segunda-feira, 28 de abril de 2014

Ritual Wiccano. Parte I e II.

Cuidados
As Operações da Magia não estão isentas de perigos, pois temos que agir, sempre conscientemente, com base fundamentada na suprema, absoluta e infalível Vontade. É extremamente desaconselhável fazer da Magia um passatempo, uma prova de poderes. Ninguém se diverte impunemente com os mistérios da vida e da morte, e tudo em Magia deve ser tratado com seriedade e com a maior reserva. Nunca ceda ao desejo de convencer os outros pelas Operações Mágicas. Isso porque os efeitos mais surpreendentes nunca seriam suficientes como provas para as pessoas não Iniciadas. Mostrar prodígios para alguém ou acreditar na Magia é, para o Iniciado, tornar-se indigno ou incapaz da Magia. Não se vanglorie com as obras que operou. A Tradição sempre recomenda o silêncio dos doentes que são curados; e, se este silêncio for guardado fielmente, o Iniciado nunca será crucificado antes da conclusão de toda a sua obra.
Outra precaução que nunca devemos esquecer é não fazer qualquer operação quando estivermos doentes. O Homem verdadeiramente Homem só pode Querer o que deve, razoável e justamente, fazer. Por isso, impõe silêncio aos desejos e ao seu temor, para escutar a voz da Razão, no silêncio absoluto.
Um Homem assim é um rei natural e um sacerdote espontâneo para as multidões errantes. É por isso que o objeto da Iniciação se chama, desde as antigas Iniciações, Arte Sacerdotal ou Arte Real. Para praticar a Magia, só será considerado um verdadeiro Mago se puser acima de todas as fraquezas da Natureza.
Para dominar e submeter os espíritos elementais é preciso nunca abandonar-se aos defeitos que o caracterizam. Assim, nunca um espírito leviano e caprichoso governará os Silfos. Nunca uma natureza débil, fria e inconsciente será senhora das Ondina; a cólera irritas as Salamandras e a grosseria cupida faz dos eu domina joguete dos Gnomos. Porém, é preciso ser pronto e ativo como os Silfos, flexível e atento às imagens como as Ondinas, enérgico e forte como os Salamandras, laborioso e paciente como os Gnomos.

INVOCAÇÃO SIMPLES
Tenha consigo o seguintes materiais (serão utilizados na representação dos Elementais da Natureza).
  • 1 moeda antiga (para o elemento Terra)
  • 1 cálice ou taça com água até a borda (para o elemento Água)
  • 1 incenso de sua preferência (para o elemento Ar)
  • 1 vela branca (para o elemento Fogo) Faça uma cruz no chão, representando os pontos cardeais: Norte, Sul, Leste e Oeste. Coloque a moeda no ponto marcando Norte; o cálice com a água no ponto Oeste; o incenso (de preferência em um incensário) no ponto marcado por Leste e finalmente, no ponto Sul coloque a Vela Branca.
Faça uma oração qualquer (a que você mais goste), antes de começar a invocação. Primeiramente, pegue a moeda na mão e segure-a firmemente, dizendo: "EU (seu nome) SAÚDO A TERRA, A NATUREZA, TODOS OS SEUS ELEMENTOS E A SUA FORÇA. EU AGRADEÇO POR TUDO QUE A TERRA ME PRESENTEIA TODOS OS DIAS DA MINHA VIDA. PEÇO QUE A ENERGIA DA TERRA ESTEJA SEMPRE PRESENTE E ME TRAGA CORAGEM, ESTÍMULO, DISCIPLINA, CONFORTO, ESTABILIDADE E SAÚDE. EU PEÇO A TERRA QUE, REPRESENTADA POR ESTA MOEDA, ME PROTEJA E ME AJUDE SEMPRE. ASSIM SEJA." Coloque a moeda de volta no lugar. Em seguida, erga o cálice (ou taça) de água para o céu e diga: "EU (seu nome) SAÚDO TODOS OS ELEMENTAIS E AS DEUSAS DA ÁGUA. AGRADEÇO À ÁGUA POR TODA A ÁGUA EXISTENTE NO PLANETA, PELA ÁGUA QUE BEBO E DE QUE NECESSITO PARA VIVER. PEÇO AO ELEMENTO ÁGUA INTUIÇÃO, CLAREZA, VISÃO, ENERGIA, FORÇA MÁGICA. EU PEÇO QUE A ÁGUA CONTIDA NESSA TAÇA ME PROTEJA E ME AJUDE SEMPRE. ASSIM SEJA." Coloque a taça com a água no lugar. Depois, acenda o incenso e espalhe sua fumaça pelo ar, dizendo: "EU (seu nome) SAÚDO E INVOCO TODOS OS ELEMENTAIS DO AR. AGRADEÇO PELO AR QUE RESPIRO, PELOS VENTOS, PELA INTELIGÊNCIA, PELA CRIATIVIDADE, PELAS MINHAS VIRTUDES RACIONAIS. PEÇO AO ELEMENTO AR CAPACIDADE DE RACIOCÍNIO, CLAREZA DE IDÉIAS, CONDIÇÃO DE CRIAR E SER FELIZ. EU PEÇO QUE A FUMAÇA DESTE INCENSO QUE SE DESPRENDE NO AR ME PROTEJA E ME AJUDE SEMPRE. ASSIM SEJA." Novamente, coloque o incenso no seu lugar. Agora é a vez da vela. Acenda-a e diga: "EU (seu nome) SAÚDO E INVOCO TODOS OS ELEMENTAIS DO FOGO. PEÇO A INTUIÇÃO SAGRADA E A ENERGIA CURATIVA E CRIADORA DO FOGO. AGRADEÇO AO FOGO PELA VIDA. EU PEÇO QUE O CALOR QUE SE DESPRENDE DA CHAMA DESTA VELA SIGAM PARA OS MAIS NOBRE FINS, BEM COMO NA MINHA PROTEÇÃO E CUIDANDO DE MIM, ENQUANTO EU VIVER. ASSIM SEJA." Agora, que a invocação chegou ao fim, você deve tomar os seguintes procedimentos: a moeda, servirá como um amuleto de proteção e auxílio, então leve-a sempre carregue-a consigo; tome a água do cálice. Essa água, que fez parte da invocação, ajuda nas realizações mágicas (feitiços ou dicas mágicas) que você realizará. Já o incenso e a vela, deixe-os queimar até o fim. O que sobrar (o pó do incenso e a cera derretida da vela) é para ser jogado em um jardim ou a uma árvore bonita e frondosa ou na água corrente de um rio limpo.

