sábado, 26 de julho de 2014

Velas de Ervas Curativas


Velas na Magia de Cura 
O poder curativo das ervas não deve se limitar às infusões e poções. Elas devem também ser usadas em todas as velas feitas em casa, especialmente para feitiços e rituais de cura. (Velas compradas ou feitas sem ervas podem ser carregadas com o poder Fitoterápico, sendo untadas com um óleo feito com a erva apropriada.) As velas de ervas para cura são feitas com partes iguais de parafina e cera de abelha, que são colocadas na parte de cima de uma panela própria para banho-maria (uma lata grande também pode ser usada dentro de uma panela parcialmente cheia de água fervente) e derretidas em fogo baixo. Acrescente uma pitada da(s) erva(s) curativa(s) adequada(s) (em pó) à cera derretida e diga: ERVAS MÁGICAS DE RAIZ E FLOR, DÊEM A ESTA VELA O PODER DA CURA. DEIXEM QUE TODA DOENÇA MALÉFICA FUJA QUANDO QUEIMADA ELA FOR. QUE ASSIM SEJA!

Corte o pavio encerado do tamanho do molde, deixando uns dois centímetros acima do topo do molde. Amarre uma porca ou parafuso em cada pavio, para que sirva de peso, e coloque-o no centro do molde. Lentamente derrame a cera derretida no molde e deixe esfriar e endurecer antes de remover a vela. (Caso se forme uma depressão em torno do pavio após o esfriamento, preencha a mesma com um pouco de cera derretida e deixe esfriar. Repita, à medida do necessário, até que o topo da vela fique nivelado.) (NOTA IMPORTANTE: Velas de ervas para cura sempre devem ser manufaturadas durante a fase crescente da lua, para carregá-las com o poder curativo, e queimadas durante a fase minguante, para diminuir febres, dores e males.) 

A seguir, uma lista de ervas de Bruxa e suas mágicas propriedades curativas: 
AÇAFRÃO: Depressão e febre. 
AGRIMÔNIA: Icterícia e doenças hepáticas. 
ALECRIM: Resfriados, cólicas, congestão hepática, depressão, cansaço, dores de cabeça, pressão alta, problemas nervosos cardíacos, paralisia, reumatismo, estresse, fraqueza dos membros e vertigem. 
ALHO: Artrite, asma dos brônquios, infecções e reumatismo. 
AMIEIRO: Diarreia, inflamações e dores de garganta. 
ANGÉLICA: Alcoolismo e abuso de drogas, atraso menstrual, dor de dente. 
ANIS: Asma dos brônquios, bronquite. 
ARTEMÍSIA: Febre, poison ivy1 1 Poison ivy é um tipo de planta trepadeira que pode provocar uma erupção cutânea que leva o mesmo nome. (N. T.) 
ASCLÉPIA ou algodãozinho do campo: Verrugas. 
BABOSA, folhas de: Queimaduras e ferimentos externos. 
BOLSA-DE-PASTOR: Contusões, irritações cutâneas e reumatismo. 
CAMOMILA: Cólica, febre, inflamações, cólicas menstruais e problemas de nervos. 
CANELA: Gripe. 
CARDO ABENÇOADO: Resfriados. 
COENTRO: Febre. 
COMFREI: Disenteria, ferimentos externos e úlceras estomacais.
CORNISO: Febres e infecções. 
CURCUMA (goldenseal): eczema, problemas oculares, infecções internas, poison ivy, úlceras do reto e tinha. 
DENTE-DE-LEÃO: Constipação, pedras vesiculares e problemas do fígado, pâncreas, baço ou órgãos femininos. 
ERVA-MACAÉ: Todos os problemas femininos. 
ESCABIOSA: Tosse e menstruação irregular. 
ESCADA-DE-JACÓ ou polemônio: Febre 
ESPINHEIRO-ALVAR: Arteriosclerose, edema, problemas cardíacos e fraqueza muscular. EUFRÁSIA: Problemas oculares. 
FUNCHO ou erva-doce: ansiedade, constipação e períodos menstruais irregulares. 
GATÁRIA ou erva-dos-gatos: Ansiedade, febre, cólicas menstruais. 
GENGIBRE: Febre, impotência e cólicas menstruais. 
GINSENG: Impotência e todos os males relacionados à sexualidade. 
HAMAMÉLIS: Ansiedade, eczema, inflamações, inchaços e tumores. 
HIPERICÃO ou erva-de-são-joão: Diarreia. 
HORTELÃ-FRANCESA: Infecções. 
HORTELÃ-PIMENTA: Dores de cabeça e câimbras musculares. 
ÍNULA: Febre. 
IRISH MOSS (espécie de alga marinha): Queimaduras e tosse. 
JASMIM: Impotência. 
LAVANDA: Depressão, cansaço, dor de cabeça, impotência, dores nevrálgicas, reumatismo e torções. 
LÍNGUA-DE-SERPENTE: Úlceras estomacais e tumores. 
LOSNA (ou absinto): Resfriados e febre.
MALVA: Amigdalite. 
MANDRÁGORA, raiz de: Impotência e esterilidade. 
MARACUJÁ, flor de: Insônia. 
MARGARIDA: Asma dos brônquios. 
MARROIO-BRANCO: Resfriados, tosse e constipação. 
MILEFÓLIO ou mil-em-rama: Dores do cancro, resfriados, febre, doenças hepáticas e dores musculares. 
MIRRA: Irritações e dores da gengiva. 
MORANGO, folhas e flores de: Gota. 
PANACEIAS (prunela, erva-férrea, sanícula): Ferimentos externos. 
PÉ-DE-GALINHA: Inflamações. 
PÉ-DE-LEÃO: Febres, dores de cabeça, inflamações, insônia, menopausa, cólicas menstruais e dores de dente. 
POEJO: Febre e cólicas menstruais. 
RAIZ-FORTE: Bronquite, resfriados, problemas renais e reumatismo. 
ROSA: Pedras renais. 
SABUGUEIRO, flores de: Resfriados, constipação, febre, hemorroidas e impotência. 
SALGUEIRO, casca de: Dores de cabeça. 
SÁLVIA: Resfriados e tosse, depressão, febre, gripe, insônia, pleurisia, torções e varizes. SANGUINÁRIA-DO-CANADÁ: Tinha. 
SELO-DE-SALOMÃO: Contusões, irritações cutâneas e machucados. 
SERPENTÁRIA: Impotência e picada de cobra. 
TASNEIRAS: Menopausa e problemas menstruais. 
TOMILHO: Febre, dores de cabeça e coqueluche. 
TREVO CARMESIM: Cânceres.
TROMBETA ou estramônio: Poison ivy. 
TUSSILAGEM ou unha-de-cavalo: Asma dos brônquios, bronquite, dores no peito e tosse. URTIGA: Asma dos brônquios, dores musculares, úlceras estomacais e doenças dos pulmões e intestinos. 
VALERIANA: Ansiedade, insônia, reumatismo, estresse e inchaço das juntas. 
VARA-DE-OURO: Infecções da bexiga, inflamações e insônia. 
VERBASCO, folhas de: Asma dos brônquios. 
VERBENA: Febre. 
VIOLETA: Infecções. 
ZIMBRO: Dores nevrálgicas, reumatismo e inchaços. 

