quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

VIOLETA: COR DO EQUILÍBRIO E ESPIRITUALIDADE

''Tonalidade rege ano de 2014 e traz mais calma e intuição''
A cor de 2014 é o violeta. O ano possui, de acordo com a Numerologia, uma simbologia 7, que é representada por essa tonalidade. Afinal, o violeta rege sétimo Chakra do corpo, chamado de Coronário - localizado no topo da cabeça e diretamente ligado à espiritualidade.
A cor tem o poder de transmutação e transformação, ajudando quando nos encontramos perdidos, buscando o autoconhecimento e querendo promover mudanças em nossa vida. Além disso, também é muito eficaz em pessoas nervosas e excitadas, tendo efeito rápido e visível. Na presença do violeta, é possível se sentir mais calmo e tranquilo.

COR PODE SER USADA EM MENTALIZAÇÕES E ATÉ NA COMIDA

Para se beneficiar da energia do violeta, experimente visualizar a cor, através do exercício a seguir: sente em uma posição confortável, feche os olhos e visualize a cor no topo da sua cabeça, durante dois minutos. Inspire e mentalize a cor fluindo pelo seu corpo como um feixe de luz violeta. Se preferir, pode fazer a prática com os olhos abertos, olhando ou mentalizando algum objeto ou uma mandala violeta. Essa prática eleva o espírito, trazendo intuição, inspiração, paz interior e equilíbrio à mente. Ela também é indicada para estados de irritabilidade e intolerância.
Alguns alimentos nessa tonalidade também são indicados para consumo, como berinjela, uva roxa, beterraba, amora preta e brócolis roxo. Ao incluir essas comidas em seu cardápio, você já se beneficiará da energia do violeta no dia a dia. Se preferir, prepare uma água solarizada na cor violeta. Veja aqui como fazer a bebida.
Outra possibilidade é usar a cor em roupas, acessórios e até esmalte. Nesses casos, o violeta transmite autoridade, aumenta o poder de concentração e desperta o interesse dos outros. Por esse motivo, é aconselhável para quem precisa se expor e falar em público, pois a cor ajuda a ter mais foco e conquistar o respeito dos outros. Algumas religiões adotam essa cor na roupa para impor respeito e subordinação, por exemplo.
Na decoração, traz um nível elevado de paz, tranquilidade, equilíbrio e proteção, sendo indicada para a área da casa que a pessoa possui um altar ou objetos religiosos, além de locais como templos, salas de Yoga e Meditação.
Como essa cor está na energia de 2014, abuse dela no dia a dia para ter mais equilíbrio, buscar o autoconhecimento, transformar algo na sua vida. Lembre-se que esse é um ano para olhar dentro de você e trazer o seu melhor para fora. Que em 2014 você possa sentir a energia do violeta mais presente em sua vida.
Fonte: Personare.

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

ÁGUA SOLARIZADA PARA TER CORAGEM E DISPOSIÇÃO

''Aprenda a preparar técnica que ameniza depressão e afasta ideias fixas.''
Você já ouviu falar em água solarizada? Esse método simples de energização solar pode lhe ajudar a amenizar a depressão e o desânimo, além de afastar as ideias fixas e ter mais coragem, calma e equilíbrio. A luz do sol costuma ter um efeito purificador, renovador e revitalizante. Quando bebemos uma água que foi exposta aos raios solares, permitimos que esses benefícios fluam para diferentes partes do nosso corpo, renovando e revitalizando o organismo.
Além disso, a água solarizada também permite que os chakras (sete principais centros de energia distribuídos ao longo de nossa coluna vertebral)absorvam a energia dos raios solares e enviem suas propriedades benéficas por todos os sistemas do corpo. Além de energizar a água através do sol, também é possível aproveitar os benefícios das cores, trabalhando com a Cromoterapia. A ideia é potencializar o processo, trazendo ainda mais equilíbrio e harmonia para corpo, mente e emoções. Veja abaixo como prepara sua água solarizada.

PREPARANDO A SUA ÁGUA SOLARIZADA

A técnica é bem simples e fácil. Basta colocar água mineral em uma garrafa de vidro transparente e depois envolvê-la com papel colorido, como o celofane, na cor desejada. Outra possibilidade é comprar uma garrafa colorida, que hoje é encontrada em lojas de departamento ou decoração. Você também pode reaproveitar garrafas coloridas, como as de vinho ou cerveja. Mas nesse caso elas devem ser bem esterilizadas antes, e lavadas com água quente e sabão.
Vale reforçar que as garrafas utilizadas devem ser sempre de vidro, nunca de plástico. Além disso, garrafas brancas ou transparentes não são recomendadas, pois não oferecem os benefícios das cores.
O próximo passo é tampar a garrafa e expô-la ao sol. Deixe-a por um período mínimo de uma hora (sol forte), durante metade do dia (sol fraco) ou o dia todo (em dia chuvoso). O melhor horário para preparar a água é pela manhã, de 8h às 10h, principalmente no inverno. No verão, o sol da tarde, após às 15h, também é aconselhável. Uma dica é colocar uma pedra de gelo na água. Quando ela derreter, a bebida estará pronta para uso.
Se optar por envolver a garrafa com papel celofane, basta retirá-lo após a solarização. Esse mesmo papel pode ser usado na próxima vez que fizer o procedimento. A garrafa só precisa ficar envolta pelo papel na hora que estiver sendo exposta ao sol.
A luz solar, filtrada pelo vidro, energiza a água, que por sua vez adquire as propriedades da cor selecionada. A água é condutora de energias, inclusive da energia elétrica. Devido a esta capacidade de atrair e reter em si qualquer tipo de energia, tanto positiva como negativa, podemos considerar o elemento aquoso como um acumulador energético. Mas é importante lembrar que a água solarizada não pode ser fervida e nem congelada, pois as partículas tornam-se neutras, perdendo o seu efeito.
Foto: Ateliê PetraMística - Link: http://www.petramistica.com/

Como consumir a água solarizada.