Orações
"As orações são um molho incontável de chaves, capazes de abrir qualquer tipo de porta..." Rezar, não quer dizer, repetir fórmulas da nossa Religião, mesmo as mais antigas, e, portanto, cheias de forças, mas escolher aquelas que sentimos intensamente, de quaisquer credos, ou ainda, criarmos, nós mesmos, dirigindo-as às "Forças Cósmicas", ou "Entidades Específicas". Algumas orações, acima de tudo, servem para harmonizar-se com as Forças Superiores, além de que, são um auxílio extra para o início e o término de qualquer ato de magia. Lembre-se que você mesmo pode criar uma oração, são suas palavras dirigidas de dentro de seu coração, ditas diretamente aos deuses, com pureza e bons sentimentos, e em magia isso é o que importa.

Circulo mágico
Existem várias maneiras de se traçar um Círculo, você pode usar uma das mais simples: 1 - Pegue a Varinha Mágica ou o Athame e vá até o Norte. 2 - Visualize um raio, tipo um laser, saindo da ponta do seu objeto escolhido. 3 - Dê uma volta, devagar, no sentido horário, até chegar novamente ao Norte. 4 - Então diga: - "Pelo poder da Deusa e do Deus, eu traço este Círculo Sagrado. Deste espaço nenhum mal sairá, e nele nenhum mal poderá entrar!" Depois de traçar o Círculo, você deve invocar os Guardiões dos quatro Quadrantes, acendendo uma vela.

COR QUADRANTE REPRESENTA ELEMENTO
Vermelha Leste Nascer do Sol AR
Branca Sul O Sol do meio-dia FOGO
Azul Oeste O Crepúsculo ÁGUA
Preta Norte A meia-noite TERRA
Agora se deve invocar a Deusa e o Deus, vá até o centro do Círculo e faça as invocações. Elas podem ser as seguintes: Deusa graciosa, você é a Rainha dos Deuses; A Lâmpada da noite; A criadora de tudo que é selvagem e livre; Mãe das mulheres e dos homens; Amante do Deus e protetora de toda a Wicca; Descenda, eu suplico; Com seu raio de força lunar; Aqui, sobre o meu Círculo. Deus brilhante, você é o Rei dos Deuses; Senhor do Sol; Mestre de tudo que é selvagem e livre; Pai das mulheres e dos homens; Amante da Deusa e protetor de toda a Wicca; Descenda, eu suplico; Com seu raio de força solar.

ABRINDO O CÍRCULO
Começa então o Ritual de abertura do Círculo, e cada participante agradece a Deusa por estarem presente e falam:
LESTE:> Salve os Guardiões das Torres do Leste. Venham juntar-se a nós neste Círculo, Poderes do Ar, vinde! Vigiem este espaço sagrado. Nós o saudamos! Todos ficam em forma de um Pentagrama.
SUL :> Salve os Guardiões das Torres do Sul. Venham juntar-se a nós neste Círculo, Poderes do Fogo, vinde! Vigiem este espaço sagrado. Nós o saudamos! Todos ficam em forma de um Pentagrama.
NORTE:> Salve os Guardiões das Torres do Norte. Venham juntar-se a nós neste Círculo, Poderes do Terra, vinde! Vigiem este espaço sagrado. Nós o saudamos! Todos ficam em forma de um Pentagrama.
OESTE:> Salve os Guardiões das Torres do Oeste. Venham juntar-se a nós neste Círculo, Poderes do Água, vinde! Vigiem este espaço sagrado. Nós o saudamos! Todos ficam em forma de um Pentagrama.
A Alta Sacerdotisa, ou Sacerdote, desenha o Pentagrama de Invocação e o Ritual começa.

FECHANDO O CÍRCULO
A Alta Sacerdotisa e o Sacerdote agradecem à Deusa e ao Deus por terem estado presentes, e aos Elementos.
Casa pessoa volta ao seu lugar e diz:
LESTE: > Salve os Guardiões das Torres do Leste. Poderes do Ar, nós agradecemos sua presença aqui, como guardiões no nosso Círculo. Vão em paz, oh! grandes Guardiões do Leste, com nossas bênçãos e nosso agradecimento. Obrigado e Adeus! Todos ficam em forma de Pentagrama.
SUL: > Salve os Guardiões das Torres do Sul. Poderes do Fogo, nós agradecemos sua presença aqui, como guardiões no nosso Círculo. Vão em paz, oh! grandes Guardiões do Sul, com nossas bênçãos e nosso agradecimento. Obrigado e Adeus! Todos ficam em forma de Pentagrama. NORTE: > Salve os Guardiões das Torres do Norte. Poderes da Terra, nós agradecemos sua presença aqui, como guardiões no nosso Círculo. Vão em paz, oh! grandes Guardiões do Norte, com nossas bênçãos e nosso agradecimento. Obrigado e Adeus! Todos ficam em forma de Pentagrama.
OESTE: > Salve os Guardiões das Torres do Oeste. Poderes do Água, nós agradecemos sua presença aqui, como guardiões no nosso Círculo. Vão em paz, oh! grandes Guardiões do Oeste, com nossas bênçãos e nosso agradecimento. Obrigado e Adeus! Todos ficam em forma de Pentagrama.
A Alta Sacerdotisa desenha o Pentagrama de expulsão e mais uma vez agradece, e só então se fecha o Círculo com o Athame de novo, dizendo três vezes: "O CÍRCULO SE DESFAZ, MAS ELE NUNCA SE ROMPE" Ainda em forma de Pentagrama, faça uma meditação e visualize, o Círculo em tons de azul, subindo em direção aos Deuses. Que assim seja para o bem de todos!

Ritual de Auto-Iniciação
O Ritual de Auto-Iniciação é um compromisso entre você e os Deuses, portanto deve ser feito em absoluta solidão. Escolha uma Lua Cheia, próxima de seu aniversário. Se possível vá à algum lugar próximo à Natureza. - Uma casa de campo ou praia, é o ideal. No dia do Ritual, procure estar em contato com a Natureza. Tire o dia para descansar.
Afaste-se um pouco da televisão, dos jornais e de todas as possíveis fontes de notícias negativas e de violência. Esqueça as contas, os problemas de família, e desligue o telefone. Escolha um local em que você não possa ser interrompido. Antes do Ritual, limpe cuidadosamente o local onde ele será realizado, mentalizando que todas as energias negativas estão saindo juntamente com a poeira. Se você tiver uma Vassoura Mágica, use-a. Tome um banho relaxante. Um banho com pétalas de rosa e algumas gotas de perfume é o ideal. Este Ritual pode ser feito ao ar livre, mas como a pessoa deve estar nua, eu acho melhor fazê-lo num recinto fechado para não atrair curiosos, e, principalmente para não ter problemas com as autoridades.
Você pode seguir à risca o Ritual abaixo, ou usá-lo como base para criar o seu próprio Ritual, o que é bem melhor, pois você deve usar suas próprias palavras para se dirigir aos Deuses, sem ficar copiando ou simplesmente decorando texto elaborados por outras pessoas.