Ritual Lunar de Cura 
Cada um dos doze signos zodiacais governa diferentes áreas da anatomia. As partes do corpo governadas por um signo específico podem tanto ser as áreas físicas mais fortes (mais saudáveis) ou as mais fracas da pessoa nascida sob aquele signo astrológico. Podem também ser uma combinação de ambos. O signo de Capricórnio, por exemplo, governa os joelhos, ossos, dentes e pele; portanto, um capricorniano pode descobrir que nasceu com ossos e dentes fortes, saudáveis, mas é suscetível de ter problemas de pele. Por outro lado, pode ter uma perfeita "pele de pêssego" e sofrer com problemas ortopédicos e dentários ou talvez reumatismo. Ao curar uma área física específica, é fundamental que o ritual de cura com vela aconteça durante a época lunar apropriada, quando a lua está no signo astrológico que influencia aquela área particular do corpo físico. Sempre se deve usar uma vela branca em rituais de cura, pois é a cor que simboliza a energia curativa, a purificação e o poder da Deusa sagrada. O ritual pode acontecer a qualquer hora do dia ou da noite (a hora não é importante), contanto que a lua esteja no signo correto. (A lua muda de um signo para o outro em aproximadamente dois dias e meio. O melhor é consultar e atualizar o calendário astrológico ou lunar para saber os dias e horas exatos em que cada signo lunar começa e termina.) 
LUA EM ÁRIES: influencia a cabeça e o cérebro. 
LUA EM TOURO: influencia a garganta e o pescoço. 
LUA EM GÊMEOS: influencia os ombros, os braços e os pulmões.
LUA EM CÂNCER: influencia o peito e o estômago. 
LUA EM LEÃO: influencia a parte superior das costas, a coluna vertebral e o coração. 
LUA EM VIRGEM: influencia os intestinos e o sistema nervoso. 
LUA EM LIBRA: influencia a parte inferior das costas e os rins. 
LUA EM ESCORPIÃO: influencia os órgãos reprodutivos. 
LUA EM SAGITÁRIO: influencia o fígado, coxas e quadris. 
LUA EM CAPRICÓRNIO: influencia os joelhos, ossos, dentes e pele. 
LUA EM AQUÁRIO: influencia as panturrilhas, os tornozelos e o sangue. 
LUA EM PEIXES: influencia os pés e as glândulas linfáticas. 