O ideal é tomar um ou mais copos de água por dia. Confira abaixo o significado de algumas cores e veja como elas podem lhe ajudar. Depois disso, abuse da sua água solarizada:
  • Vermelho - é estimulante, afasta a depressão e tira o desânimo. É a cor das conquistas, das paixões e da sexualidade.
  • Amarelo - é ativadora e dinâmica, age sobre os processos mentais. O amarelo afasta as ideias fixas e aumenta a capacidade de raciocínio. É a cor da inteligência, do estudo e da criatividade.
  • Laranja - é restauradora e regeneradora, traz recuperação depois de um processo destrutivo e oferece a capacidade de refazer o que não está certo. É a cor da coragem, de enfrentar desafios e trazer autoconfiança e autoestima.
  • Verde - é calmante e equilibradora. O verde melhora qualquer estado físico negativo e energiza o corpo e a alma.
  • Azul - traz equilíbrio, paciência, harmonia e serenidade, tranquilizando o corpo e a mente. Ajuda nos casos de insônia e estresse.
  • Índigo - trabalha o equilíbrio energético, a intuição, a proteção, a limpeza e a purificação de ambientes.
  • Violeta - é profundamente espiritual, mística e religiosa. O violeta atua sobre quem está espiritualmente desequilibrado, descrente e sem conexão com as forças divinas.
  • Rosa - trabalha afetividade, amor, harmonia e união, além de ajudar no equilíbrio dos relacionamentos pessoais e profissionais.
Agora que já sabe o significado das cores, escolha a questão que mais precisa trabalhar no momento e tome de 15 a 30 dias a bebida na cor escolhida, para sentir os benefícios. Oriento sempre que a pessoa comece pela cor verde, para equilibrar o corpo. Depois do período estabelecido, é possível preparar a água em outra cor que sinta necessidade. Outra possibilidade é que a pessoa intercale o consumo da água solarizada na cor verde com outra água preparada em uma cor diferente. Nesse caso, o ideal é tomar um copo de água solarizada com o verde pela manhã, e outro copo à tarde ou à noite, de uma água feita em outro tom.
Mas vale reforçar que não é indicado fazer uso de todas as cores ao mesmo tempo. Em um processo terapêutico focamos em uma queixa de cada vez, e geralmente começamos pelo problema que mais lhe afeta naquele momento. Depois disso, gradativamente começamos a trabalhar outras questões. Por esse motivo é indicado que você sempre consulte um terapeuta para sua orientação.

PRAZO DE VALIDADE DA ÁGUA

Depois de pronta, o tempo de validade da água pode variar, dependendo da cor com a qual tiver sido solarizada. Veja abaixo o tempo de duração de cada uma:
  • - Cores quentes, como vermelho, laranja e amarelo: se a água ficar na geladeira, a água deve ser consumida em até uma semana. Caso você armazene a bebida em temperatura ambiente, a validade é de, no máximo, dois dias.
  • - Cores frias, como azul, índigo e violeta: se a água ficar na geladeira, a água deve ser consumida em até uma semana. Caso você armazene a bebida em temperatura ambiente, a validade é de três a quatro dias.
  • - Verde e rosa: a validade da água é de uma semana, seja em temperatura ambiente ou na geladeira.
Fonte: Personare.

domingo, 19 de janeiro de 2014

Meditação para relaxar a mente e o corpo


A meditação é uma prática milenar que te possibilita entrar em conexão com o Universo. Através desta prática, é possível atrair boas energias e muitos pensamentos positivos. O melhor de tudo é que, além do bem estar, a meditação ajuda a aliviar as dores e reduzir completamente o estresse.
Existem diversos tipos de Meditação, dentre eles, a Meditação com foco na respiração, uma técnica simples e que todo mundo pode praticar.
Veja como é simples!
- Diminua o ritmo respiratório e deixe a cabeça livre.
- Preste atenção em sua própria respiração por alguns minutos.
- Relaxe na posição mais confortável que escolher.
- Concentre-se em você mesmo.
- Respire e repare que através de seu nariz, seu diafragma trabalha, e assim, o oxigênio vai chegando aos seus pulmões.
- Com sua mente vaga, apenas prenda sua atenção no ar que está dentro e fora de seu nariz.
- Repita este processo até que o seu corpo fique mais leve e sua mente completamente livre de pensamentos negativos.
Ao compreender que meditar não é parar de pensar, a atividade pode ser uma oportunidade de esvaziar a mente dos problemas e de se cuidar melhor. Arrume sempre um tempinho para você.