Você deve ter em mãos os materiais necessários para o Ritual:
Uma vela preta representando a Deusa;
Uma vela branca representando o Deus;
Quatro velas para os quadrantes, sendo uma vela preta para o quadrante Norte, uma vela branca para o quadrante Sul, uma vela vermelha para o quadrante Leste, e uma vela azul para o quadrante Oeste. Essas são as cores da tradição Celta, se quiser, pode mudá-las;
Um incensório com incenso de seu agrado;
Um pires com sal marinho;
Uma vasilha com água de fonte, de rio, ou se for difícil de conseguir pode ser água mineral comprada. Procure nunca usar em seus Rituais água de torneira;
Um Athame, ou um punhal de sua escolha;
Um cálice de vinho tinto (caso você não possa ingerir bebidas alcoólicas, substitua por um suco de maçã ou mesmo água);
O Ritual deve ser feito após o crepúsculo. Deixe que o local escolhido receba a luz da Lua por alguns minutos. No dia do Ritual, procure não comer carne e nem tome drogas de espécie alguma. Faça um jejum ou coma frutas e verduras. Quando for para o Círculo, tenha a certeza de que levou o material necessário para não ter que sair e interromper o Ritual. Se houver outras pessoas na casa, peça para que você não seja interrompido(a) durante aquele período. Durante o Ritual, você deve estar nu(a), sem jóias ou qualquer outro adorno. Os cabelos devem ficar soltos, se forem compridos. O objetivo do Ritual é nos apresentarmos aos Deuses de forma mais natural possível.
Acendas as velas em seus respectivos quadrantes, que devem ser determinados com o auxílio de uma bússola antes do Ritual. Monte o Altar ao Norte, com a vela da Deusa à esquerda e a vela do Deus à direita. No Altar também devem estar o Cálice, o Athame, o Sal, a Água e o Incenso, que deve ser aceso na vela da Deusa. Você também pode colocar no Altar coisas que sejam importantes para a sua vida e outros objetos de seu agrado. Lembre-se que a liberdade é a essência da Bruxaria!
Apague as luzes, e deixe que somente a luz das velas ilumine o aposento.
Segure o Athame com ambas as mãos e trace o Círculo Mágico, no sentido horário, começando pelo Norte, diga com energia e máxima concentração:
"Em nome da Deusa, eu traço este Círculo de Proteção! Dele nenhum mal sairá. Dentro dele, nenhum mal poderá entrar. Pelos Guardiões dos Quatro Quadrantes da Terra, eu convido todos os Elementais da Terra, do Ar, do Fogo e da Água para entrarem neste Círculo e me auxiliarem nesta iniciação".
Volte ao Norte, beije a lâmina do seu Athame e coloque-o novamente no Altar. Pegue o Sal, jogue três punhados na Água e diga:
"Abençoado seja o Sal que purifica esta Água".
Segure a vasilha com a água salgada e dê três voltas ao redor do Círculo, em sentido horário, enquanto deixa cair algumas gotas no chão. Volte ao Norte e diga:
"Da mesma forma que o Sal purificou a Água, que minha vida seja purificada pelo Amor da Grande Mãe".
Pegue o Incenso e dê três voltas ao redor do Círculo no sentido horário, volte ao Norte e diga:
"Abençoada seja esta criatura do Ar, que leva até aos Deuses a minha oferenda de Alegria!"
Fique de fronte para o Altar e diga:
"Eu, (diga seu nome completo), compareço diante dos Deuses de minha livre e espontânea vontade, abrindo meu coração para as verdades e ensinamentos da Wicca. Juro perante aos Deuses, jamais usar meus conhecimentos para prejudicar qualquer criatura viva ou para finalidades egoístas.
Juro nunca fazer em meus Rituais de Wicca nada que cause dor, sofrimento, humilhação ou medo à nenhuma criatura viva. Juro defender meus irmãos e irmãs na Arte, bem como divulgar a Wicca para todos os que desejarem aprender, sem jamais tentar converter ninguém às minhas crenças ou menosprezar as crenças alheias. Juro amar o Planeta Terra, procurar sempre harmonia com toda a Natureza, e, acima de tudo, colocar sempre a vida humana acima de interesses materiais. Juro nunca prejudicar meus irmãos da Arte, ou revelar seus nomes mágicos, embora eu tenha o direito e a obrigação de me defender contra energias ou pessoas negativas que queiram me prejudicar ou fazer mal aos que eu amo.
A partir de agora, não existem nenhuma parte de mim que não seja dos Deuses; portanto, meu corpo é sagrado. Nenhuma parte dele é impura ou vergonhosa. Meu corpo merece todo o respeito, como fonte divina de vida e de prazer. A partir de agora, a verdadeira autoridade sobre mim, virá somente dos Deuses. Não aceitarei nenhum tipo de opressão, nem ficarei do lados daqueles que oprimem meus semelhantes em busca de poder.
A partir de hoje, lutarei para que a justiça do Deus e Amor da Deusa sejam estabelecidos na Terra.Assim seja!"
Peque o Cálice, derrame um pouco de Vinho no chão e diga:
"Da mesma forma que o vinho se derramou, que o poder me seja tirado se eu não cumprir meu juramento".
Molhe o dedo no Vinho, desenhe um Pentagrama no ponto entre as sobrancelhas e diga:
"Que meus pensamentos sejam guiados pela Luz dos Deuses".
Molhe novamente o dedo e desenhe um Pentagrama em cada pálpebra dizendo:
"Que meus olhos vejam o poder dos Deuses em toda a Natureza".
Molhe o dedo no Vinho, desenhe um Pentagrama na boca dizendo:
"Que minhas palavras sejam para propagar o Amor dos Deuses".
Molhe o dedo, e trace um Pentagrama no seu coração, dizendo:
"Que a grande Mãe esteja em meu coração, para que eu tenha compaixão por todos os seres humanos e por todas as criaturas".
Molhe novamente o dedo e trace um Pentagrama na região do seu sexo, dizendo:
"Que meu sexo seja abençoado pelos Deuses, para que haja fertilidade em minha vida".
Molhe os dedos e trace um Pentagrama em cada um dos seus pés, dizendo:
"Que meus passos me levem pelos caminhos da Felicidade, e que os Deuses guiem todos os meus passos".
Segure o Cálice com ambas as mãos, beba o Vinho, deixando um pouco no fundo e diga:
"Este é o útero da Grande Mãe. Dele eu vim, e para ele voltarei com Alegria! Que assim seja, para o bem de todos!"
Jogue o resto do Vinho no chão.
O Ritual em si, está terminado, mas você ainda pode ficar mais alguns minutos no Círculo para meditar sobre Bruxaria e em todas as promessas assumidas.

