quinta-feira, 13 de março de 2014

O poder do seu olhar

por Maria Silvia Orlovas
Não é interessante como a gente esquece do nosso poder e vamos levando a vida, ou melhor, vamos sendo carregados pela vida, pelos acontecimentos e nos sentindo impotentes?
Semana passada, postei no meu facebook um pensamento assim: "Frustrações fazem parte da vida, apenas não se deixe limitar por isso. Aproveite o novo dia para ser feliz com o que tem".
Logo vieram várias "curtidas", alguns comentários tipo: grata por compartilhar...
Mas veio também uma nota assim: "Jogo do contente, Maria Silvia?"
Bom, palavras não têm sentimentos...

Podemos escrever algo achando que soou legal, e quem ler pode achar que foi uma crítica, assim como podemos realmente questionar por que não concordamos. Sem esquecer que podemos também questionar porque queremos saber o que o outro pensa.
Confesso a você, leitor, que tudo isso me veio à mente, pois se escrevi algo assim é porque realmente acredito que devemos olhar para o lado bom da vida, mas não é por que acredito nesse foco no bem, que não entendo as outras coisas, ou deixo de sofrer, ou de mergulhar em sentimentos mais profundos.

Minha vida é cheia de tensões de desafios como a vida de qualquer pessoa. Tenho dias mais felizes e dias mais tristes, cuido da família, tenho que me dedicar bastante no trabalho, faço ginástica, saio às compras, vou ao banco, e muitas vezes me preocupo com coisas pequenas, por que é justamente nas coisas pequenas do dia a dia onde somos testados, e é aí nesse nosso pequeno mundo que venceremos grandes karmas.
Vidas passadas mostra que repetimos vida após vida padrões de comportamento, não apenas nas nossas relações afetivas, como em tudo à nossa volta, e isso inclui na forma de agir, medos, raivas, e principalmente atitudes com pessoas. E como não devemos e não podemos gritar, brigar com o chefe, ou pessoas do nosso trabalho, muitas vezes é no seio da família que o stress mais aparece, então todos nós estamos cheios de coisas ruins, e pequenos fatos para nos tirar do sério, ou para nos entristecer. Mas será correto agir assim?

Descobri com a prática da meditação que devemos nos portar como observadores do nosso destino, precisamos olhar as coisas à nossa volta procurando evitar o mergulho constante em situações sem solução...
As vezes só o tempo oferecerá uma cura, em outros momentos o silencio, e em outros momentos uma atitude corajosa.
Entendo que as pessoas precisam aprender colocar o foco no bem, e ser feliz com o que tem, por que ficar reclamando e cultivar uma visão "real"dos fatos pode apenas mostrar apenas o lado mais denso, o mais material das coisas. E nem sempre olhamos os fatos como eles realmente são.
Percebi que se estamos tristes, ou com raiva, naturalmente olharemos o mundo a nossa volta com olhos carregados de tristeza, desalento, mágoa, raiva, mas e aí? Ficamos poluídos por nosso olhar?

Claro que situações ruins exigem um posicionamento nosso, e concordo que não devemos tapar o sol com a peneira, mas nem tudo é assim radical, ou triste. As coisas passam, e é muito bom saber que o momento ruim também vai passar.

Assim, amigo leitor, compreendo que focar o bem das coisas não é o mesmo que manter uma atitude superficial, ou mentirosa; ao contrário, olhar o bem de algo não tão bom exige uma mente muito fortemente focada no espiritual, no caminho de um Deus perfeito, que nos oferece as experiências necessárias para nosso crescimento e lapidação do ego, e algumas vezes não vamos gostar de viver o que temos que viver, mas ainda assim, podemos tirar proveito de cada fato. E tudo isso começa com a força e luz do seu olhar.
Vamos na luz e foco no bem!

Confira outros segredos acessando meu Blog: http://mariasilviaporlovas.blogspot.com/

Venha participar do seu 
Grupo de Meditação Dinâmica que acontece todas as quartas-feiras no seu espaço em São Paulo. Venha ouvir pessoalmente as canalizações. 


Fonte: STUM.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...