Fonte: www.zastros.com.br

sábado, 18 de janeiro de 2014

Alcance o autoconhecimento através da meditação


Para muitos, a meditação é apenas uma maneira de relaxar ou se livrar do estresse causado pela dura rotina do dia a dia. Mas, na verdade ela não é só isso. A meditação é uma forma de autoconhecimento. O ato de meditar leva o ser humano a reconhecer o seu corpo, os seus sentidos e a trabalhar a sua mente.
Quando “paramos de pensar”, como muitos definem o processo da meditação conseguimos mergulhar em nós mesmos, deparando-nos assim com nossas angústias, nossos medos e nos livrando de cada um deles. É como se tivéssemos que fazer uma limpeza diária, uma faxina que começa na mente, mas se reflete no corpo, através de um bem-estar incomparável.
“O Ritual da meditação é baseado na construção de hábitos diários. É saudável realizar duas sessões diárias, de 10 a 20 minutos cada, uma pela manhã e outra à noite, depois do trabalho ou antes de dormir”, explica o professor de Yoga, Maurício Salém.
De acordo com o especialista, é preciso buscar um ambiente propício, um local onde seja possível sentar e respirar. Pode ser de frente para uma janela ou mesmo a uma parede. Pode ser em casa ou em um local aberto.
A construção de um pequeno altar, com flores, incensos e música suave completa a harmonia do local. Mas, atenção para não cometer exageros, pois excesso de estímulo pode atrapalhar. “Incensos, quando exageradamente sintéticos e colocados em ambientes fechados, atrapalham e prejudicam a respiração, portanto, é preciso cuidado”, alertou Maurício.
Confira um passo a passo preparado pelo professor Maurício Salém:
Pela manhã: a meditação diurna ajuda a pessoa a manter a serenidade, clareza e foco. O ideal é fazer após acordar, tomar banho ou lavar o rosto. Espreguiçar e bocejar são importantes para espantar o sono e não dormir na meditação. A respiração é importante.
À tarde e à noite: ajuda na eliminação do estresse e ilusões geradas ao longo do dia. Atua, também, na tranquilidade do sono, o que irá garantir um bom repouso. À noite, deite-se no chão e espreguice de forma a soltar as tensões e reorganizar o tônus muscular.
Faça uma prece e agradeça pelo dia vivido e as experiências obtidas. Perdoe quem tenha te ofendido e vá dormir sem magoas. A meditação também pode ser feita em família, antes de dormir. Lembre-se de que ao terminar a meditação da noite, você não deve se prender à televisão ou ao computador.
Mantra:
Pode ser um trecho de uma música ou uma frase curta que faça algum significado positivo. Pode ser também uma sentença de autoafirmação. Este mantra deve ser trabalhado junto à respiração. Irá servir para ancorar a concentração da mente.

1º Etapa – Verbalizado:
Inspire profundamente e recite a frase em voz baixa, colocando sua atenção no que é dito. O ideal é que seja uma frase curta e com sentido, possível de ser dita em uma exalação.

2º Etapa – Mentalizando:
Com o pensamento claro, inspire. Depois, expire. Mantenha o foco e realize estas ações em repetição. Depois volte para a 1ª etapa. O exercício da meditação serve para disciplinar a mente. A mente sempre irá querer fugir do foco, isso é normal. Cabe a você manter a concentração. Com o tempo, perceberá que esta tarefa se tornará mais simples.

Fonte: www.zastros.com.br

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Tipos de Meditação: conheça os mais comuns


Os benefícios da meditação são muitos. Dentre eles, encontrar a paz em si mesmo, fortalecer a sua mente para encarar os mais diversos problemas e energizar seu corpo para as batalhas do dia a dia. Contudo, de vez em quando, fica complicado encontrar uma técnica que se encaixe exatamente com nossos objetivos.

Por isso, preparamos um especial com três tipos diferentes de Meditação. Certamente, um deles vai atender as suas expectativas!

Meditação hinduísta

Principal objetivo: libertar o homem de seu tríplice sofrimento: a doença física, as desarmonias mentais e a ignorância espiritual.
Em uma cadeira, sente-se com a coluna alinhada e pés bem apoiados no solo. Caso prefira fazer a meditação no chão, fique à vontade. Basta cruzar as pernas em posição de lótus.
Aos poucos, comece a respirar de maneira mais lenta e tranquila, sempre mantendo os olhos abertos.
O seu pensamento deve ser: “Eu focalizo a atenção no que está acontecendo em meu mundo interior”.
Você perceberá que muitos pensamentos passarão pela sua cabeça, contudo, lembre-se: você tem o poder de escolher aqueles pensamentos que realmente te tragam a paz.
Sinta a paz, o amor e outros sentimentos bons tomando conta de você. Fique alguns instantes nesta plenitude e, quando se sentir à vontade, volte aos poucos à realidade.