Obs: Se você quiser assumir um nome mágico, assim que derramar o Vinho no chão diga:
"De agora em diante, meu nome perante os Deuses é ( diga seu nome mágico)".
Este nome deverá ser conhecido somente por você! Dentro de um ano e um dia, você poderá fazer um novo Ritual para confirmar seus votos, mantendo aou alterando seu nome mágico.
O Ritual de Auto-Iniciação é uma data de muita alegria, portanto não fique preocupada(o) se errar algumas palavras ou esquecer alguma coisa. Nem fique preocupada(o) se você não souber falar palavras bonitas. O mais importante é o que está em seu coração e os Deuses conhecem muito bem as palavras ditas com sinceridade. Se você não tiver os materiais necessários ou um ambiente propício, improvise, dentro das suas condições, use sua imaginação, pois o mais importante, o que realmente vale, é o Amor e a Devoção que você sente pelos Deuses.

Fonte: Desconhecida. Quem souber a fonte do texto, entrar em contato.


terça-feira, 22 de abril de 2014

Sheila Na Gig: Abra-se para o Novo. +Ritual.

Sheila Na Gig
(ABERTURA)
''Eu ilumino a minha vulva para todos, verem
Eu a abro bem o portal por onde tudo passa
A passagem para a vida...
Eu digo: entre pelo meu portal
abra-se ao que existe
Se você tem algo importante, mostre
para que todos possam ver
Eu sou a abertura para este mundo
o sagrado e o absurdo
o selvagem e o bárbaro
o audaz e o impudente
Eu sou a bruxa
aberta por tantas voltas
destruída, isolada, trespassada
Eu sou o portal para a Vida
e digo: Abra-o!''
Mitologia
Antiga Deusa do nascimento e da morte, a figura risonha de Sheila Na Gig, com as duas mãos
segurando aberta a sua yoni, adornava muitos portais de igreja até ser derrubada e destruída pelos ofendidos. Os celtas reverenciavam o poder sagrado dos órgãos genitais femininos e usavam esculturas que os representavam para proteção. Sheila Na Gig é retratada aqui como uma bruxa (mulher sábia) em toda a sua glória: caixa torácica de esqueleto, seios secos e caídos, com alguns dentes remanescentes e pouco cabelo, mas vibrante e desafiadora na beleza da sua idade. Essa beleza é direito de toda mulher, que deve reclamá-la. Ela desafia você a olhar para ela, enfrentar o medo de ficar velha e triunfar em sua celebração do que ficará velho e morrerá.

Mensagem da Deusa pra você
Sheila Na Gig ri provocantemente para você e a convida a juntar-se a ela na abertura. Está na hora de abrir-se a novas experiências, pessoas, lugares e coisas. É hora de começar novos projetos, forjar novas direções, aventurar-se corajosamente. O universo convida você a sair e brincar. Talvez você tenha precisado limitar sua energia para lidar com um ferimento, um luto, um final, ou então não tem sentido segurança para abrir-se. Talvez tenha precisado de um tempo de recolhimento, harmonização, concentração no seu íntimo. Sheila Na Gig está aqui para lembrá-la de que um período de contração é seguido pela expansão e pela abertura. É hora de alimentar a totalidade integrando o que a distensão, a expansão e a abertura trarão.

Sugestão de ritual: Crie abertura
Reserve um horário e um lugar em que você não seja interrompida. Sente-se ou deite-se, com a coluna reta. Feche os olhos. Respire fundo e solte o ar fazendo um som qualquer. Inspire outra vez e solte lentamente o ar com mais som. Deixe sair tudo nesse som, tudo o que você não precisa mais carregar. Começando pelos dedos dos pés, sinta ou visualize seu corpo lentamente transformando-se num verde profundamente relaxante, a própria cor da Mãe Terra. Toda vez que inspira você inala o verde, e quando você solta o ar, o verde permeia e estimula seu corpo, até você ficar profundamente relaxada e completamente verde. Agora visualize, sinta ou perceba um portal à sua frente. Ele é ornado com uma porta de ouro maciço ou com uma simples, mas elegante porta de madeira? É largo ou estreito, alto ou baixo? Deixe que o portal satisfaça suas necessidades. Quando tiver terminado de criar "o portal dos seus sonhos", fique diante dele e admire o seu trabalho.
Atrás do portal que você acabou de criar fica o Além. No Além há algo que você precisa ver e/ou vivenciar exatamente agora. Quando sentir que está pronta, abra a porta e dirija-se para lá. Sinta-se realmente aberta enquanto abre a porta. Quando terminar de ver o que precisa ver e/ou vivenciar no Além, volte por onde entrou e feche a porta. Olhe para o seu corpo e pergunte a si mesma: "Onde eu preciso me abrir?" Em seguida, visualize, crie, sinta e/ou perceba um portal em si mesma. Abra a porta e deixe entrar o que for preciso. Seu coração precisa abrir-se ao amor? Seus pulmões precisam abrir-se ao perdão? Quando sentir que obteve aquilo de que precisava, feche a porta. Sinta, vivencie ou visualize o seu corpo ficando verde outra vez. Respire fundo e, ao soltar o ar, deixe o verde sair pela cabeça. Inspire profundamente outra vez e, quando soltar o ar, deixe o verde sair pelos ombros, peito e braços. Continue inspirando e expirando até todo o verde ter desaparecido e você sentir-se inteiramente presente e revigorada, relaxada e energizada. Seja bem-vinda!

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Dissolvendo as dúvidas com Rhiannon. + Ritual.

Rhiannon
(DÚVIDA)
''Eu não tinha certeza, afinal, meu rosto estava sujo de sangue... Todos os dedos apontavam para
mim poderia eu tê-lo assassinado meu filho ainda criança? Meu próprio filho?
No meu sonho fui acusada e considerada culpada, duvidei de mim por sete longos anos.
Fiz papel de cavalo para os hóspedes de meu marido Pwyll carregando-os pela corte levando-os de
volta e foram muitos os momentos em que duvidei de mim eu e todos os outros seres humanos
porque eu era do Além tudo era possível.''
Mitologia
A Deusa-cavalo galesa do Submundo — Rigatona, ou Grande Rainha — era o nome original de
Rhiannon. Sua história foi reduzida a uma espécie de conto de fadas, e seu nome deixou de ser Grande Rainha. Embora não fosse humana, casou-se com Pwyll, um mortal, e deu-lhe um filho que desapareceu ao nascer. As donzelas que a atendiam esfregaram o sangue de um animal de estimação no rosto de Rhiannon e a acusaram de ter comido o filho. Rhiannon foi condenada a carregar todos os hóspedes do marido nas costas. Quando seu filho reapareceu, depois de sete anos, todos viveram felizes para sempre.

