seus ancestrais amados e colocar oferendas sobre ele, demonstrando seu agradecimento e reconhecimento pelos feitos deles na Terra. 
Comidas e Bebidas Sagradas: maçã, romã, nozes, cidra, vinho quente, abóbora, chá de ervas, batata.

Queima de Pedidos
A Queima de pedidos é um dos rituais tradicionais de Samhain. Nele banimos tudo o que tivemos de negativo e pedimos o que queremos atrair de positivo para o ano mágico que se inicia.
Para isso você vai precisar de:

Dois pedaços de papel em branco; 
Um lápis; 
Álcool de cereais; 
Folhas de louro;

Seu Caldeirão.
Num dos papéis escreva tudo aquilo que você quer afastar de sua vida: obstáculos, doenças, pessoas indesejadas, dificuldades, etc.
No outro escreva tudo aquilo que você quer atrair para a sua vida: saúde, prosperidade, amor, sucesso, etc.
Seja bem específico em seus pedidos e não se esqueça de no final assinar e colocar a seguinte frase: Que tudo isso seja correto e para o bem de todos.
Coloque um pouco de álcool no seu Caldeirão, acenda-o e jogue o primeiro papel, aquele que contém as coisas que você quer afastar, no fogo. Enquanto o papel queima, mentalize o mal sendo afastado. Peça à Deusa e ao Deus que todas as forças negativas sejam anuladas e que o mal seja banido.

Espere o fogo acabar, então coloque um pouco mais de álcool no Caldeirão, tomando o devido cuidado, pois o álcool quando colocado em um recipiente quente evapora e pode entrar em combustão espontaneamente. Jogue então o segundo papel, aquele que contém as coisas que você quer atrair para a sua vida, no fogo. Coloque as folhas de louro nas chamas, sempre mentalizando as boas coisas que você quer atrair para a sua vida. 
Quando o fogo acabar, concentre-se na fumaça, provocada pelas folhas, subindo os céus, e peça que seus pedidos se elevem ao mundo dos Deuses. 

Confeccionando um Jack O'Lantern 

A confecção do Jack O'Lantern é uma atividade tradicional desse Sabbat. Eles enfeitam toda a nossa casa no decorrer do dia, além de servirem de ornamentação indispensável para a cerimônia de Sabbat. 
Coloque um Jack do lado de fora de sua casa na noite de Samhain para afastar o s maus espíritos e visitas indesejadas de outros planos. 
Para confeccionar um Jack você vai precisar de:


· Uma abóbora ou moranga; 
· Uma faca; 
· Uma vela branca; 
· Um óleo essencial de patchuli.

Faça uma tampa na parte superior da abóbora, retire suas sementes e com a faca entalhe uma face na abóbora da forma que você achar melhor. Unja a vela branca com a essência de patchuli e coloque-a dentro da abóbora. Acenda a vela dizendo:

Com esta vela, por esta luz e pela brisa que vem do além 
Eu dou as boas-vindas aos espíritos nesta noite de Samhain. 



O Ritual de Samhain

Material necessário: 
· Caldeirão; 
· Uma vela preta; 
· Uma vela laranja; 
· Uma maçã; 
· Um pão feito por você; 
· Uma romã; 
· Dois pedaços de papel em branco; 
· Lápis; 
· Alecrim; 
· Uma colher de pau; 
· Álcool de cereais; 
· O Cálice com vinho. 

Procedimento: Coloque o Caldeirão sobre o Altar e disponha a vela laranja do lado direito e a vela preta do lado esquerdo. Coloque a maçã perto da vela laranja e a romã perto da vela preta. Trace o Círculo Mágico e então diga:

Neste dia sagrado, no qual o véu que separa os mundos se encontra mais fino, somos visitados por nossos ancestrais.
Que a Deusa Anciã e o Senhor das Sombras possam abençoar todos os amados que viverem partilhar deste Rito de Sabbat. 

Acenda as velas, dizendo:

''Sagrados Ancestrais, venham a mim.
Nesta noite eu canto a magia e realizo este ritual em homenagem àqueles que partiram ao País de Verão. 
Que este Rito seja agradável aos olhos daqueles que já se foram. 
Abençoados sejam todos eles. ''

Eleve o Caldeirão, dizendo:

''Este é o ventre da Mãe, o Caldeirão dos fins e recomeços.''

Coloque-o novamente no lugar e pegue um pedaço de papel. Nele escreva tudo o que você quer afastar de sua vida. Acenda-o na vela preta e deixe-o queimar dentro do Caldeirão.
Pegue o outro pedaço de papel e escreva tudo o que você quer atrair para a sua vida. Acenda-o na vela laranja e deixe-o queimar dentro do Caldeirão. 
Coloque o alecrim no Caldeirão, junto com as cinzas, e comece a mexer a mistura no sentido horário, dizendo: 

''Que o velho morra e que o novo possa entrar.
Pelo poder da Vida e da Morte, 
Saúdo os espíritos desta noite de Samhaim.''

Coloque um pouco de álcool no Caldeirão e então ponha fogo, dizendo:

Através desta luz e o elo mar além, 
Saúdo todos os espíritos nesta noite de Samhaim. 

Olhe para as chamas do fogo e mentalize todos os seus desejos. 
Com o seu Athame, abra a romã, com algumas sementes, enquanto pensam todas as coisas negativas que quer afastar de sua vida. Coloque algumas sementes no fogo. 
Parta a maçã ao meio, coma uma das partes e jogue um pequeno pedaço nas chamas do Caldeirão. Mentalize agora tudo o que você quer atrair de positivo. 
Com a sua colher de pau, mexa o conteúdo de seu Caldeirão e então diga: 
Que o negativo se torne positivo, 
Que o mal se transforme em bem, 
Que a doença se torne saúde, 
E o ódio em amor. 

Beba um gole do vinho e despeje um pouco dentro do Caldeirão, fazendo uma libação, enquanto diz: 

''Faço esta libação em homenagem à Deusa e ao Deus. 
Homenageio também a todos os meus Ancestrais. 
Que assim seja e que assim se faça!''

Toque o pão com o Bastão e diga: 

''Eu te consagro em nome dos Antigos. 
Que você me traga saúde, sucesso, prosperidade e amor.'' 
Coma um pedaço do pão. 
Cante, dance e festeje em homenagem à Deusa e aos seus antepassados. 
Agradeça aos Ancestrais e destrace o Círculo.

Coloque o resto do pão no seu jardim ou aos pés de uma árvore como oferenda aos seus ancestrais.



Fonte: Livros e Internet
Fotos: Do meu altar. Proibida a reprodução.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...