Meditação zen-budista

Principal objetivo: busca da não-dualidade, tentativa de ultrapassar os limites da mente para chegar ao ponto em que, unidos, vemos que somos a vida do Universo.
Escolha um local que seja agradável para você. A única regra é estar em contato com a natureza. Alinhe a coluna, firme os pés no chão e afaste ligeiramente as pernas, sem travar os joelhos.
Esvazie bem o pulmão, soltando todo o ar pela boca várias vezes.
Caminhe, lentamente, sempre inspirando e expirando calmamente. Lembre-se que cada passo deve ter o tamanho da metade de seu pé.
Sinta os seus pés no chão, deixe a brisa bater em seu rosto. Fique atento a estes detalhes para que a sua cabeça só tenha este pensamento dentro dela.
A cada passo, você perceberá que a sua mente está em paz com você, com seu corpo e, principalmente, com o universo que o cerca.

Meditação do sono

Principal objetivo: controlar a respiração para conseguir diminuir a pressão sanguínea, aumentar a circulação e desintoxicar o organismo.
Você pode fazer esta meditação em seu próprio quarto, com as luzes apagadas. Basta deitar no chão ou na cama e fechar bem os olhos, para conseguir prestar atenção em cada parte do seu corpo.
O segredo está em, você mesmo, perceber quais são os pontos de tensão que andam atrapalhando o relaxamento do seu corpo. Comece pela cabeça e vá descendo, sempre relaxando o ponto de incomodo.
Lembre-se de que a respiração deve ser feita de maneira tranquila, bem na altura do abdômen e não no tórax. Isso melhora a oxigenação e libera emoções contidas. Relaxe, até dormir.

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Meditação e dança: relaxe o corpo e divirta-se


Você já conhece diversos tipos de meditação. Contudo, imagine misturar esta tranquila técnica a uma aula de dança. Criada pelo guru indiano Osho, esta novidade é uma ótima aliada no controle de doenças, alivio do estresse e, principalmente, relaxamento da mente.

Vamos aprender como funciona a técnica que mistura Meditação e Dança!
Primeira etapa – duração de 40 minutos
Para entrar no clima, coloque uma música que te traga muita tranquilidade e feche os olhos. Comece a soltar o seu corpo e vá entrando no ritmo aos poucos. O segredo é dançar sem nenhuma timidez, como se ninguém estivesse te olhando. Nada de controlar os seus passos. Deixe os movimentos fluírem.
Segunda etapa – duração de 20 minutos
Quando completar a primeira etapa, desligue o som e vá sentindo os seus músculos relaxarem. Aos poucos, ainda com os olhos fechados, sente-se no chão e, em seguida, deite-se. Permaneça em uma posição confortável por 20 minutos.
Terceira etapa – duração de 5 minutos
Levante-se aos poucos, sem forçar nenhuma parte de seu músculo e ligue novamente a música, contudo, em um volume bem baixo. O segredo, agora, é só restabelecer as partes de seu corpo. Volte a danças sem pressa, só colocando o corpo em movimento mesmo. Depois, é só sentir os efeitos de sua meditação.
Fonte: www.zastros.com.br

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Transforme seus hábitos em momentos de meditação


Meditar faz bem! Por isso, sempre que você encontrar um tempinho na agenda, vale a pena se dedicar a esta prática. Confira algumas dicas para você transformar hábitos rotineiros em verdadeiras meditações:

Comer
São poucas as vezes que conseguimos comer sozinhos. Porém, pelo menos uma vez por semana, você deve investir num almoço em que esteja desacompanhado. É que degustar diferentes sabores no silencio, numa conversa entre você e você mesmo, pode ser uma das melhores maneiras de meditar!
Cozinhar 
Se você pode meditar enquanto come, por que não meditar enquanto cozinha. Neste momento, você pode até contar com o som de um mantra, de uma música que reproduza sons da natureza ou uma canção clássica. O segredo é se sentir feliz e tranquilo.
Exercitar
Sim, a malhação pode ser um momento de meditação, principalmente se você faz isso ao ar livre. Olhar a natureza, sentir o cheiro das plantas, ouvir o barulho do mar, tudo isso traz uma paz interior muito grande. É como se estivéssemos lavando a nossa alma.
Afazeres
Você precisa limpar a casa? Lavar a louça, limpar o chão? Porém, ao invés de reclamar, que tal transformar estes afazeres em uma verdadeira meditação? Basta que você, junto a estas tarefas, faça algo que te traga paz interior. Que tal cantar ou discutir com você mesmo assuntos que estão atrapalhando a sua rotina?

Fonte: http://www.zastros.com.br

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Abordagens sobre o Xamanismo. Parte II.



Existem visões fortes ou acontecimentos incomuns que marcam alguém e revelam a um xamã já iniciado que a "Fonte de Tudo" está apontando aquela pessoa para ser um aprendiz. Este método é considerado o mais adequado pois evita que preferências pessoais interfiram no processo e garantem que a continuidade do conhecimento está sendo determinada por um estância de força superior, que vai portanto "cuidar" e "auxiliar" o aprendiz.

Outra forma comum de se aproximar da senda do xamanismo é chamado de "doença do xamã". Sem nenhuma causa detectável uma pessoa adoece ou cai em depressão profunda, perde a vontade de viver. Então descobre-se que ela tem a doença do xamã. Ela encontra um xamã e então este tem algum sinal que deve, não apenas curar, mas também fazer daquela pessoa herdeira e continuadora de seus conhecimentos.