Mensagem da Deusa pra ti
Rhiannon entra a galope na sua vida para ensiná-la a lidar com a dúvida. Duvidar de alguém ou de alguma coisa quando seus instintos lhe dão sinais de alerta, é saudável. Ficar todo o tempo duvidando de si mesma é negar-se, e isso não ajuda muito. O melhor modo de trabalhar com a dúvida é transformá-la em questionamento. Duvidar de si mesma não leva a nada. O questionamento traz respostas.
Você está presa na dúvida e deixa o otimismo transformar-se em desespero, a confiança em pouca auto-estima, a vitalidade em preguiça e procrastinação? A dúvida se acrescenta aos seus medos e a impede de ser bem-sucedida? As dúvidas dos outros levam o barco dos seus sonhos ao naufrágio?
Talvez, no que se refere ao mundo exterior, você precise exercitar um pouco mais de ceticismo, em vez de confiar cegamente. Rhiannon lhe diz para não permitir que a dúvida mine o seu eu sagrado. Questione-se em vez de duvidar, e obterá as respostas de que precisa para prosseguir no seu caminho rumo à totalidade.

Sugestão de ritual: A alquimia da dúvida
Reserve um horário e um lugar em que você não seja interrompida.
Sente-se ou deite-se confortavelmente, com a coluna reta, e feche os olhos. Respire fundo e solte o ar lentamente. Inspire mais uma vez profundamente e solte toda a tensão e stress pelo nariz, como se você fosse uma baleia esguichando água. Respire fundo de novo e, enquanto solta o ar, visualize, sinta ou perceba uma árvore! Pode ser uma árvore que você já conhece ou uma que existe apenas na sua imaginação. Inspire profundamente e, ao soltar o ar, fique em pé diante da árvore. Estenda a mão e toque o tronco. Qual é a aparência das folhas?
Agora faça seu corpo transformar-se em água e escorrer, entrando pela terra. Sinta-se sendo
absorvida pelas raízes da sua árvore. Agora você está descendo, descendo, descendo cada vez mais e mais fundo. Tudo parece ser seguro e confortável, quente e acolhedor à medida que você desce. Você fica mais e mais relaxada à medida que se aprofunda. Avista uma amazona galopando num cavalo branco. É Rhiannon, e você pede que ela pare. Ela pára, desce do cavalo e caminha na sua direção. Você diz a ela que precisa da sua ajuda para transformar suas dúvidas, e ela concorda em ajudá-la. Você fala sobre a primeira dúvida e ela traduz em forma de pergunta. Você responde.
Depois faz o mesmo com a segunda dúvida e, assim por diante, até ter confiado a Rhiannon todas as suas dúvidas, até que ela as transformasse em perguntas para você responder. Você lhe agradece pela ajuda, e ela lhe pede um presente. Você oferece o presente a ela, de coração. Então Rhiannon monta em seu cavalo e sai a galope, enquanto você volta à raiz da árvore. Adentrando a raiz, você sobe, sobe, sobe cada vez mais, sentindo-se confiante, segura e revigorada, equilibrada. Você chega ao tronco da árvore e salta por um ramo, caindo no chão em frente da árvore. Respire fundo e, ao soltar o ar, volte ao corpo.
Inspire profundamente outra vez, e ao expirar, abra os olhos. Seja bem-vinda!

domingo, 20 de abril de 2014

Morgana: Deusa Tríplice Celta. + Ritual.

Morgana, a Fada
(RITMOS)
''Quando danço com a Vida
danço o meu próprio ritmo
mantendo o meu compasso
Minhas marés anímicas estão alinhadas e fluem
com a minha pulsação: minha expressão única
Reverenciando a mim mesma eu reverencio tudo
Quando você dança com a Vida, qual é o seu ritmo?
Ele é rápido ou lento, lépido ou litúrgico,
repetitivo ou em constante mudança?
Você deixa o ritmo servi-la,
ou abatê-la, acalmá-la,
ou agitá-la, encorajá-la,
ou perturbá-la?, Você sabe?''
Mitologia
Morgana, a Fada, é uma Deusa tríplice celta da morte e do renascimento, representada como uma bela jovem donzela, uma vigorosa mãe/criadora ou uma bruxa portadora da morte. Ela também foi uma Deusa do mar, pois seu nome, "Mor", na língua celta significa mar. Seu último nome tem dois significados: "a fada" e "o fado", ou a sina. Nas lendas arturianas, ela era meia-irmã de Artur. Diz-se que ela manipulava Morderete, filho dela com Artur, para induzi-lo a matar o pai. Quando Artur morre, Morgana, a Fada vem em seu auxílio para levá-lo à ilha mágica de Avalon, onde ela o cura e, em seguida, lança-o num sono profundo, do qual ele só acordará quando o tempo for propício.

Mensagem da Deusa pra ti
Morgana, a Fada chegou dançando à sua vida com seus tambores e sua magia para convidá-la a descobrir e viver seus ritmos. Qual é o seu ritmo pessoal? Você sabe qual é o melhor momento para exercitar-se, dormir, comer, ser criativa, fazer amor, trabalhar, etc? Ou gasta toda a sua vitalidade ajustando-se ao ritmo imposto pelo trabalho, pela família, pelo amante, pelos amigos? Você mergulhou na vida do outro e vive o ritmo dele em vez do seu? Talvez: você nunca tenha descoberto o seu ritmo porque quer agradar àqueles com quem convive e "fazer parte do time". É de vital importância que você siga o seu próprio ritmo. Fluir com ele lhe dará mais energias, porque você não estará mais reprimindo o que lhe é natural. Morgana, a Fada diz que a vitalidade, a saúde e a totalidade são cultivadas quando você flui com sua pulsação única, em vez de ir contra ela.

Sugestão de ritual: Jornada até Avalon
Reserve um horário e um lugar em que você não seja interrompida.
Sente-se ou deite-se confortavelmente, com a coluna reta, e feche os olhos. Respire fundo e solte o ar lentamente. Inspire profundamente outra vez e solte o ar como se fosse um dragão de fogo, exalando chamas de tensão. Faça isso novamente e, quando soltar o ar, veja quão longe você consegue lançar as chamas da tensão. Agora, respire fundo outra vez e, ao expirar, visualize, sinta ou perceba que está num pequeno barco. Pode ser um barco com o qual você já está familiarizada ou um que só existe na sua imaginação. O barco balança, balança para frente e para trás, e você entra num estado de profundo relaxamento. É tão agradável ser suavemente embalada pelo barco enquanto você é carregada através da água, em segurança.
Você olha para cima e só vê a bruma, que se desfaz lentamente, abrindo uma passagem para o barco. Depois que você entra, a bruma se fecha outra vez. Adiante fica a ilha de Avalon. O barco chega à margem, e você desembarca. Morgana, a Fada, lhe dá as boas-vindas e a recebe em Avalon.
Ela pergunta o que você quer, e você diz que veio buscar ajuda para lidar com seus ritmos. Ela toma sua mão e a leva até um tanque mágico no centro de um círculo de macieiras. Vocês se sentam nas pedras na beira do tanque. Morgana, a Fada pega sua varinha e agita a água do tanque. Quando a água se aquieta outra vez, o que você vê na superfície é exatamente aquilo de que precisa. Você agradece a Morgana, a Fada pela ajuda, e ela lhe pede algo que você dá com gratidão, de coração aberto. Então ela a acompanha de volta ao barco. Você entra no barco e ele parte.
Novamente a bruma se abre para você, depois se fecha. O embalo suave do barco é reconfortante. Você está voltando, sentindo-se profundamente purificada e consciente, voltando, sentindo que sabe o que precisa fazer, voltando, sentindo-se refrescada e revitalizada. Você respira fundo e solta o ar bem devagar, voltando plenamente ao corpo.
Respire fundo outra vez e, enquanto solta o ar, abra os olhos. Seja bem-vinda!