Desenhe um círculo de cura no chão, de uns dois metros e meio de diâmetro, usando giz ou tinta branca. (Se o ritual acontecer ao ar livre, pode-se fazer o círculo com pedrinhas brancas.) Jogue um pouco de sal no centro do círculo e depois nos limites a leste, sul, oeste e norte. Ao fazer isso, diga: COM ESTE SAL SAGRADO CONSAGRO ESTE CÍRCULO. QUE TODOS OS MAUS ESPÍRITOS SEJAM BANIDOS DESTE LUGAR! QUE TODAS AS VIBRAÇÕES NEGATIVAS SEJAM BANIDAS DESTE LUGAR! QUE TODAS AS IMPUREZAS E IMPEDIMENTOS SEJAM BANIDOS DESTE LUGAR! E QUE TUDO QUE SEJA POSITIVO E BOM AQUI ENTRE. ABENÇOADO SEJA O CÍRCULO DE CURA EM NOME DA DEUSA. QUE ASSIM SEJA. 

Erga um pequeno altar no centro do círculo, voltado para o norte. Em cima dele arranje os seguintes instrumentos necessários para esse ritual de cura: vela branca e atame, no centro; turíbulo de incenso, a leste, como símbolo do elemento Ar; a espada cerimonial, ao sul, como símbolo do elemento Fogo; um cálice de vinho branco (ou água), a oeste, como símbolo do elemento Água; e um pentagrama (um disco de cera ou metal com a estrela de cinco pontas, das Bruxas, ali inscrita), ao norte, como símbolo do elemento Terra. Em frente à vela, coloque a foto da pessoa que necessita de cura. Com a espada cerimonial na mão direita, trace o círculo, começando pelo leste e movendo em direção horária. Ao traçar o círculo, diga:
EU TE CONJURO SAGRADO CÍRCULO BRANCO QUE SEJAS UM DIVINO CÍRCULO DE PODER CURATIVO. UMA VEZ MAIS EU TE ABENÇOO E TE CONSAGRO EM NOME DA DEUSA. QUE ASSIM SEJA! Retorne a espada ao altar. Acenda a vela e o incenso. Segure o atame com a mão direita e, suavemente, passe a lâmina pela fumaça do incenso, três vezes, e diga: YOD HE VAU HE EU TE INVOCO REI ELEMENTAL DO LESTE. Bata com a lâmina da espada cerimonial, três vezes, com a ponta do atame e diga: ADONAI EU TE INVOCO REI ELEMENTAL DO SUL. Mergulhe a lâmina do atame no cálice de vinho e diga: EHEIEH EU TE INVOCO REI ELEMENTAL DO OESTE. Trace o pentagrama com a ponta do atame e diga: AGLA EU TE INVOCO REI ELEMENTAL DO NORTE. Agora segure o atame com as duas mãos e aponte-o para o céu, com os dois braços esticados, e diga: DEUSA DA VIDA DEUSA DO AMOR ENVIA DE CIMA TEU PODER DE CURA PARA ESTE CÍRCULO A TI CONSAGRADO PARA QUE (o nome da pessoa) POSSA SER CURADO. QUE ASSIM SEJA! Feche os olhos e visualize um raio de luz branca descendo do céu para a ponta do atame e então para seus braços e corpo, preenchendo-a com uma sensação confortável, intensa, fulgurante. Continue a visualização e, quando começar a sentir o divino poder curativo da Deusa acumulando dentro de si, comece a visualizar a pessoa que precisa ser curada. Concentre-se bastante e veja a pessoa em seu olho mental completamente curada, em perfeita saúde. Aponte o atame para a fotografia (ou para a pessoa, caso ela esteja presente no ritual). Dirija e então libere a energia curativa acumulada para a pessoa enferma. Continue até que toda energia tenha sido usada. Relaxe por alguns minutos (esse ritual pode ser fisicamente exaustivo) e depois agradeça à Deusa por sua presença e ajuda. Com a espada cerimonial na mão esquerda, trace o círculo numa direção anti-horária, começando pelo leste, para desfazer o círculo.
Deixe que a vela queime até o fim.

Fonte: A Magia das Velas de Gerina Dunwich. Páginas: 30 ao 36.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...