Um processo iniciático tem início então e um ser humano vai começar a fascinante aventura de abandonar os limites da condição humana e partilhar com entes e deuses, com seres de outras linhagens de evolução vivências que o levarão a ser de fato "além do humano".

Um xamã pode ser um curador, um contador de história, um guerreiro ou um caçador. Pode dançar para expressar o poder, cantar e tantos outros aspectos da arte, alguns inclusive impossíveis de serem descritos ao ocidental civilizado que desconhece a riqueza do mundo no qual os nativos viviam.

A morte está sempre presente nos ritos iniciáticos de um aprendiz. Quando isso ocorre durante as cerimônias nativas, significa que o nosso antigo ser está morrendo e, a partir daquele momento, através do renascimento do aprendiz ele está apto a percorrer um caminho luminoso e vibrante como é a vida. Morrendo nessas cerimônias você está morrendo para o seu antigo mundo, repleto de condicionamentos e definições.

Rompendo essas barreiras você renasce das cinzas tal com a Fênix para começar a trilhar um caminho árduo com um sorriso nos lábios e com sua visão aberta. Assim é o xamanismo, um caminho que visa a expandir a sua consciência, mostrando outras dimensões de realidade.

Por isso percebemos que todo trabalho iniciático, quando profundo e não apenas formal, tem a fase da morte para a antiga vida e do renascimento para um novo ciclo. O ser que nasceu dentro deste contexto que chamamos realidade, tem um script pronto, um papel a desempenhar na realidade da vida.

Nas cerimônias xamânicas de morte, elas são encaradas como um sacrifício, onde sacrificamos o desequilíbrio e a angústia que o mundo dito civilizado nos deu. São essas cerimônias que fazem nos encontrarmos com nosso verdadeiro Ser, fazendo-nos acordar do sonho social.

A iniciação do xamã é sempre um caminho no qual ele se desintegra, se desfaz de tudo que o fizeram e então é reconstruído pela força da Mãe Natureza e redivivo começa outra vida, não mais presa as antigas formas, mas nascido de si, por si vai agora trilhar um caminho que quiçá, irá leva-lo há muito, muito longe.

Fonte: Internet.

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Abordagens sobre o Xamanismo. Parte I.


"Xamã é uma palavra de origem tunguska (povo nativo da Sibéria), designando uma pessoa que pode "voar" para outros mundos, entrar em um estado extático e ter acesso e contato com seus aliados (animais, vegetais, minerais), seres de outras dimensões e os espíritos ancestrais. O Xamã se diferencia do mago, curandeiro, feiticeiro ou bruxo, pela forma de comunicação com outros mundos. O Xamã se identifica com os seus auxiliares ao se transportar para outros planos, enquanto os outros invocam estes seres para seus rituais e trabalhos mágicos."

Uma definição básica de um Xamã é relacionada as culturas primitivas que respeitam a natureza e todas suas coisas viventes. Xamanismo não vê todas as coisas como objetos fixos, como geralmente nossas convicções ocidentais sugerem, mas como padrões de energia correntes, constantemente fundindo, trocando, e vagueando separadamente em uma dança infinita.

O Xamã é reconhecido como sendo uma pessoa com esta dança de energia, e como tal, está constantemente trocando energia com todas as coisas, vivendo em mudança constante. Nós nunca podemos ser exatamente como éramos a um minuto atrás, nós não podemos viver em nosso passado, nenhum poder reside no presente momento, temos que aceitar os padrões de energia que estão em nós.

Outro aspecto de convicção do Xamanismo é aquele mito da realidade dos dois lados da mesma moeda, diz de quem e como. Consequentemente, ambos são válidos. Uma pessoa simplesmente não pode existir sem a outra. Como Lao disse de Tsé, " Um é cria do outro ". Nossa deficiência de mitos na nossa cultura só serviu para nos fazer sentir isolados um do outro e resultou freqüentemente em medo, e preconceito do que realmente somos.

Quando nós estudamos os mitos, quando nós procuramos profundamente dentro de nós mesmos as respostas, nós aprendemos a entender nós mesmos e nossa conexão verdadeira com todas as coisas. Só deste modo, reconhecendo que nós somos tudo e tudo somos nós, poderemos verdadeiramente entender e curarmos nós mesmos e nosso mundo.

Em muitas culturas, o mito está em toda parte tal qual como o movimento da Consciência. Estas pessoas que buscam profundamente dentro deles achar respostas das que eles precisam tão desesperadamente, mas que foi rejeitado por uma sociedade que mergulhou no medo.

Quando nós viajamos em nossas visões, nossa mente subconsciente cria imagens que nos permitem entender o mundo, só palavras não podem descrever completamente o que fazemos nessas visões.

Isto é por que algumas pessoas vêem anjos enquanto outros são visitados por ETs e ainda outros falam com espíritos animais. Nossas mentes apresentam um pedaço de nós nessas imagens para que nós possamos nos entender melhor como indivíduos.

qualquer um que começou a buscar profundamente resgatar o contato perdido com a Mãe Terra, achando o lugar deles no grande círculo da vida, restabelecendo assim o seu próprio equilíbrio, é um " Xamã " moderno.

Ser um Xamã não confere grandes poderes ou grande respeito. Mas, é uma responsabilidade para nós mesmos e nosso mundo, para curar e ensinar os outros a viverem em paz com todas as coisas.