sábado, 19 de abril de 2014

Maeve: Deusa Guerreira + Ritual.

Maeve
(RESPONSABILIDADE)
''Eu sou uma Guerreira, uma Guerreira do Coração.
Sou a Rainha dos domínios de mim mesma
Sou capaz de responder em todas as situações
A partir do conhecimento de quem sou
Minhas ações são quem eu sou...
Minhas crenças são quem eu sou...
Tudo o que eu faço é quem eu sou...
O que é exterior a mim, é exterior...
Aquilo que decido interiorizar eu possuo e reconheço
Como você pode ser responsável se não tomar 
posse de todos os aspectos de si mesma?
Como pode ser confiável sem ser Rainha em seus próprios domínios?
Como pode servir seu esposo, seus filhos, sua comunidade...
se não estiver disposta a reconhecer-se e a responder por si mesma?''
Mitologia
Maeve, cujo nome significa "intoxicante", foi associada à Irlanda, e representou a soberania do país e seu centro mágico, Tara. Com o passar do tempo, ela foi reduzida a Maeve a Rainha, que podia correr mais que os cavalos, conversar com os pássaros e levar os homens ao ardor do desejo com um mero olhar. No épico irlandês Tain Bo Cuillaigne, Maeve (que se escrevia Medb ou Mebhdh) discute com o seu rei sobre quem é o mais rico, uma vez que, segundo o costume celta, o mais rico numa parceria é o soberano. Ele venceu porque tinha um touro mágico. Ela então decidiu roubar um touro vermelho mágico para si. Depois de várias batalhas e muito derramamento de sangue, Maeve venceu o touro vermelho. Entretanto, quando os dois touros se enfrentaram, estraçalharam-se um ao outro em pedaços.

Mensagem da Deusa pra ti
Maeve entra corajosamente no seu caminho para desafiá-la a assumir a responsabilidade pela sua vida. Está na hora de ser a "rainha de seus domínios", tornando-se consciente, depois responsável
por tudo o que você faz, por tudo o que você é, por tudo aquilo em que você acredita.
Existem pontos dentro de você que parecem incertos como águas desconhecidas. Você parece viver no "automático", como se tivesse sido programada por outra pessoa? Talvez você tenha sido arrastada em determinada situação em vez de tentar descobrir se esse é o melhor lugar para você.
Ou talvez não esteja disposta a tomar posse de todos os seus aspectos, a reconhecer o que tem feito para ajudar a criar a situação ou o relacionamento que você vive agora.
Maeve está aqui para lembrá-la de que o caminho para a totalidade é assumir a responsabilidade pela sua vida, seja ela como for. Somente quando você assumir a responsabilidade, reconhecer onde está, quem você é, o que você é, é que poderá criar algo diferente.

Sugestão de ritual: Dança da posse
Reserve um horário em que você possa sentir-se segura no seu ambiente, não seja interrompida e possa fazer barulho. Talvez queira acender uma vela e/ou queimar um incenso, o que for mais útil para o processo. Em primeiro lugar, faça uma lista usando uma folha de papel para cada área da sua vida: emprego, filhos (se os tiver), relacionamento com amigos, amantes, parentes, etc. Tudo quanto você quer fazer desta vez depende de você. Perto de cada palavra que escreveu, anote o que está sentindo sobre isso. Por exemplo, emprego: secretária num escritório de advocacia; sentimento:
ódio. Então continue passando à folha seguinte e assim por diante até terminar. Junte as folhas e vá para um local bem espaçoso. Escolha uma música que a faça dançar do jeito que você gosta ou use um chocalho ou tambor. Trace um círculo no centro desse espaço, andando, desenhando-o no chão, ou então dispondo objetos em círculo.
Quando estiver pronta, comece a música. Dê a si mesma permissão para brincar, para realmente aproveitar e ter um momento agradável. Por enquanto, fique fora do círculo. Pegue a primeira folha e diga em voz alta as palavras escritas nela. Em seguida, diga: "Isso é meu", tantas vezes quanto você precisar para sentir que tomou posse disso. Você pode acompanhar as palavras batendo os pés no chão, pulando ou fazendo qualquer movimento que lhe pareça adequado.
Quando terminar, coloque a folha no centro do círculo e passe à folha seguinte. Faça o mesmo com essa folha e depois coloque-a no círculo junto com a primeira. Quando tiver feito isso com todas as folhas de papel, dance ou pule para dentro do círculo e pegue todas elas. Parada ou continuando a se mover e a dançar, diga: "Tudo isso é meu" quantas vezes for preciso. Inspire profundamente para tomar posse de tudo o que está escrito no papel.
Quando sentir que está pronta, saia do círculo e apague a vela. Agradeça a si mesma, agradeça a Maeve, agradeça à sua vida. Remova ou desfaça o círculo. Deixe-se sentir a totalidade e o poder, agora que você se alimentou de responsabilidade.

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Cerridwen: Deusa Celta da Morte & Renascimento. + Ritual.

Cerridwen
(MORTE E RENASCIMENTO)
''Eu lhe dou a vida...
Eu lhe dou a morte...
É tudo uma coisa só.
Você anda pelo caminho em espiral
O caminho eterno que é a existência
Sempre se transformando,
Sempre crescendo,
Sempre mudando,
Nada morre que não nasça outra vez
Nada existe sem ter morrido...
Quando vier até mim eu lhe darei as boas-vindas
Então a acolherei no meu útero
Meu caldeirão de transformação
Onde você é misturada e peneirada
Fundida e fervida, derretida e triturada
Reconstituída e depois reciclada...
Você sempre volta para mim
você sempre vai embora renovada
Morte e renascimento...
não são nada mais que pontos de 
transição ao longo do Caminho Eterno''
Mitologia
Para os galeses, Cerridwen é uma Deusa tríplice — donzela, mãe e mulher idosa — cujo animal totêmico é uma grande porca branca. Ela se relaciona com a Lua, a inspiração, a poesia, a profecia, a mudança de forma e a vida e a morte. Cerridwen teve dois filhos. Um era belo e o outro, feio.
Como queria que o rapaz feio tivesse algo de seu, ela fez para ele uma poção mágica. Demorou um ano e um dia para terminar de fazer a poção, que se destinava a torná-lo inspirado e brilhante. Ela ordenou que Gwion, seu assistente, tomasse conta da poção e o advertiu para não bebê-la. Acidentalmente, algumas gotas da poção espirraram na mão de Gwion, e ele levou a mão à boca. Instantaneamente, ele sabia tudo, até mesmo que Cerridwen tentaria matá-lo. Ele fugiu e ela foi atrás dele. Depois de muitas mudanças de forma, Gwion foi engolido por Cerridwen, que o deu à luz nove meses depois.

Mensagem da Deusa pra você: 
A aparição de Cerridwen na sua vida anuncia um tempo de morte e renascimento. Algo está
morrendo, e é preciso deixar que se vá para que algo novo possa nascer. Conhecemos essa dança de morte e renascimento da Terra com as estações do ano. A matéria não pode ser criada ou destruída, mas passa por transformações. O mesmo acontece conosco. Para viver na plenitude e com totalidade é preciso que aceitemos a vida como ela é, que inclui a morte e o renascimento.
Desapegue-se do que não serve mais para você e para sua totalidade.
Talvez você tenha chegado ao final de um ciclo, de um relacionamento, de um emprego, e esteja com medo de deixá-los ir embora. Ou sente que está morrendo, quando apenas uma parte de você tem de dar lugar ao novo. Talvez a ideia de que existe morte e apenas morte seja dolorosa demais para você aceitar. O fato de vivermos em determinada cultura privou a maioria de nós do caminho de morte e renascimento da Deusa. A totalidade é alimentada quando ficamos conscientes de que cada passo no caminho da vida também é um passo rumo à morte e ao renascimento. A totalidade é conquistada quando conseguimos dizer sim e dançar com a morte e o renascimento.
Cerridwen diz que você sempre receberá de volta o que der a ela. Isso será mudado, transformado, mas você o terá de volta.

Sugestão de ritual: O caldeirão de Cerridwen
Reserve um horário e um lugar em que você não seja incomodada.
Sente-se ou deite-se confortavelmente, com a coluna reta. Feche os olhos. Inspire profundamente e expire lentamente, contando até dez. Inspire outra vez e novamente expire contando até dez. Faça uma terceira inspiração profunda e, enquanto solta o ar, visualize ou sinta um túnel. Pode ser um túnel que você conheça ou um túnel que você imagine. Fique em pé do lado de fora do túnel e passe os dedos pela superfície da entrada. Sinta o cheiro. Entre no túnel. Lá dentro está quente e confortável, ele é bem iluminado e agradável. Você vai descendo, descendo cada vez mais fundo.
Descendo, descendo, sente-se relaxada, confortável, até chegar ao final do túnel. Há luz no fim do túnel, a luz do Além. Você passa para o Além e é recebida por Cerridwen. Ela pega você pela mão e a leva até seu caldeirão. Ele é gigantesco e preto. Cerridwen mexe o conteúdo do caldeirão e pede que você ponha ali tudo o que precisa ser transformado e abandonado, tudo que precisa morrer. Você põe tudo no caldeirão e mexe. Cerridwen agita o caldeirão.
Cerridwen pára de agitar o caldeirão, deixa de lado seu bastão e coloca as mãos dentro dele. Ela tira o que você jogou lá dentro, que coloca na sua frente. O que você jogou foi transformado no que é preciso. Você agradece a Cerridwen e ela lhe pede um presente, que você dá de boa vontade. Pronta para voltar, você entra no túnel levando consigo o que foi transformado dentro do caldeirão de Cerridwen. Agora você está subindo, subindo, subindo, sentindo-se revigorada, energizada. Continue a subir até chegar à entrada do túnel. Você sai do túnel e respira profundamente. Ao expirar lentamente, você volta ao corpo. Respire fundo mais uma vez e, quando estiver pronta, abra os olhos. Seja bem-vinda!

Fonte: Livro - O Oráculo da Deusa.

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Conectando-se com a Deusa Brigith. + Ritual.

Brigith/Brígida
(INSPIRAÇÃO)
''Deixem que eu me aproxime de você através da bruma, através do fogo, através das plantas, através das fontes profundas e abundantes com ideias, visões, palavras, música que penetra nos ouvidos. Deixe que eu a comova, anime, estimule até que suas perspectivas mudem e sua mente, corpo, espírito explodo e você seja deixada em pé no rastro do que foi revelado e a vida pareça muito doce... ''

Mitologia
Brígida, que significa "luminosa", é uma Deusa tríplice do fogo: o fogo da inspiração, da ferraria, da poesia, da cura e da adivinhação. Sua inspiração foi vital para os bardos (poetas) que a invocavam livremente. A lenda diz que Brígida nasceu com uma chama que saía do alto de sua cabeça, ligando-a com o universo. A nova (cristã) e a antiga (pagã) Brígida fundiram-se na figura da santa Brígida no ano de 450. Santa Brígida, filha de um druida, era uma ferreira e curadora. Dezenove monjas/sacerdotisas guardam sua pira sagrada em Kildare, na Irlanda. Diz-se que, no vigésimo dia de cada mês, ela aparece e vigia pessoalmente o fogo.
Significado da carta Brígida vem para abrasar você com inspiração. Você está sentindo falta de direção? De motivação? De energia? Seu caminho está fora de foco, sua vida tornou-se confusa? Você anseia por algo, mas não consegue alcançar? Está na hora de alimentar a totalidade interiorizando a centelha e o crepitar da inspiração. Brígida diz que uma vida sem o fogo da inspiração na verdade é insípida. Ela aconselha ainda que, ao permitir que a inspiração alimente a sua vida, você se torne mais arguta, mais clara e mais energética.