Fonte: Internet.

domingo, 5 de janeiro de 2014

Merkaba.


Consciência e ativação de seu veículo de luz

MER, significa luz, KA significa espírito e BA significa corpo. 

A Merkaba é o veículo de luz do ser humano, capaz de transportar o espírito (em estágios mais avançados até o corpo físico) para outras dimensões.

Através de estudos dos ensinamentos sagrados de Lemuria, Atlantida e antigo Egito, unificando com conhecimentos e estudos sobre física quântica e geometria sagrada foi possível a descoberta de um poderoso conjunto de técnicas que possibilitam alcançar a ativação completa do corpo e veículo de luz.

Juntamente com a abertura do chacra cardíaco e alcance da vibração de amor incondicional, somos capazes de fazer uma limpeza dos canais energéticos e sutis de nossos corpos, ampliando e elevando nossa consciência. 

Através da geometria sagrada, trazemos à consciência a existência de vários campos magnéticos que circundam nossos corpos (um deles é o campo formado pela estrela tetraédrica – ver figura abaixo), e através da meditação da Merkaba, conseguimos acessar estes campos, acionando nosso veículo de luz e projetando nosso ser para outras dimensões.

A conscientização e ativação do veículo Merkaba de luz pode trazer vários benefícios ao ser humano:

- Acelera consideravelmente o processo de ascenção

- Possibilita uma ampliação da auto consciência, assim como da consciência das relações com outros seres, planeta e universo, num geral

- Ativação dos canais energéticos dos corpos físico e sutis

- Harmonia e integração completa do ser

- Acelera e aumenta os insights – auto consciência

- Melhora o desempenho do corpo físico

- Ativa áreas do cérebro, aumentando o potencial

- Aumenta o potencial energético geral

- Aumento de habilidades como telepatia, clarividência, bilocação, multilocação, etc...

- Possibilita o alcance da imortalidade física.

Fonte: Internet.

sábado, 4 de janeiro de 2014

Kokopelli - parte I. Lenda.



Era uma noite de outono, e nós estávamos sentados ao redor de uma fogueira, no alto das montanhas na Mesa Verde, quando eu vi pela primeira vez a figura de Kokopelli se aproximando da nossa aldeia.


Ele tinha uma corcunda avantajada e vinha tocando sua flauta numa completa harmonia com o som das montanhas. Notamos imediatamente naquela figura o Deus Kokopelli, com sua flauta, corcunda e com suas características fálicas pronunciadas.

Sua flauta era confeccionada em osso, e ele a tocava pelo nariz. Segundo os anciões, as narinas possuíam poderes mágicos, pois o espírito entrava e saia do corpo por elas.

As estórias que eu escutava sobre nosso visitante, era que ele era um brioso Tolteca que chegou a Aztlán vindo do coração do México. Aztlán foi o local onde originou a poderosa Nação Asteca antes que ela construísse sua capital no meio de um lago, numa ilha conhecida hoje em dia como Cidade do México.

A fronteira norte de Aztlán ficava ao sul do Colorado e cobria todo o vale do Rio Grande no Novo México. A fronteira norte de Aztlán era povoada pelas pacificas Nações dos Pueblos. Nós os Pueblos éramos fazendeiros e habitavamos as encostas das montanhas. Dependiamos dos Seres-Trovão e do Arco-Íris Rodopiante para alimentar as Três Irmãs (Milho, Abóbora e Feijão) que garantiam a nossa sobrevivência.

A música, suave e inspiradora, ecoava pela parede do desfiladeiro. A Mesa Verde estava repleta de habitação no alto da encosta, as fogueiras brilhantes ardiam, e todo o Povo olhava, maravilhado, observando Kokopelli transformar a música encantada de sua flauta de nariz numa poção milagrosa, que alimentava os corações dos jovens e velhos.

Kokopelli não tinha corcunda, pois sua corcunda estava sentada ao seu lado e devia ser a sua sacola de objetos sagrados e de cura que ele havia trazido para negociar. Sua flauta parecia brilhar à luz da fogueira, e ele empregava os reflexos do fogo e o som de sua música para hipnotizar todo aquele público.

Haviámos tido um ano de seca e havia pouca esperança que voltasse a chover. As penas do cocar de Kokopelli eram brilhantes e vermelhas de arara, que davam a ilusão de que o corpo se banhava na Chama Eterna da paixão e da criatividade.

O Fogo da fertilidade que coroava sua cabeça também se irradiava de seu corpo enquanto se inclinava oscilante diante do fogo tribal. Ao terminar de tocar sua flauta, embrulhou-a como se fosse uma criança num pano brilhante e ofereceu à Grande Nação das Estrelas.

Suas palavras alcançaram os recantos mais distantes do povoado. - Esta flauta leva a música das Estrelas à Grande Mãe Terra, e convoca os Seres-Trovão a virem fazer amor com ela - gritou Kokopelli. - Esta união dará ao Povo uma criança que um dia conduzirá de volta às estrelas, através da Terra interior da qual todos vieram. Uma lufada do ar gelado da montanha passou pelo meu corpo, subiu o desfiladeiro e foi atiçar as brasas do fogo tribal, causando um redemoinho que explodiu, enchendo o céu noturno de fagulhas que lembravam as estrelas.

Os murmúrios de admiração saídos da boca do Povo ecoaram pela noite escura. Subitamente, a luz que os Seres-Trovão lançaram foi o suficiente para que todos vissem as massas do Povo Nuvem que já haviam se agrupado nos céus, em resposta ao chamado de Kokopelli. Uma vez mais o Povo gritou, espantado com a mágica realizada por esse Deus, Kokopelli.

Até mesmo os bebês, que já estavam dormindo, acordaram para apreciar o espetáculo mágico de Kokopelli. Certamente a chuva, há muito esperada viria para alimentar as Três Irmãs (Milho, Abóbora e Feijão), e o Povo conseguiria sobreviver.

Kokopelli recomendou que todos apanhassem seus potes de barro e recolhessem a água da chuva para usar futuramente. Os Trovejadores gritavam que a chuva ia começar.
Fonte: Internet.

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Arcano do Taro que rege o ano de 2014


:: Miriam Carvalho :: 
CARTA 3 - A IMPERATRIZ

A Imperatriz - Símbolo o triângulo (3)

A Manifestação da criação. A lei das 3 forças.
A geração. Elemento (água). De nada adianta a inteligência e a intuição se não houver a criatividade. A descoberta e liberdade do movimento para criar. Representa o processo criativo. Deus é uno na essência e trino na manifestação. A imperatriz gera e transforma o espírito, e é pelo mistério do nascimento que este será trazido à realidade. Alegria, criatividade, otimismo, expressividade, comunicação e fertilidade. Fazer de sua existência a manifestação de dons divinos.


SIMBOLOGIA DA CARTA
. Caractere mágico ou selo da inteligência de Júpiter
. Hieróglifo Ghimel - Lei das três forças - Trindade
. Doze estrelas: (aura de Nefertite) doze signos do zodíaco, doze tarefas de Hércules as vias do saber.
. Veste verde: dinâmica, versátil, capacidade de renovação, mudança e comunicação, grande energia psíquica.
. Pássaro rosa/violeta: Deusa Abutre Nekhebet, protetora das mulheres. Representa as cheias do Nilo.
. Trono amarelo/azul/preto/branco, concentração para planejar.
. Punhos rosa: move-se com emoção.
. Pássaro vem em sua direção: domínio da alma para atrai.
. Báculo na mão direita voltado para o ventre: poder de materialização, fertilidade.
. Coroa com víbora real: mestria
. Lua crescente: expansão, crescimento, fecundidade,
. Astrologia: Júpiter

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Novo Ano - Vida Renovada


por Maria Cristina Tanajura

Ano Novo, esperanças que se renovam e sempre acontece assim. Mas para que seja realmente dessa forma, é preciso que cada um também se modifique. Faça a sua parte. Busque o que sonha acontecer e trabalhe para que isto aconteça. No Universo, nada acontece sem que o esforço seja feito por cada pessoa. Colhemos o que plantamos, e com o passar do tempo, ao amadurecermos, a colheita promete ser melhor.

Esperar resultados bons sem merecimento é pura ilusão! Arregacemos as mangas e busquemos limpar as nossas consciências de tudo que não nos fez bem até agora. Vamos procurar ajudar àqueles que prejudicamos. Perdoar os que –muitas vezes por pura ignorância– nos prejudicaram.

Precisamos aprender a amar sempre mais, tudo o que fazemos, tudo o que nos rodeia e que não passa de expressão divina: a natureza, com todas as suas particularidades, os diversos animais, as pessoas que passam em nossos caminhos, cada uma delas um ser especial e peculiar, jamais por acaso ao nosso lado, por momentos, ou mesmo por uma vida inteira.

Aquele que nos parece feliz não deve provocar nossa inveja, mas sim a nossa admiração. Cada um tem o que merece. Não falo apenas de coisas materiais, mas de verdadeira alegria, de paz!
Podemos recomeçar a cada dia, precisamos fazer isto. Se erramos, não importa, pois podemos fazer diferente de agora em diante. Errando, a gente aprende - se quiser.
Precisamos sonhar sempre! Com tudo de bom e bonito que gostaríamos que se materializasse em nossas vidas. O pensamento tem muita força e se vivermos de acordo com essas metas desejadas, um dia elas serão alcançadas.

Importante é a gente lembrar que sem esforço e sem trabalho, nada se consegue e que o autoconhecimento é decisivo para que nos tornemos cada dia mais felizes. Antes de Cristo encarnar entre nós, os filósofos gregos já diziam isto. E Jesus apontou a Verdade como ferramenta indispensável para a verdadeira liberdade, que é a da consciência.

Que cada dia seja festejado, como quando cada novo ano chega! Que desejemos sempre, com sinceridade, a todos que encontrarmos no dia a dia o mesmo que na virada do ano a gente lhes deseja e que a esperança e a fé num futuro melhor seja o elixir que nos fortalecerá para que caminhemos sempre pra frente, em busca de um mundo mais fraternos e mais feliz!