Sugestão de ritual: Jornada até Brigith
Reserve um horário e um lugar em que você não seja incomodada.
Sente-se ou deite-se numa posição confortável, com a coluna reta, e feche os olhos. Quando estiver pronta, inspire profundamente e expire com um bocejo, liberando tudo o que houver para liberar.
Inspire outra vez profundamente e expire com um assobio. Inspire uma terceira vez e, enquanto solta o ar, visualize ou sinta uma caverna: pode ser uma caverna que você tenha visitado antes, ou uma caverna que só existe em sua imaginação. E então, inspire profundamente mais uma vez e, quando soltar o ar, fique diante da caverna. Passe os dedos pela parede. Sinta o seu cheiro. Entre.
A caverna é bem iluminada e quente por dentro, e você se vê descendo, descendo, cada vez mais fundo. A sensação de descer profundamente é muito agradável. Há uma luz no final da caverna. Você está no limiar, o ponto em que a caverna acaba e começa o Além.
Agora entre no Além. Observe a luz deslumbrante do sol, o frescor do ar e a vivacidade das cores. Brígida está à sua espera ao lado de um antigo poço de pedra. Você caminha na sua direção pisando na grama macia, esponjosa, verde-esmeralda. Ela diz que está feliz em vê-la e contente por que você chegou. Você lhe conta que está em busca de inspiração. Brígida lhe pede um presente, e você o oferece satisfeita. Então ela introduz você num círculo de fogo e acende uma chama no seu chakra da coroa (no alto da cabeça). Você sente uma vibração e um estímulo nesse ponto. Sente sua energia fluir e expandir-se. Seu poder de visualização fica nítido e mais forte. Você se sente inspirada!
Está na hora de dizer adeus. Você agradece à Brígida. Ela lhe diz que tudo que você tem a fazer para ativar a inspiração é visualizar a chama no alto da sua cabeça. Você entra na caverna. Agora você está subindo, subindo, subindo através do conforto quente da caverna, sentindo-se relaxada, energizada, revigorada. Você sobe até chegar à entrada da caverna. Saia e respire profundamente, enquanto solta o ar suavemente, sinta que está de volta ao corpo. Faça outra inspiração profunda e, quando expirar, se estiver pronta, abra os olhos. Seja bem-vinda!

Fonte: Livro - O Oráculo da Deusa.

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Conectando-se com Blodeuwedd. +Meditação.

Blodeuwedd
(TRAIÇÃO)
''Nascida de flores e feita para o prazer fui dada a Lkew Llaw como esposa. Fomos felizes e passamos muitas horas fazendo amor até que ele se foi certa manhã, para a corte do Grande Rei... Naquele dia, outro homem apareceu e ele era quem eu queria.
Suas carícias eram mais doces sua virilidade mais forte ele prometeu não me abandonar...
Eu não poderia viver sem ele. Juntos planejamos a morte do meu marido.
E a executamos no ano seguinte. Pensamos ter matado Llew, mas ele voltou um ano depois matou meu amante. Corri, para fugir, na esperança de escapar, mas os cascos pesados de meus perseguidores logo me alcançaram. O mago que me transformou de flores em mulher transformou-me de mulher em coruja, como castigo pela minha traição''

Mitologia
Blodeuwedd, a Deusa galesa, foi dada em casamento ao Deus do Sol Llew Llaw Gyffes (Lugh) no solstício de verão de Lughnassah. Seu nome foi associado à traição porque ela enganou o marido fazendo-o encarar o complicado caminho para a corte: banhar-se embaixo de um telhado de sapê num caldeirão na margem de um rio, em pé, com uma perna tocando um cervo. Então ela o matou com a ajuda do amante. A história real fala de forças arquetípicas. Blodeuwedd representa a voraz Deusa da Terra, faminta do sangue do rei sagrado para fertilizar seu solo.

Significado da carta
O chamado ruidoso de Blodeuwedd se faz ouvir na sua vida, alertando você para uma traição.
Como a traição aparece na sua vida? Você teve problemas para escolher amigos, namorados,
colegas de trabalho, companheiros confiáveis? Toda a preocupação, a consideração e a lealdade que você demonstra são retribuídas com traição? Você enganou alguém para obter o que queria?
Blodeuwedd diz que no caminho para a totalidade você deve responder à pergunta: "Como traí a mim mesma?", já que toda traição provém da traição a si mesma.

Sugestão de ritual: Jornada até Blodeuwedd 
Reserve um horário e um lugar em que você não seja interrompida.
Sente-se ou deite-se confortavelmente, com a coluna reta, e feche os olhos. Respire profundamente, inspirando segurança enquanto diz ou pensa estas palavras: "Estou em lugar seguro." Respire fundo outra vez, inspirando proteção com estas palavras: "Estou protegida." Faça uma terceira respiração profunda, inspirando aceitação com as palavras: "Sou aceita." Observe que sentimentos vêm à tona quando você inspira confiança, proteção e aceitação.
Agora visualize, sinta ou imagine um lugar ao ar livre onde você possa relaxar. Pode ser um lugar que você conhece e visite regularmente ou um lugar que existe apenas em sua imaginação. Inspire profundamente e, à medida que solta o ar, dirija-se para lá. Que perfumes, cores ou texturas você pode perceber? Inspire profundamente outra vez e, quando expirar, instale-se e relaxe.
Quando estiver pronta, chame Blodeuwedd. Ela aparece diante de você e pergunta o que você quer. Você pede ajuda para curar a raiz da sua traição a si mesma, e ela concorda em ajudá-la. Blodeuwedd cria uma tela de cinema alguns metros à sua frente. Com um estalar de dedos, ela começa a rodar um filme. O filme é a sua infância desde o momento do seu nascimento nesta vida. Ela pede que você mantenha a pergunta: "Em que momento de minha vida fui traída?" no seu coração. O filme chega ao momento que deu origem à sua traição e pára. Se alguns sentimentos vierem à tona, sinta-os apenas. Faça o que lhe parecer mais apropriado. Você foi abandonada?
Alguém em quem confiava não estava lá quando você precisou? Não atenderam às suas
necessidades infantis? Seja o que for, permita-se olhar para o que aconteceu. Deixe que a sua
criança interior ferida expresse a emoção que acompanhou aquela traição. Blodeuwedd pede que você vá até a tela, segure a mão da criança e a acompanhe saindo da tela. Você volta com ela para o lugar em que estava sentada ou deitada. Pergunte à criança o que ela quer e dê isso a ela. Agora diga que você, adulta, a ama e nunca a trairá. Diga que de fato entende que ela foi ferida e que você, adulta, estará presente sempre que ela precisar. Continue repetindo isso até sentir que ela realmente a ouviu. Agora leve-a de volta para o filme e deixe-a entrar outra vez. Blodeuwedd volta o filme até a cena que deu origem à sua traição e começa a rodá-lo. No momento em que está para ocorrer à traição, você aparece na cena como adulta e protege a criança.
Interiorize a cura que aconteceu. Inspire profundamente para as suas células, para a sua consciência. Você se sente energizada e tranquila. Então agradece a Blodeuwedd e ela lhe pede um presente. Você o oferece com o coração aberto, e ela desaparece. Agora concentre-se no fato de estar no seu lugar de relaxamento ao ar livre. Inspire profundamente e, ao soltar o ar, toque no lóbulo da orelha esquerda. Inspire novamente e, quando soltar o ar, aperte as pálpebras.
Respire fundo uma última vez e abra os olhos. Seja bem-vinda!

Fonte: Livro - O Oráculo da Deusa.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...