No encontro de fim de ano que o médium José Medrado promove, aqui em Salvador, quando Bezerra de Menezes – através de sua mediunidade – fala a todos, por várias vezes, Bezerra disse para os presentes e para todos nós, seres humanos habitantes deste lindo planeta azul: independente dos problemas e dificuldades, sejam eles quais forem, PERSEVERE E PROSSIGA! Pra mim foi tão motivador e estimulante ouvir isto, que estou repassando para que essas duas palavras sejam sinalizadores de nossos caminhos, todos os dia, daqui pra frente.

Que Jesus, Mestre amado, fortaleça-nos os bons propósitos, dê-nos muita força para seguir em frente, pois certamente haveremos de vencer os vários desafios que nos chegarem, se tivermos fé em nós mesmos e no Pai que nos criou.

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Ano Novo - vocês estão convidados à Paz


por Marcelo Hindi


Hoje é trinta e um de dezembro, em alguns minutos, dia um de janeiro, e ao meu redor aprecio um sem fim de festividades e comemorações de ano novo. Simpatizo com o sentimento de renovação, e, nesta data, em particular, dedicarei esta coluna a todas as amigas e amigos que queiram compartilhar comigo de uma ceia diferente- uma celebração impar. Este é o meu convite a você.

Para começar, não será exatamente uma ceia, e sim uma farta refeição, que se inicia exatamente agora; o local deste evento único é onde você estiver e para onde quiser se dirigir. Os pratos: Compaixão, desprendimento, perdão, amor, generosidade, compreensão, conciliação e paz. É uma refeição muito interessante, pois terá inicio assim que você concluir a leitura deste texto - claro, caso tenha aceitado meu convite - e terminará só quando você desejar. Não precisa terminar se não quiser. Os nutrientes são muito especiais e nenhum desses alimentos da alma é indigesto.

Todos os dias são oportunos para exercitarmos a libertação de algumas das causas do nosso sofrimento. Hoje, em particular, pela intensa expressão coletiva de celebração, me motivei a lhe chamar para realizar comigo, algumas ações renovadoras.

O ato de amor convoca o desprendimento e o perdão. Amar e se deixar amar não expressam os maiores desafios. Embora, em algumas situações, representem seu grau de dificuldade. Quando esbarramos na questão do perdão, aí sim, encontramos algumas dificuldades.

Relaxe, ame, aprecie, estime, e se deixe amar. Ouse, nesta data, além de amar e ser amado, dar um passo mais desafiador, porém, libertador e capaz de proporcionar tamanha leveza e bem-estar, que faz valer a pena cada esforço: perdoar.

Liberte quem está aprisionado em suas memórias como ofensor: como aquele que faltou com você, que de algum modo representou a causa de um sofrimento, alguém que você carrega em seu mundo emocional, com algum pesar. Liberte de dentro de você a pessoa a quem é atribuída a culpa, e acredite, quase que instantaneamente você se libertará de um peso enorme, das forças negativas da culpa e da condenação.

A compaixão é uma prática viável para todos, e está ao seu alcance onde quer que você esteja. Associe a compreensão do que ocorre ao seu redor, dos que estão ao seu redor, e perceba o quão formidável você é, por ser capaz de servir a outrem - vale lembrar que você oferece o que tem, o que lhe faz próspero por poder oferecer, sem esperar - mesmo que seja com um afetuoso e gentil olhar. Podemos compreender as alegrias e tristezas dos que estão ao nosso redor, e oferecer alívio, alimento, abraço, sorriso e, com destaque, respeito e aceitação.

A generosidade pode ser expressa de tantas e tantas formas, e nesta ocasião, um excelente exercício de humanidade e de união. Compreendemos que somos parte de uma totalidade e, embora conservemos a idéia de separação, o meio onde nos encontramos e as pessoas que estão ao nosso redor, compõem conosco, uma unidade fantástica, porém, complexa e que é passível de ser harmonizada, como se o somatório de energias das pessoas, fatos, atos e cenários, confluíssem para o equilíbrio integral (holístico). E é nesse ínterim que entra nossa generosidade.

A generosidade é a oportunidade que temos de agregar valores ao todo do qual fazemos parte. É uma oferta desprendida, em favor da harmonia desse todo. Não mensuremos as nossas ações. Apenas, e tão somente, participemos: interessados, espontâneos, francos, gentis, cordiais, respeitosos, cujas disposições são favoráveis e devotadas a essa harmonia total.

Fazer parte de um exercício como o que proponho a você, nesta ocasião, pode ser uma aventura incomparável. Crenças, zona de conforto, conveniências, comodidade, valores rígidos, enfim, muitos elementos serão provocados. E esta é uma parte divertida, pois é, além de tudo, uma chance de percebermos o quão fácil é sermos estes seres maravilhosos que somos. A paz resultante desse banquete que você aceitou viver comigo, é um dos maiores presentes do momento. A paz a que todos nós temos direito. E hoje, tudo conspira em favor dessa leveza de ser.

Queridos leitores e adoráveis amigas e amigos, obrigado por serem parte da minha vida. Aos audaciosos aventureiros que aceitaram meu convite, depois não deixem de enviar um email para contar suas experiências, e, talvez, até possamos conversar tomando um perfumado chá. Feliz ano novo a todos, com votos de paz, conciliação e profunda renovação. Abraços.

Marcelo Hindi - Psicoterapeuta Holístico 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...